Show simple item record

dc.creatorSerra, André Hofmeister Martins
dc.date.accessioned2019-05-03T19:45:23Z
dc.date.available2019-05-03T19:45:23Z
dc.date.issued2018-05-29
dc.identifier.urihttps://repositorio.ufscar.br/handle/ufscar/11363
dc.description.abstractGlasses and supercooled liquids tend to crystallize below the melting temperature. Crystallization is a phase transformation where the atomic structure ceases to be non-crystalline and becomes periodic. The focus of this work is on the process of emergence of one or more crystalline regions in a super-cooled liquid, known as crystal nucleation. The Classical Theory of Nucleation (CNT) is one of the theoretical bases that explain this process. Experimental results and previous analyzes show that the CNT is sufficient to describe the crystal nucleation rate as a function of temperature, but only for temperatures above the maximum nucleation temperature. Another issue is the way experimental data are obtained, generally using the double-treatment technique. This technique is known to overestimate the intrinsic induction time of nucleation. The objective of this project is to investigate these two CNT problems in a rigorous way to seek a resolution for both. Our results showed that the time of the nucleation treatment has a considerable influence on the values obtained for both the stationary nucleation rate and the induction time. Therefore, experiments performed for too short times may be the cause for the disagreement (theory / experiment) found below the maximum nucleation temperature. In this work, using longer nucleation times, the obtained nucleation rates were higher than those reported in the literature and the detachment between theoretical prediction and experimental values occurred at lower temperatures.eng
dc.description.sponsorshipNão recebi financiamentopor
dc.language.isoporpor
dc.publisherUniversidade Federal de São Carlospor
dc.rights.uriAcesso abertopor
dc.subjectTaxa de nucleaçãopor
dc.subjectCristalizaçãopor
dc.subjectDissilicato de lítiopor
dc.subjectNucleação transientepor
dc.subjectNucleação estacionáriapor
dc.subjectNucleation rateeng
dc.subjectCristallizationeng
dc.subjectLithium disilicateeng
dc.subjectTransient nucleationeng
dc.subjectStationary nucleationeng
dc.titleNucleação transiente e estacionária em dissilicato de lítiopor
dc.title.alternativeTransient and stationary nucleation in vitreous lithium disilicateeng
dc.typeDissertaçãopor
dc.contributor.advisor1Zanotto, Edgar Dutra
dc.contributor.advisor1Latteshttp://lattes.cnpq.br/1055167132036400por
dc.contributor.advisor-co1Cassar, Daniel Roberto
dc.contributor.advisor-co1Latteshttp://lattes.cnpq.br/1717397276752482por
dc.creator.Latteshttp://lattes.cnpq.br/6543196529138903por
dc.description.resumoVidros e líquidos super-resfriados tendem a se cristalizar abaixo da temperatura de fusão. A cristalização é uma transformação de fase onde a estrutura atômica deixa de ser não-cristalina e passa a ser periódica. O foco deste trabalho é o processo de surgimento de uma ou mais regiões cristalinas num líquido super-resfriado, conhecido como nucleação de cristais. A Teoria Clássica da Nucleação (CNT) é uma das bases teóricas que explicam este processo. Resultados experimentais e análises anteriores mostram que a CNT é suficiente para descrever a taxa de nucleação de cristais em função da temperatura, mas apenas para temperaturas acima da temperatura de máxima nucleação. Outra problemática é a forma como os dados experimentais de nucleação são obtidos, em geral utilizando-se da técnica de tratamento duplo. Esta técnica é conhecida por superestimar o tempo de indução intrínseco da nucleação. O objetivo deste projeto é investigar estes dois problemas da CNT de forma rigorosa a fim de buscar uma resolução para ambos. Os nossos resultados mostraram que o tempo de tratamento de nucleação tem influência significativa nos valores obtidos, tanto para a taxa de nucleação estacionária como para o tempo de indução. Portanto, experimentos efetuados por tempos demasiadamente curtos podem ser a causa para o desacordo (teoria / experimento) verificado abaixo da temperatura de máxima nucleação. Neste trabalho, usando tempos de nucleação mais longos, as taxas de nucleação obtidas foram maiores do que as reportadas na literatura e o descolamento entre a previsão teórica e os valores experimentais ocorreu em temperaturas mais baixas.por
dc.publisher.initialsUFSCarpor
dc.publisher.programPrograma de Pós-Graduação em Ciência e Engenharia de Materiais - PPGCEMpor
dc.subject.cnpqENGENHARIAS::ENGENHARIA DE MATERIAIS E METALURGICA::MATERIAIS NAO METALICOSpor
dc.ufscar.embargoOnlinepor
dc.publisher.addressCâmpus São Carlospor


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record