Show simple item record

dc.creatorBaldon, Rodrigo de Marche
dc.date.accessioned2016-06-02T20:19:13Z
dc.date.available2010-05-13
dc.date.available2016-06-02T20:19:13Z
dc.date.issued2010-04-09
dc.identifier.citationBALDON, Rodrigo Marche. Função excêntrica dos músculos abdutores e rotadores laterais do quadril no controle dos movimentos do membro inferior e no rendimento funcional. 2010. 160 f. Dissertação (Mestrado em Ciências Biológicas) - Universidade Federal de São Carlos, São Carlos, 2010.por
dc.identifier.urihttps://repositorio.ufscar.br/handle/ufscar/5263
dc.description.sponsorshipFinanciadora de Estudos e Projetos
dc.formatapplication/pdfpor
dc.languageporpor
dc.publisherUniversidade Federal de São Carlospor
dc.rightsAcesso Abertopor
dc.subjectFunções motoraspor
dc.subjectJoelhospor
dc.subjectQuadrilpor
dc.subjectLesões - prevenção e tratamentopor
dc.subjectDiferença entre gênerospor
dc.subjectFisioterapiapor
dc.titleFunção excêntrica dos músculos abdutores e rotadores laterais do quadril no controle dos movimentos do membro inferior e no rendimento funcionalpor
dc.typeDissertaçãopor
dc.contributor.advisor1Serrão, Fábio Viadanna
dc.contributor.advisor1Latteshttp://genos.cnpq.br:12010/dwlattes/owa/prc_imp_cv_int?f_cod=K4794266Y0por
dc.creator.Latteshttp://lattes.cnpq.br/9854034655055173por
dc.description.resumoEstudo 1 Resumo Contexto: Inúmeros programas de treinamento esportivo enfocam o fortalecimento dos músculos do membro inferior objetivando aprimorar o rendimento funcional. Recentemente, atenção especial tem sido dada à musculatura do quadril no cenário esportivo, tanto para a prevenção de lesões musculoesqueléticas quanto para a melhora da performance. Entretanto, nenhum estudou verificou a relação existente entre a ação excêntrica dos músculos do quadril com os resultados obtidos em testes funcionais. Objetivo: Determinar as principais variáveis isocinéticas de torque excêntrico do quadril e joelho (variáveis independentes) capazes de predizer o rendimento funcional de mulheres no salto triplo unipodal em distância (STUD) e no salto unipodal de 6 metros cronometrado (SUC) (variáveis dependentes). Delineamento experimental: Estudo de correlação Ambiente: Laboratório de Musculoesquelética. Sujeitos: Trinta e duas voluntárias sadias com idade variando entre 18 e 25 anos. Intervenção(s): As voluntárias realizaram 2 séries de 5 contrações isocinéticas excêntricas máximas da musculatura do quadril (30º/s) e joelho (60º/s) em um dinamômetro isocinético e 3 tentativas máximas do STUD e SUC. Principais Medidas: As variáveis independentes foram o pico de torque isocinético excêntrico máximo (PTIEM) abdutor/adutor e rotador medial/lateral do quadril, assim como, flexor/extensor do joelho, normalizados pela massa corporal (Nm/Kg). As variáveis dependentes foram a distância alcançada no STUD pela altura corporal e o tempo gasto durante a execução do SUC. Resultados: As análises de regressão linear múltipla revelaram que a combinação do PTIEM rotador lateral do quadril, abdutor do quadril e flexor do joelho forneceu a estimativa mais eficiente do rendimento no STUD (65% da variabilidade), enquanto que a 41 combinação do PTIEM rotador lateral e abdutor do quadril forneceu a estimativa mais eficiente do rendimento no SUC (55% da variabilidade). Conclusão: Maiores valores de torque excêntrico rotador lateral e abdutor do quadril, assim como, flexor do joelho, obtidos pelas voluntárias refletiram em melhor desempenho no STUD e SUC. Assim, a ação excêntrica desses músculos deveria ser considerada no desenvolvimento de programas de treinamento físico que objetivam o aumento do rendimento funcional. Estudo 2 Resumo Diversas pesquisas têm sido realizadas para determinar os fatores biomecânicos que predispõem as mulheres atletas a lesões do ligamento cruzado anterior e ao desenvolvimento da Síndrome da Dor Femoropatelar, em relação aos homens praticantes das mesmas modalidades esportivas. Atualmente, a ênfase principal dos estudos concerne aos diferentes padrões de ativação muscular e de movimento adotados pelas mesmas durante uma determinada tarefa motora. Dessa forma, essa revisão teve como objetivo analisar como tais alterações biomecânicas, especialmente aquelas referentes à articulação do quadril, relacionam-se com a elevada incidência de lesões no joelho nas mulheres, bem como verificar as suas implicações na elaboração de estratégias preventivas a essas desordens. Há evidências indicando que as mulheres realizam atividades funcionais com menores ângulos de flexão de joelho e quadril, maior valgo dinâmico do joelho e dos componentes que contribuem para esse movimento, como a adução e rotação medial do quadril. Ainda, alguns autores acreditam que as alterações nos planos coronal e transversal do quadril, refletidas por uma possível disfunção dos músculos abdutores e rotadores laterais dessa articulação, parecem mais significativas para a instalação de lesões nas mulheres do que aquelas que ocorrem unicamente no plano sagital, como o padrão quadríceps-dominante apresentado pelas mesmas durante o gesto esportivo. Por fim, as pesquisas demonstram que o treino neuromuscular realizado preventivamente melhora o alinhamento dinâmico do membro inferior nas mulheres, diminuindo a incidência de lesões do joelho nas mesmas.por
dc.publisher.countryBRpor
dc.publisher.initialsUFSCarpor
dc.publisher.programPrograma de Pós-Graduação em Fisioterapia - PPGFtpor
dc.subject.cnpqCIENCIAS DA SAUDE::FISIOTERAPIA E TERAPIA OCUPACIONALpor


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record