Show simple item record

dc.creatorRissoli, Rafael Zanelli
dc.date.accessioned2018-05-21T20:00:54Z
dc.date.available2018-05-21T20:00:54Z
dc.date.issued2018-03-23
dc.identifier.urihttps://repositorio.ufscar.br/handle/ufscar/10094
dc.description.abstractThe present work described the effects of exercise-training (60 days) at different intensities 5 cm.s-1 (EL), 10 cm.s-1 (EM), 20 cm.s-1 (EMI) and 30 cm.s -1 (EI) on relative ventricular mass (RVM), in vitro ventricular contractility and proteins expression of excitation-contraction coupling proteins in the ventricular tissue of Brycon amazonicus, a very active fish species with migratory habits. The majority of exercise intensities did not alter the RVM, except for the EMI group where a reduction was observed in relation to its respective CT group. EL and EM groups presented more relevant increases on ventricular force generation, suggesting that the studied species show different adaptations in the capacity of contractile force generation (Fc) in the following the exercise intensity. It may be suggested that conditions imposed by the rigorous exercise protocols (EMI and EI groups) did not cause improvements in contractile performance. The present results indicate that all groups exhibited modulations of the E-C coupling components. The Ca2+ influx via NCX was important in all groups, and the relative role of RS varied considerably between groups. In EL group, the RS contribution was essential for the force generation under a wide range of estimation frequencies (0.2-1.8Hz) whereas in the RS and EM and EMI groups the RS action was only relevant at high frequencies (1.0-1.8Hz). In the EI group, the functional inhibition of RS did not cause reductions in Fc values in all analyzes frequencies, indicating that the LTCCs and the NCX took the lead during the force generation. In addition, the exercise protocols triggered different expression rates of the E-C coupling components. The EL group presented higher NCX expression rates and lower SERCA2 rates but did not alter PLB expression. The EM group presented higher expression rates of NCX and PLB, and lower SERCA2 rates. Both EMI and EI exhibited elevations in the LTCCs, NCX and SERCA2 expression rates but did not alter the PLB expression. The data generated in the present work revealed that the ventricular E-C coupling of B. amazonicus presents great plasticity in response to the exercise, modulating the relative roles of its components in accordance with the intensity of the exercise training.eng
dc.description.sponsorshipFundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP)por
dc.language.isoporpor
dc.publisherUniversidade Federal de São Carlospor
dc.rights.uriAcesso abertopor
dc.subjectExercício natatóriopor
dc.subjectPeixepor
dc.subjectContratilidade ventricularpor
dc.subjectExpressão proteicapor
dc.subjectSERCA2por
dc.subjectNCXpor
dc.subjectCanais Lpor
dc.subjectFosfolambanopor
dc.subjectBrycon amazonicuseng
dc.subjectSwimming exerciseeng
dc.subjectFisheng
dc.subjectVentricular contractilityeng
dc.subjectProtein expressioneng
dc.subjectPhospholambaneng
dc.titleEfeitos do exercício prolongado sobre a contratilidade cardíaca de uma espécie de peixe migratória, Brycon amazonicus (Teleostei, Characidae)por
dc.title.alternativeExercise training effects on cardiac contractility of a migratory fish species,Brycon amazonicus (Teleostei, Characidae)eng
dc.typeTesepor
dc.contributor.advisor1Kalinin, Ana Lúcia
dc.contributor.advisor1Latteshttp://lattes.cnpq.br/5493936744279888por
dc.creator.Latteshttp://lattes.cnpq.br/5838813282371566por
dc.description.resumoO presente trabalho descreveu os efeitos de treinamento de exercício prolongado (60 dias) de diferentes intensidades 5 cm.s-1 (EL), 10 cm.s-1 (EM), 20 cm.s-1 (EMI) e 30 cm.s-1(EI) sobre a massa ventricular relativa (MVR), contratilidade ventricular in vitro e a expressão de proteínas relacionadas com o processo de acoplamento (E-C) do tecido ventricular de Brycon amazonicus, uma espécie peixe muito ativa e que apresenta hábito migratório. A maioria das intensidades de exercício não induziu alterações na MVR, com exceção do grupo EMI onde presenciou-se uma redução neste parâmetro em relação ao seu respectivo grupo CT. Incrementos mais evidentes nos parâmetros contráteis como a força de contração (Fc), capacidade de bombeamento cardíaca (CBC) e na taxa de contração (RTPT) foram apresentados pelos grupos EL e EM, o que sugere que a espécies estudada apresentou adequações no desempenho contrátil em intensidades de exercício mais leves. Pode-se sugerir que as condições impostas pelos protocolos de exercício mais rigorosos (grupos EMI e EI) não propiciaram um incremento no desempenho contrátil. Os resultados indicaram que todos os grupos sofreram modulações no papel dos componentes do acoplamento E-C. O influxo de Ca2+ via NCX se mostrou importante em todos os grupos exercitados, entretanto, o papel relativo do RS variou consideravelmente entre os grupos. No grupo EL a contribuição do RS foi essencial para a geração de força em uma ampla faixa de frequências de estimulação (0,2-1,8Hz) enquanto que nos grupos EM e EMI a contribuição do RS se mostrou relevante apenas em frequências elevadas (1,0-1,8Hz). No grupo EI a inibição funcional do RS não acarretou em reduções nos parâmetros contráteis em nenhuma das frequências analisadas, indicando que os LTCCs e o NCX assumiram o protagonismo durante a geração de força. Adicionalmente, os protocolos de exercício desencadearam diferentes taxas de expressão dos componentes do acoplamento E-C. O grupo EL apresentou maiores taxas de expressão do NCX e menores taxas de expressão da SERCA2, mas não apresentou alterações na expressão do PLB. O grupo EM apresentou maiores taxas de expressão do NCX e PLB, e menores taxas de expressão da SERCA2. Tanto o grupo EMI quanto o EI apresentaram elevações nas taxas de expressão dos LTCCs, NCX e SERCA2 mas não apresentaram alterações na expressão de PLB. Os dados gerados no presente trabalho revelaram que o processo de acoplamento E-C ventricular de B. amazonicus apresenta grande plasticidade em resposta ao exercício, podendo modular o papel relativo de seus componentes em conformidade com a intensidade do treinamento de exercício.por
dc.publisher.initialsUFSCarpor
dc.publisher.programPrograma de Pós-graduação em Ciências Fisiológicaspor
dc.subject.cnpqCIENCIAS BIOLOGICAS::FISIOLOGIApor
dc.description.sponsorshipIdFAPESP: 13/17410-7por
dc.ufscar.embargo12 meses após a data da defesapor
dc.publisher.addressCâmpus São Carlospor


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record