Show simple item record

dc.creatorRodrigues, Renato Tadeu
dc.date.accessioned2019-07-30T14:09:07Z
dc.date.available2019-07-30T14:09:07Z
dc.date.issued2019-05-28
dc.identifier.urihttps://repositorio.ufscar.br/handle/ufscar/11557
dc.description.abstractOpen innovation practices promoted by Brazilian companies have gained prominence since the year 2014. This is related to the new dynamics of the world economy, driven mainly by the technological revolution and the popularization of the Internet. Conse-quently, a market is born for digital products like applications, software and hardware. In this scenario, open innovation events, known as hackathons, became popular. The present study has as general objective to analyze the reasons for Brazilian organiza-tions to perform hackathons and to identify what is done with the winning products after the event. Exploratory and of a qualitative nature, the research used case studies to achieve its objectives. We interviewed six companies that promoted hackathon events with different themes, but related to the process of digital innovation, three consultan-cies that work in the organization of hackathon and twenty individuals participating in the marathons on a voluntary basis. Among the main answers, it was observed that the events have as benefits: the improvement of the image of the organization vis-à-vis society and its stakeholder (when confronting respondents' answers); supporting the development of an organizational culture focused on innovation and the retention of new creative collaborators. Participants cite as advantages, the expansion of the network of relationships with companies and other hackathon agents, the exchange of skills and the possibility of contributing to social causes. One of the difficulties pointed out is the lack or direction of support for the implementation of the projects, since there is no post-hackathon. There are relatively few winning projects properly implemented after the event, as the researcher observed in the search for cases to illustrate the projects that continued. Problems related to infrastructure, intellectual property and the organization of marathons have also been reported.por
dc.description.sponsorshipConselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq)por
dc.language.isoporpor
dc.publisherUniversidade Federal de São Carlospor
dc.rights.uriAcesso abertopor
dc.subjectInovação. Inovação aberta. Hackathon.por
dc.titlePANORAMA DE HACKATHONS NO BRASILpor
dc.typeDissertaçãopor
dc.contributor.advisor1Guimarães, Márcia Regina Neves
dc.contributor.advisor1Latteshttp://lattes.cnpq.br/9250214706491925por
dc.creator.Latteshttp://lattes.cnpq.br/5808450426870203por
dc.description.resumoPráticas de inovação aberta promovidas por empresas brasileiras ganham destaque desde o ano de 2014. Isso está relacionado à nova dinâmica da economia mundial, impulsionada principalmente pela revolução tecnológica e pela popularização da Internet. Consequentemente, nasce um mercado para produtos digitais como aplicativos, softwares e hardwares. Nesse cenário, popularizaram-se os eventos de inovação aberta, conhecidos como hackathons. O presente estudo tem como objetivo geral analisar quais os motivos de as organizações brasileiras realizarem hackathons e o de identificar o que é feito com os produtos vencedores após a realização do evento. De caráter exploratório e de natureza qualitativa, a pesquisa utilizou-se de estudos de casos para a realização dos seus objetivos. Foram entrevistadas seis empresas que promoveram os eventos de hackathon com temas diferentes, porém relacionados ao processo de inovação digital, três consultorias que atuam na organização dos hackathon e vinte indivíduos participantes das maratonas de maneira voluntária. Entre as principais respostas constatou-se que os eventos possuem como benefícios: a melhoria na imagem da organização diante da sociedade e seus stakeholder (ao confrontar respostas dos entrevistados); o apoio ao desenvolvimento de uma cultura organizacional voltada à inovação e à retenção de novos colaboradores criativos. Participantes citam como vantagens, a ampliação da rede de relacionamentos com empresas e outros agentes do hackathon, a troca de skills e a possibilidade de contribuírem com causas sociais. Uma das dificuldades apontadas é a falta ou direcionamento do apoio para implementação dos projetos, visto que não existe um pós hackathon. São relativamente poucos os projetos vencedores devidamente implementados depois da realização do evento, como observou o pesquisador na busca de cases para ilustrar os projetos que deram continuação. Problemas relacionados à infraestrutura, propriedade intelectual e à organização das maratonas também foram relatados.por
dc.publisher.initialsUFSCarpor
dc.publisher.programPrograma de Pós-graduação em Engenharia de Produção (Campus SOROCABA)por
dc.subject.cnpqENGENHARIAS::ENGENHARIA DE PRODUCAO::ENGENHARIA DO PRODUTOpor
dc.subject.cnpqENGENHARIAS::ENGENHARIA DE PRODUCAO::ENGENHARIA ECONOMICApor
dc.subject.cnpqENGENHARIAS::ENGENHARIA DE PRODUCAO::GERENCIA DE PRODUCAOpor
dc.ufscar.embargoOnlinepor
dc.publisher.addressCâmpus São Carlospor


Files in this item

Thumbnail
Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record