Show simple item record

dc.creatorPaschoalino, Roselene Aparecida
dc.date.accessioned2016-06-02T19:25:20Z
dc.date.available2007-10-18
dc.date.available2016-06-02T19:25:20Z
dc.date.issued2004-03-10
dc.identifier.citationPASCHOALINO, Roselene Aparecida. Esquerda e Forças Armadas no Brasil do pós-guerra fria.. 2004. 117 f. Dissertação (Mestrado em Ciências Humanas) - Universidade Federal de São Carlos, São Carlos, 2004.por
dc.identifier.urihttps://repositorio.ufscar.br/handle/ufscar/1436
dc.formatapplication/pdfpor
dc.languageporpor
dc.publisherUniversidade Federal de São Carlospor
dc.rightsAcesso Abertopor
dc.subjectForças Armadaspor
dc.subjectPartido Comunista do Brasilpor
dc.subjectSoberaniapor
dc.subjectPós-guerra friapor
dc.titleEsquerda e Forças Armadas no Brasil do pós-guerra fria.por
dc.typeDissertaçãopor
dc.contributor.advisor1Martins Filho, João Roberto
dc.contributor.advisor1Latteshttp://genos.cnpq.br:12010/dwlattes/owa/prc_imp_cv_int?f_cod=K4721496H0por
dc.creator.Latteshttp://buscatextual.cnpq.br/buscatextual/visualizacv.do?id=P317109por
dc.description.resumoNo Brasil dos anos noventa, não é raro encontrar uma aparente aproximação de pontos de vista de membros de partidos de esquerda, por um lado, e chefes militares por outro, quando se trata da necessidade de fortalecer a soberania nacional e de defender a Amazônia. Com efeito, é às vezes difícil distinguir o discurso da esquerda do discurso militar sobre a defesa nacional. Repetidas vezes a esquerda brasileira tem saído em apoio das reivindicações militares e, por sua vez, os militares reconhecem o apoio dos parlamentares de esquerda, conferem-lhes condecorações militares e até mesmo defendem, como vimos recentemente, o nome de um desses parlamentares para o Ministério da Defesa, como foi o caso do deputado federal pelo PC do B SP, Aldo Rebelo, afinal escolhido para líder do Governo Lula na Câmara dos Deputados. Tal aproximação, só parece possível no quadro das transformações ocorridas a partir do final dos anos oitenta: o avanço da globalização, o colapso do socialismo, o fim da União Soviética e da ameaça comunista e o surgimento dos Estados Unidos como única superpotência. No entanto, essa possível convergência entre esquerda e Forças Armadas, mesmo que nas questões de defesa nacional e preservação da soberania, é tema bastante polêmico, por se tratar de dois atores que, no passado recente, chegaram ao confronto armado. Isto fica claro especificamente no episódio da Guerrilha do Araguaia (1972 1975). Contudo, na atualidade é interessante destacar a preocupação de ambos esses atores com o papel que os Estados Unidos estariam tentando impor às Forças Armadas, de países como o Brasil, procurando transformá-las em Guardas Nacionais ou em simples milícias. Dessa forma, é na oposição aos Estados Unidos como única potência mundial e na defesa da soberania nacional que se dá a aproximação entre esquerda e Forças Armadas nos ...por
dc.publisher.countryBRpor
dc.publisher.initialsUFSCarpor
dc.publisher.programPrograma de Pós-graduação em Ciências Sociaispor
dc.subject.cnpqCIENCIAS HUMANASpor


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record