Show simple item record

dc.creatorMelo, Marcos Antônio
dc.date.accessioned2018-06-14T11:49:08Z
dc.date.available2018-06-14T11:49:08Z
dc.date.issued2017-01-27
dc.identifier.urihttps://repositorio.ufscar.br/handle/ufscar/10163
dc.description.abstractThe Atlantic Forest has experienced great loss of habitats and biodiversity as a consequence of human activities. Currently, most forest remnants are reduced and isolated in human-made landscapes. In this dramatic situation, ecological restoration has been a viable tool for rebuilding habitats to rescue part of their biodiversity, along with their complex ecological interactions and ecosystem services. Due to their biological characteristics, birds have been a good study model to evaluate the effectiveness of restored areas in providing suitable habitats for the fauna. Several studies have been conducted focusing this subject in North America and Europe, but there is little evidence of how restored areas affect bird communities in Latin America, mainly in Brazil. Here we characterized the avifauna in an ecological restoration area and tested how the age and structural complexity of the vegetation of these plantations influence the structuring of functional groups of birds compared to unrestored areas. For this, we collected data from avifauna for 12 months (from January to December 2015), by 39 fixed-point counts, sampled with a detection radius of 60 m. Sampled species were classified according to trophic and nesting groups, sensitivity levels and forest dependence. We recorded 208 species of birds, of which 172 were detected by point counts. Our results evidence that restored areas are capable of shifting the structure and composition of bird assemblages according to the age and vegetation structural complexity. Older restorations (6-7 years old) provided structurally more complex habitats than pastures and more recent restoration (4-5 years), thus reducing the abundance of forest-independent species, more common in early stages of succession, such as aerial insectivorous and granivores and insectivores of open habitats. This occurred due to the gradual substitution of the high percentage of grasses by the increase in the richness of arboreal morphospecies and canopy cover. Thus, our data corroborate with the theory of environmental heterogeneity; more complex environmental categories (RO and FR) provided more specific foraging and nesting sites, evidenced by the greater abundance of specialist groups, including insectivorous (trunk, canopy and foliage), nectarivores and small frugivores, as well as birds that use closed nests and rely on specific resources to build nests. In some cases, we found a trend of RO to resemble forest fragments of reference. Invariably, percentage of exotic grasses, distance of water resources, richness of arboreal species and canopy cover were important predictors for the structuring of guilds. Therefore, considering the current scenario of degradation of the Atlantic Forest, areas of ecological restoration can assist in the rescue of part of bird diversity, as well as in the restructuring of functional groups essential to the functioning of the ecosystem, even in restored areas less than 10 years old. Our results may be useful for future ecological restoration programs as a strategy to increase habitat for birds in highly fragmented areas.eng
dc.description.sponsorshipNão recebi financiamentopor
dc.language.isoporpor
dc.publisherUniversidade Federal de São Carlospor
dc.rights.uriAcesso abertopor
dc.subjectAvifaunapor
dc.subjectDependência de florestaspor
dc.subjectEcologia de restauraçãopor
dc.subjectGuildas tróficaspor
dc.subjectSensibilidade ambientalpor
dc.subjectVariáveis ambientaispor
dc.subjectRestoration ecologyeng
dc.subjectForaging guildseng
dc.subjectEnviromental sensibilityeng
dc.subjectForest dependenceeng
dc.subjectEnviromental variableseng
dc.titleAlterações na composição da comunidade de aves em uma área de Mata Atlântica no sudeste do Brasil submetida à restauração ecológicapor
dc.typeDissertaçãopor
dc.contributor.advisor1Piratelli, Augusto João
dc.contributor.advisor1Latteshttp://lattes.cnpq.br/4747322084219058por
dc.creator.Latteshttp://lattes.cnpq.br/2184880129329313por
dc.description.resumoA Mata Atlântica vem sofrendo grande perda de habitats e de biodiversidade devido às atividades humanas. Atualmente, a maioria dos remanescentes florestais encontra-se reduzida e isolada em paisagens antropizadas. Nesta situação dramática, a restauração ecológica tem sido uma ferramenta viável à reconstrução dos habitats a fim de resgatar parte de sua biodiversidade, juntamente com suas complexas interações ecológicas e prestação de serviços ecossistêmicos. Devido às suas características biológicas, as aves tem sido um bom modelo de estudo para avaliar a efetividade de áreas restauradas em prover habitats adequados à fauna. Nesta temática, diversos estudos foram conduzidos na América do Norte e Europa, mas há poucas evidências de como áreas restauradas influenciam as comunidades de aves da América Latina, especialmente no Brasil. O presente estudo caracterizou a avifauna em uma área de restauração ecológica e testou como idade e complexidade estrutural da vegetação influenciam na estruturação de grupos funcionais de aves, comparando com áreas não restauradas. Para isso, dados da avifauna foram coletados durante o período de 12 meses (de janeiro a dezembro de 2015), em 39 pontos fixos amostrados com raio de detecção de 60 m. As espécies foram classificadas quanto aos grupos tróficos, ecologia de nidificação, níveis de sensibilidade e de dependência de florestas. No total, registraram-se 208 espécies de aves, sendo 172 delas detectadas nos pontos fixos. Os resultados demonstram que áreas restauradas são capazes de alterar a estrutura e composição das assembleias de aves em função da idade e complexidade estrutural vegetacional dos plantios. Restauração mais antiga (RO, 6-7 anos) forneceram habitats estruturalmente mais complexos do que pastos (PA) e restauração mais recente (RN, 4-5 anos), reduzindo assim a abundância de grupos de espécies independentes de florestas, comuns em estágios iniciais de sucessão, como as espécies granívoras e insetívoras de área aberta e insetívoras aéreas. Isto ocorreu devido à gradativa substituição da alta porcentagem de gramíneas pelo incremento da riqueza de morfoespécies arbórea e cobertura de dossel. Desse modo, os dados corroboram com a teoria da heterogeneidade ambiental, onde RO e fragmentos florestais (FR), categorias estruturalmente mais complexas, forneceram mais sítios de forrageio e de nidificação especifícos, evidenciado por abrigarem maior abundância de grupos especialistas, como insetívoras (de tronco, de copa e de folhagens), nectarívoras e pequenas frugívoras, bem como aves que utilizam ninhos fechados e dependem de recursos específicos para a construção de ninhos. Em alguns casos, houve tendência de RO assemelhar-se a FR. Invariavelmente, porcentagem de gramíneas exóticas, distância de recursos hídricos, riqueza de morfoespécies arbóreas e cobertura de dossel foram importantes preditoras à estruturação de guildas analisadas em área de restauração ecológica. Portanto, considerando o cenário atual de degradação da Mata Atlântica, áreas de restauração ecológica podem auxiliar no resgate de parte da diversidade da avifauna, bem como na reestruturação de grupos funcionais essenciais ao funcionamento do ecossistema, mesmo em áreas restauradas com menos de 10 anos. Este estudo poderá contribuir com futuros programas de restauração ecológica, que visam aumentar a disponibilidade de habitat para a avifauna de áreas altamente fragmentadas.por
dc.publisher.initialsUFSCarpor
dc.publisher.programPrograma de Pós-graduação em Conservação da Faunapor
dc.subject.cnpqCIENCIAS BIOLOGICAS::ZOOLOGIA::ZOOLOGIA APLICADA::CONSERVACAO DAS ESPECIES ANIMAISpor
dc.ufscar.embargoOnlinepor
dc.publisher.addressCâmpus São Carlospor


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record