Show simple item record

dc.creatorMattos, Jacqueline Salvi de
dc.date.accessioned2019-08-08T19:17:42Z
dc.date.available2019-08-08T19:17:42Z
dc.date.issued2019-05-30
dc.identifier.urihttps://repositorio.ufscar.br/handle/ufscar/11657
dc.description.abstractSince the beginning of ecology studies, scientists have been worried in exploring natural communities and how the vary across time and space, looking for patterns to describe. Mountains are often great systems to study these patterns of diversity and how environmental factors can shape them. Phylogenetic diversity, one of the ways of measuring biological diversity, incorporates the evolutionary history of species, and along with other methods of species distributions, can help in the investigation of biogeographic patterns in many scales. In the present study, we used four metrics of phylogenetics diversity and spatial structure (phylogenetic species richness, phylogenetics species variability, specific overrepresentation score and geographic node divergence) and their relationship to environmental filters, along an elevational gradient, to study the influence of niche conservatism and node allopatry. We have studied the vascular plant flora of rocky grasslands in the Cipó Mountains, located in the Espinhaço Range, Southeastern Brazil. We allocated 180 1m² plots in five areas along the altitude gradient (ranging from 800 to 1400 m) and collected all angiosperm species present in those. We also collected soil properties and declivity. The phylogenetic species variability decreased with altitude, whereas richness increased. Therefore, the clustering of species increased towards more elevated areas. Both metrics presented significate relationships with environmental variables such as pH, nitrogen, phosphorus and potassium, confirming that intensity of environmental filters have also increased with altitude. Regarding the other two metrics, we found three allopatric nodes in the phylogeny, which separates: Monocots from Eudicots, Eriocaulaceae from Poaceae, Xyridaceae from Cyperaceae. With that we could reveal the nodes with the higher degrees of environmental and geographic divergence, which could also lead to exploration of major biogeographical changes in their distributions. Finally, we concluded that there is a pattern of phylogenetic diversity and structure along the environmental gradient of the Cipó Mountains. Thus, plant species from rocky grasslands probably have their main traits conserved, and mostly, are shaped by environmental filters.eng
dc.description.sponsorshipCoordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES)por
dc.language.isoengeng
dc.publisherUniversidade Federal de São Carlospor
dc.rights.uriAcesso abertopor
dc.subjectEcologia de comunidadespor
dc.subjectDiversidade filogenéticapor
dc.subjectCampos rupestrespor
dc.subjectBiogeografiapor
dc.subjectFilogeniapor
dc.subjectSerra do Cipópor
dc.subjectPhylogenetic diversityeng
dc.subjectBiogeographyeng
dc.subjectRocky grasslandseng
dc.titlePadrões filogenéticos de comunidades vegetais em um gradiente altitudinal na Serra do Cipó, Minas Gerais, Brasilpor
dc.title.alternativePhylogenetic patterns of plant communities along an elevational gradient in the Serra do Cipó, Minas Gerais, Brazileng
dc.typeDissertaçãopor
dc.contributor.advisor1Batalha, Marco Antônio Portugal Luttembarck
dc.contributor.advisor1Latteshttp://lattes.cnpq.br/3893228815181339por
dc.creator.Latteshttp://lattes.cnpq.br/4360061354751397por
dc.description.resumoDesde o ínicio dos estudos da ecologia, cientistas se preocupam em explorar como comunidades naturais se estruturam no espaço o no tempo. Montanhas costumam ser ótimos sistemas para estudar essaes padrões de diversidade e também como os fatores ambientais podem atuar nessa estruturação. A diversidade filogenética incorpora a história evolutiva das espécies, e juntamente de outros métodos de distribuição de espécies pode ajudar na investigação de padrões biogeográficos. No presente trabalho nós utilizamos quatro métricas de diversidade filogenética e espacial (riqueza filogenética de espécies, variabilidade filogenética de espécies, escore de sobrerepresentação específica e divergência geográfica de nós) e sua relação com filtros ambientais, utilizando o gradiente de altitude da Serra do Cipó, MG, como objeto de estudo e testando a influência do conservadorismo de nicho e da alopatria de nós. Estudamos a flora vascular dos campos rupestres da Serra do Cipó, localizada na Cadeia do Espinhaço, sudeste do Brasil. Colocamos 180 quadrados de 1m² em cinco áreas ao longo do gradiente de altitude (variando de 800 a 1400m) e coletamos todas as espécies de angiospermas presentes nos mesmos. Coletamos também propriedades do solo, declividade e valores de altitude. A variabilidade filogenética de espécies diminuiu com a altitude, enquanto a riqueza filogenética de espécies aumentou. Assim, o número de espécies e a agregação filogenética aumentou em áreas mais elevadas. Ambas as métricas tiveram relações significativas com variáveis edáficas, como pH, Nitrogênio, Fósforo e Potássio, assim nos levando a afirmar que a intensidade dos filtros ambientais também aumentou com a altitude. Enquanto isso, encontramos também três nós alopátricos na filogenia, que separam: Dicotiledôneas de Monocotiledôneas, Eriocaulaceae de Poaceae e Xyridaceae de Cyperaceae. Com isso pudemos revelar os nós com maiores valores de divergência geográfica e ambiental, o que pôde revelar também as mudanças biogeográficas nas suas distribuições. Por fim, concluímos que existe um padrão de diversidade filogenética e estrutural ao longo do gradiente de altitude na Serra do Cipó e também em consequência da grande variação de propriedades do solo. Assim, as espécies vegetais de campos rupestres devem apresentar seus principais traços conservados e serem influenciadas, em maior parte, por filtros ambientais.por
dc.publisher.initialsUFSCarpor
dc.publisher.programPrograma de Pós-graduação em Ciências Ambientaispor
dc.subject.cnpqCIENCIAS BIOLOGICAS::BOTANICA::FITOGEOGRAFIApor
dc.subject.cnpqCIENCIAS BIOLOGICAS::ECOLOGIA::ECOLOGIA DE ECOSSISTEMASpor
dc.description.sponsorshipIdCAPES: Código de Financiamento 001por
dc.ufscar.embargoOnlinepor
dc.publisher.addressCâmpus São Carlospor


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record