Show simple item record

dc.creatorAmorim, Priscilla Kobayashi
dc.date.accessioned2016-06-02T19:32:16Z
dc.date.available2007-08-31
dc.date.available2016-06-02T19:32:16Z
dc.date.issued2005-09-23
dc.identifier.citationAMORIM, Priscilla Kobayashi. Relações entre as variáveis edáficas e vegetacionais em cerrado hiperestacional, cerrado estacional e campo úmido no Parque Nacional das Emas (GO).. 2005. 53 f. Dissertação (Mestrado em Ciências Biológicas) - Universidade Federal de São Carlos, São Carlos, 2005.por
dc.identifier.urihttps://repositorio.ufscar.br/handle/ufscar/2140
dc.description.abstractThe Cerrado Domain occupied formerly 2 million km2 of the Brazilian territory, especially in the Central Plateau. The cerrado vegetation is not uniform in physiognomy, ranging from grassland to tall woodland, but with most of its physiognomies within the range defined as tropical savanna. In cerrado, there are few areas that become waterlogged during the rainy season due to the poor drainage of the soil, allowing the appearance of a hyperseasonal cerrado, characterized by two contrasting stresses, one induced by drought and fire during the winter, the other by soil saturation in the summer. As long as soil is important in the ecology of the cerrado, limiting the cerrado distribution and the occurrence of its physiognomies, we investigated the soil-vegetation relationships in a cerrado core area in Emas National Park, in three vegetation forms: hyperseasonal cerrado, seasonal cerrado, and wet grassland. We collected vegetation and soil samples in these three vegetation forms and submitted obtained data to a canonical correspondence analysis. Our results showed a distinction among hyperseasonal cerrado, seasonal cerrado and wet grassland, which presented different floristic compositions and species abundances. The edaphic variables best related to the hyperseasonal and seasonal cerrados were sand, base saturation, pH, and magnesium. The wet grassland was related to higher concentrations of clay, organic matter, aluminium saturation, aluminium, phosphorus, and potassium. We also investigated the relationships between number of species and soil characteristics, with simple multiple linear regressions, and found that aluminium and pH were the best predictors of species density, the former positively related to species density and the latter negatively related.eng
dc.description.sponsorshipUniversidade Federal de Minas Gerais
dc.formatapplication/pdfpor
dc.languageporpor
dc.publisherUniversidade Federal de São Carlospor
dc.rightsAcesso Abertopor
dc.subjectCerradospor
dc.subjectAlagamentopor
dc.subjectCerrado hiperestacionalpor
dc.subjectSavanaspor
dc.subjectSolospor
dc.subjectCanonical correspondence analysiseng
dc.subjectCerradoeng
dc.subjectHyperseasonalityeng
dc.subjectSavannaeng
dc.subjectSoileng
dc.subjectWaterloggingeng
dc.titleRelações entre as variáveis edáficas e vegetacionais em cerrado hiperestacional, cerrado estacional e campo úmido no Parque Nacional das Emas (GO).por
dc.typeDissertaçãopor
dc.contributor.advisor1Batalha, Marco Antônio Portugal Luttembarck
dc.contributor.advisor1Latteshttp://lattes.cnpq.br/3893228815181339por
dc.creator.Latteshttp://buscatextual.cnpq.br/buscatextual/visualizacv.do?id=K4708995H9&dataRevisao=nullpor
dc.description.resumoO Domínio do Cerrado ocupava aproximadamente dois milhões de km2 do território brasileiro, especialmente no Planalto Central. A vegetação de cerrado não é uniforme em sua fisionomia, pois varia desde o campo limpo até o cerradão, mas a maior parte de suas fisionomias podem ser definidas como savana. Em algumas raras áreas de cerrado, a drenagem do solo é muito baixa, provocando o seu alagamento na estação chuvosa e favorecendo o surgimento de cerrados hiperestacionais, em que há dois períodos de estresse, um induzido pela seca e pelo fogo no inverno, e outro induzido pelo alagamento no verão. Como o solo é um dos principais fatores que controlam a distribuição do cerrado, além de ser determinante para a ocorrência das diferentes fisionomias que o compõem, nosso objetivo neste trabalho foi estudar a relação solo-vegetação em uma área nuclear de cerrado, no Parque Nacional das Emas (GO), em três ambientes: cerrado hiperestacional, cerrado estacional e campo úmido. Amostramos o solo e a vegetação desses três ambientes e comparamos algumas variáveis edáficas e vegetacionais por meio de análise de correspondência canônica. Nossos resultados apresentaram uma distinção florística entre o cerrado hiperestacional, o cerrado estacional e o campo úmido. As variáveis edáficas mais relacionadas com os cerrados hiperestacional e estacional foram porcentagem de areia, saturação por bases, pH e magnésio, enquanto que com o campo úmido foram argila, matéria orgânica, alumínio, saturação por alumínio e potássio. Também relacionamos o número de espécies em cada parcela com algumas variáveis edáficas, por meio de análises de regressão, e encontramos que o pH foi relacionado negativamente, e o alumínio, positivamente, com o número de espécies.por
dc.publisher.countryBRpor
dc.publisher.initialsUFSCarpor
dc.publisher.programPrograma de Pós-graduação em Ecologia e Recursos Naturaispor
dc.subject.cnpqCIENCIAS BIOLOGICAS::ECOLOGIApor


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record