Mostrar registro simples

dc.creatorBorges, Wesley Augusto de Freitas
dc.date.accessioned2019-02-08T17:31:32Z
dc.date.available2019-02-08T17:31:32Z
dc.date.issued2019-02-05
dc.identifier.urihttps://repositorio.ufscar.br/handle/ufscar/10932
dc.description.abstractThis study sought to analyze the impact of the country risk shock on the Brazilian economic cycles post-inflation targeting regime. For this, we used a SOE-RBC model proposed by Schmitt-Grohé and Uribe (2003) modified to estimate parameters by means of Bayesian methods. The results suggest that the country risk shock mainly explains the short-term oscillations of foreign debt and investment and a small part of the short-term oscillations of the capital stock, while the short-term oscillations of the other variables are explained by the productivity shock. In addition, it is considered that a positive shock in the country risk or possible downgrade by a rating agency would have a greater impact on investments and national external debt. When conducting a sensitivity analysis on the external debt impact coefficient on the interest rate, it is found that a lower ratio between net external debt and output mitigates the negative impacts of an increase in country risk, especially in product, investment, hours worked, salary, and capital stock. Given the recent concern to control the trajectory of public debt since Constitutional Amendment n° 95, there is an attention point in the indication of a vicious cycle between the debt increase and the country risk that can be considered in the elaboration of the next Brazilian public and economic policies. However, there is an important trade-off between the possible loss of autonomy and the national sovereignty by the monetary authority when it conforms to the recommendations of evaluating or supranational agencies that need further investigation.eng
dc.description.sponsorshipCoordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES)por
dc.language.isoporpor
dc.publisherUniversidade Federal de São Carlospor
dc.rights.uriAcesso abertopor
dc.subjectRisco-paíspor
dc.subjectSOE-RBCpor
dc.subjectInferência bayesianapor
dc.subjectDívida externapor
dc.subjectCiclos econômicospor
dc.subjectBusiness cycleseng
dc.subjectDebts, Externaleng
dc.titleAnálise do choque de risco-país sobre os ciclos econômicos brasileiros pós-regime de metas para a inflaçãopor
dc.title.alternativeAnalysis of the country risk shock on Brazilian economic cycles post-inflation targeting regimeeng
dc.typeDissertaçãopor
dc.contributor.advisor1Bragagnolo, Cassiano
dc.contributor.advisor1Latteshttp://lattes.cnpq.br/3604206454925741por
dc.creator.Latteshttp://lattes.cnpq.br/8959565493573330por
dc.description.resumoEste trabalho buscou analisar o impacto do choque de risco-país sobre os ciclos econômicos brasileiros pós-regime de metas para a inflação. Para isso, utilizou-se de um modelo SOE-RBC proposto por Schmitt-Grohé e Uribe (2003) modificado para estimar parâmetros por meio de métodos bayesianos. Os resultados obtidos sugerem que o choque de risco-país explica majoritariamente as oscilações de curto prazo da dívida externa e do investimento e pequena parte das oscilações de curto prazo do estoque de capital, enquanto as oscilações de curto prazo das demais variáveis são explicadas pelo choque de produtividade. Além disso, considera-se que um choque positivo no risco-país ou possível downgrade por uma agência de rating geraria maior impacto sobre os investimentos e a dívida externa nacional. Ao realizar uma análise de sensibilidade sobre o coeficiente de impacto da dívida externa sobre a taxa de juros, têm-se que uma menor relação entre dívida externa líquida e produto ameniza os impactos negativos sofridos por um aumento do risco-país, especialmente no produto, investimento, horas trabalhadas, salário, consumo e estoque de capital. Tendo em vista a preocupação recente no controle da trajetória da dívida pública a partir da Emenda Constitucional n° 95, há um ponto de atenção na indicação de um ciclo vicioso entre o aumento da dívida e o risco-país que pode ser considerado na elaboração das próximas políticas públicas e econômicas brasileiras. Entretanto, há um trade-off importante entre a possível perda de autonomia e a soberania nacional por parte da autoridade monetária quando se adequa às recomendações de agências avaliadoras ou supranacionais que necessita maior investigação.por
dc.publisher.initialsUFSCarpor
dc.publisher.programPrograma de Pós-graduação em Economia (Campus SOROCABA)por
dc.subject.cnpqCIENCIAS SOCIAIS APLICADAS::ECONOMIA::ECONOMIA MONETARIA E FISCAL::FINANCAS PUBLICAS INTERNASpor
dc.subject.cnpqCIENCIAS SOCIAIS APLICADAS::ECONOMIA::CRESCIMENTO, FLUTUACOES E PLANEJAMENTO ECONOMICOpor
dc.subject.cnpqCIENCIAS SOCIAIS APLICADAS::ECONOMIA::METODOS QUANTITATIVOS EM ECONOMIApor
dc.subject.cnpqCIENCIAS SOCIAIS APLICADAS::ECONOMIA::TEORIA ECONOMICApor
dc.ufscar.embargoOnlinepor
dc.publisher.addressCâmpus Sorocabapor


Arquivos deste item

Thumbnail
Thumbnail

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(s)

Mostrar registro simples