Show simple item record

dc.creatorLisboa, Cybele Sabino
dc.date.accessioned2018-06-14T19:45:37Z
dc.date.available2018-06-14T19:45:37Z
dc.date.issued2017-05-02
dc.identifier.urihttps://repositorio.ufscar.br/handle/ufscar/10166
dc.description.abstractThe current global amphibian situation requires the implementation of efficient conservation measures to minimize or stabilize declines and extinctions rates. Ex situ conservation is a complementary strategy to in situ conservation and is mainly used in captive breeding and maintenance of endangered species for possible reintroductions. It is known that certain abilities can be lost after multiple generations in captivity, generating individuals more adapted to the captive environment. Locomotor function is a fundamental trait to survival, therefore, for an ex situ conservation program it is important to know whether the locomotion and metabolic capacities of captive born and wild animals are similar. Thereby, the present study evaluated the locomotor and metabolic capacities of ex situ and in situ populations of Ololygon alcatraz. This species is bromeligenous, endemic to the Ilha dos Alcatrazes (Brazil) and is threatened, categorized as Critically Endangered on the IUCN and Brazilian red lists. The locomotor performance was measured by manual stimulation of the individuals in an arena and the metabolic capacity was estimated by measuring the maximum activity of enzymes responsible for the production of energy for the locomotion activity. Captives born presented greater resistance to exercise when compared to the wild ones, traveling greater distances, jumping more times and spending more time in exercise, besides presenting higher activity of the enzyme citrate synthase. Wild animals had the potential to perform longer jumps and presented greater activity of the enzyme lactate dehydrogenase, which supports this type of exercise. These differences seems to be explained by phenotypic plasticity, arising from the environment in which individuals were created during ontogenetic development. This study evidenced the need to implement some measures to avoid that such differences are fixed in captives born Ololygon alcatraz and do not compromise their survival if they are translocated to the wild, thus subsidizing the species ex situ conservation program.eng
dc.description.sponsorshipNão recebi financiamentopor
dc.language.isoporpor
dc.publisherUniversidade Federal de São Carlospor
dc.rights.uriAcesso abertopor
dc.subjectEspécies ameaçadas em cativeiropor
dc.subjectBancos genéticospor
dc.subjectCapacidades locomotoraspor
dc.subjectcapacidades metabólicaspor
dc.subjectBromelícolapor
dc.subjectEndangered species in captiveeng
dc.subjectDatabase geneticeng
dc.subjectLocomotor capacitieseng
dc.subjectLocomotor metaboliceng
dc.subjectBromeligenouseng
dc.titleCapacidade de locomoção de Ololygon Alcatraz (Anura:Hylidae): subsídios para a conservação Ex Situpor
dc.typeDissertaçãopor
dc.contributor.advisor1Cruz, João Batista da Cruz
dc.contributor.advisor1Latteshttp://lattes.cnpq.br/6711198385217623por
dc.contributor.advisor-co1Brasileiro, Cinthia Aguirre
dc.contributor.advisor-co1Latteshttp://lattes.cnpq.br/2415614509705858por
dc.creator.Latteshttp://lattes.cnpq.br/3503075011196526por
dc.description.resumoA atual situação global dos anfíbios requer a implantação de medidas eficientes de conservação para minimizar ou estabilizar as taxas de declínios e/ou extinções. A conservação ex situ é uma estratégia complementar à conservação in situ e é utilizada principalmente na reprodução e manutenção de espécies ameaçadas em cativeiro com a finalidade de criar bancos genéticos vivos para possíveis reintroduções. Sabe-se que certas aptidões podem ser perdidas após múltiplas gerações em cativeiro, gerando indivíduos mais adaptados ao ambiente cativo. Uma aptidão fundamental para a sobrevivência é a função locomotora, portanto, para um programa de conservação ex situ, é importante saber se as capacidades de locomoção e metabólica de indivíduos nascidos em cativeiros e indivíduos nativos são semelhantes. Com isso, o presente estudo avaliou as capacidades locomotoras e metabólicas de populações ex situ e in situ de Ololygon alcatraz. Esta espécie é bromelícola, endêmica da Ilha de Alcatrazes (SP) e está categorizada como Criticamente em Perigo nas listas de animais ameaçados. O desempenho locomotor foi medido por meio do deslocamento dos indivíduos, após estimulação manual em uma arena, e a capacidade metabólica foi estimada por meio da medida da atividade máxima de enzimas do metabolismo energético responsáveis pela produção de energia para a atividade de locomoção. Os animais nascidos em cativeiro apresentaram maior resistência ao exercício quando comparados com os de natureza, percorrendo maiores distâncias, saltando mais vezes e despendendo mais tempo em exercício, além de apresentarem maior atividade da enzima citrato sintase. Os indivíduos provenientes de natureza demonstraram potencial para executar saltos mais longos e apresentaram maior atividade da enzima lactato desidrogenase, a qual dá suporte a este tipo de exercício. Estas diferenças parecem ser explicadas pela plasticidade fenotípica, decorrente do ambiente em que os indivíduos foram criados durante o desenvolvimento ontogenético. Este estudo evidenciou a necessidade de implantação de algumas medidas para evitar que tais diferenças sejam fixadas em indivíduos nascidos em cativeiro e não comprometam sua sobrevivência se forem translocados para a vida selvagem, subsidiando assim o programa de conservação ex situ da espécie.por
dc.publisher.initialsUFSCarpor
dc.publisher.programPrograma de Pós-graduação em Conservação da Faunapor
dc.subject.cnpqCIENCIAS AGRARIAS::RECURSOS FLORESTAIS E ENGENHARIA FLORESTAL::CONSERVACAO DA NATUREZA::RECUPERACAO DE AREAS DEGRADADASpor
dc.ufscar.embargoOnlinepor
dc.publisher.addressCâmpus São Carlospor


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record