Show simple item record

dc.creatorReis, Stéphany Conceição Correia Alves Guedes
dc.date.accessioned2018-04-09T20:22:08Z
dc.date.available2018-04-09T20:22:08Z
dc.date.issued2017-02-23
dc.identifier.urihttps://repositorio.ufscar.br/handle/ufscar/9697
dc.description.abstractOnly in the 1930s that guidelines were established to parameterize the university education in Brazil. This late development linked with educational conservatism and the centralizing policies of the state mobilized demands from students, teachers and society for the modernization and expansion of universities. Amidst these clashes, in the 1950s, occupational therapy was established in the country, resulting from a process of great expansion of rehabilitation around the world, in which the training of technical workforce to work in the area was essential. For that, the first technical courses of occupational therapy in Brazil were created in the 1950s, in the states of Rio de Janeiro and São Paulo. In the following decade, in Pernambuco and Minas Gerais. Concomitant with the promulgation of the University Reform (1968) and the expansion of universities in the country, in the military regime (1964-1985), the profession was regulated to a university level (1969) and its graduate courses expanded to other Brazilian states, which demanded occupational therapists for teaching. However, this university character of professional qualification was consolidated only in 1983, when a consistent minimum curriculum was established to be implemented until 1984. Thus, this research aimed to understand the process of academic institutionalization of occupational therapy in Brazil, between the years of 1950 and 1983, based on the vision of those who were pioneers in this process. The work is developed through the precepts of the oral history of fourteen occupational therapists, pioneering teachers in the teaching of occupational therapy in the country. Through their memories expressed orally, it was possible to create primary sources about the history of occupational therapy and understand their academic paths and their propositions about the training in occupational therapy, as well as the courses they were connected to as teachers. Also, materials were collected from the personal files of the collaborators, which became documents for this research. Through the analysis of the narratives, the collected documents and the systematized bibliographical references, it was possible to reconstruct stories about the implantation of each of the occupational therapy courses, during the studied period. These stories are about the processes of creation of the first courses, their trajectories of consolidation and closure, when it was the case, and the development of the teaching career of professionals linked to the teaching of occupational therapy in such institutions. Finally, the individual trajectories of the pioneer teachers were highlighted with regard to the needs for the construction of this new professional category with the establishment of occupational therapy courses in Brazil, emphasizing common themes in the narratives and, also, the which was constitutive, although peculiar.eng
dc.description.sponsorshipConselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq)por
dc.language.isoporpor
dc.publisherUniversidade Federal de São Carlospor
dc.rights.uriAcesso abertopor
dc.subjectTerapia ocupacionalpor
dc.subjectTerapia ocupacional/históriapor
dc.subjectEducação superiorpor
dc.subjectOccupational therapyeng
dc.subjectOccupational therapy/historyeng
dc.subjectHigher educationeng
dc.titleHistórias e memórias da institucionalização acadêmica da terapia ocupacional no Brasil : de meados da década de 1950 a 1983por
dc.typeDissertaçãopor
dc.contributor.advisor1Lopes, Roseli Esquerdo
dc.contributor.advisor1Latteshttp://lattes.cnpq.br/1507752191797249por
dc.creator.Latteshttp://lattes.cnpq.br/5054911281522128por
dc.description.resumoApenas na década de 1930 se estabelecem diretrizes parametrizando o ensino universitário no Brasil. Esse desenvolvimento tardio, atrelado ao conservadorismo educacional e às políticas centralizadoras do Estado, mobilizou reivindicações por parte de estudantes, professores e da sociedade para modernização e expansão das universidades. Em meio a esses embates, nos anos 1950, a terapia ocupacional se estabeleceu no país, advinda de um processo de grande expansão da reabilitação pelo mundo, no qual era essencial a formação de mão de obra técnica para o trabalho na área. Para tanto, foram criados os primeiros cursos técnicos de terapia ocupacional no Brasil ainda na década de 1950, nos estados do Rio de Janeiro e São Paulo, e na década seguinte em Pernambuco e Minas Gerais. Concomitante à promulgação da Reforma Universitária (1968) e à ampliação das universidades no país, já no regime militar (1964-1985), a profissão foi regulamentada com a exigência do nível universitário (1969) e seus cursos de graduação se expandiram para outros estados brasileiros, demandando terapeutas ocupacionais para a docência. No entanto, esse caráter universitário da formação profissional foi consolidado somente em 1983, quando se estabeleceu um currículo mínimo condizente a ser implantado até 1984. Sendo assim, esta pesquisa se propôs a apreender o processo de institucionalização acadêmica da terapia ocupacional no Brasil, entre os anos de 1950 a 1983, a partir da visão daquele(a)s que foram pioneiro(a)s nesse processo. O trabalho se desenvolveu mediante os preceitos da história oral de quatorze terapeutas ocupacionais, docentes pioneiros(as) no ensino da terapia ocupacional no país. Por meio de suas memórias expressas em forma de oralidade, foi possível criar fontes primárias acerca da história da profissão e compreender seus percursos acadêmicos e suas proposições em torno da formação em terapia ocupacional, assim como dos cursos aos quais estiveram vinculado(a)s como docentes. Também, foram coletados materiais dos arquivos pessoais do(a)s colaboradore(a)s que se transformaram em documentos para esta pesquisa. Através da análise das narrativas, dos documentos reunidos e do referencial bibliográfico sistematizado, foi possível reconstruir histórias em torno da implantação de cada um dos cursos de terapia ocupacional, no período estudado. Essas histórias versam sobre os processos de criação dos primeiros cursos, suas trajetórias de consolidação e encerramento, quando foi o caso, e o desenvolvimento da carreira docente de profissionais vinculados ao ensino da terapia ocupacional em tais instituições. Por fim, foram destacados os percursos individuas do(a)s docentes pioneiro(a)s no que diz respeito às necessidades para a construção dessa nova categoria profissional com o estabelecimento de cursos de terapia ocupacional no Brasil, enfatizando temáticas comuns nas narrativas e, igualmente, o que lhes era constitutivo, apesar de peculiar.por
dc.publisher.initialsUFSCarpor
dc.publisher.programPrograma de Pós-graduação em Terapia Ocupacionalpor
dc.subject.cnpqCIENCIAS HUMANAS::EDUCACAO::FUNDAMENTOS DA EDUCACAO::HISTORIA DA EDUCACAOpor
dc.ufscar.embargoOnlinepor
dc.publisher.addressCâmpus São Carlospor


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record