Mostrar registro simples

dc.creatorSilva, Hugo Ribeiro da
dc.date.accessioned2016-06-02T19:22:07Z
dc.date.available2012-01-16
dc.date.available2016-06-02T19:22:07Z
dc.date.issued2011-08-01
dc.identifier.citationSILVA, Hugo Ribeiro da. Estudos hematológicos e caracterização estrutural e funcional das hemoglobinas do peixe pulmonado Lepidosiren paradoxa (Dipnoi, Fitzinger, 1837) e do peixe de respiração aérea facultativa Hoplerythrinus unitaeniatus (Characiformes, Spix, 1829). 2011. 174 f. Tese (Doutorado em Ciências Biológicas) - Universidade Federal de São Carlos, São Carlos, 2011.por
dc.identifier.urihttps://repositorio.ufscar.br/handle/ufscar/1232
dc.description.abstractThe blood cell composition in their qualitative and quantitative aspects as well as the functional properties of hemoglobin (Hb) shows characteristic of adaptation to the aquatic environment, aiding the understanding of the adaptability of the fish to the environment. The present study aimed to analyze the peripheral blood cells and the structural and functional characterization (in vitro) of hemoglobins of the South American lungfish, Lepidosiren paradoxa and facultative air-breathing fish H. unitaeniatus collected nearby Cuiaba, MT. The hematological variables, blood cell size, plasma ions, glucose and protein concentrations and the osmolality as well as the electrophoretic patterns of Hbs, the Root effect, quantification and the effect of allosteric modulators (IHP, ATP, GTP, 2.3 - BPG and NaCl) of the affinity of Hb to oxygen and Hb affinity in experiments of oxygenation in the blood stripped to and 4oC, 21oC and 40oC. The blood cells of L. paradoxa are exceptionally large and not numerous compared to H. unitaeniatus. The hematocrit and blood pH were similar in the two species. The erythrocyte number was lower in L. paradoxa (52 .103 ± 17 L-1) than in H unitaeniatus (2386 .103 ± 370 L-1). The hematimetric indexes mean corpuscular volume and mean corpuscular Hb were higher in L. paradoxa while the mean corpuscular Hb concentration and Hb concentration were higher in H. unitaeniatus. Among the white blood cells, in L. paradoxa, the lymphocytes (65.00 ± 4.00 %) were the most frequent cells, followed by eosinophils (19.00 ± 3.00 %), neutrophils (12.00 ± 2.00 %), monocytes (2.00 ± 0.60 %) and basophils (1.40 ± 0.40 %). In H. unitaeniatus lymphocytes were also the most frequent cells (85.14 ± 3.21 %) followed by neutrophils (12.00 ± 3.00 %) and monocytes (2.90 ± 1.23 %). In L. paradoxa the Mg+2, glucose and total protein plasma levels were significantly smaller than in H. unitaeniatus. There were no significant differences in the levels of K+, Ca+2, Cl- and osmolarity of plasma and between both species. Two Hb components, one major and another minor band was identified in L. paradoxa and another smaller; in H. unitaeniatus 6 anode components being 3 slow components and 3 fast component have been identified at different concentrations. In both species the stripped Hbs in three temperatures and in the presence of modulators, showed normal Bohr effect. In L. paradoxa cooperatively values were near 2.00 indicating cooperatively and absence of effect of Root; in H. unitaeniatus the cooperatively values were near 1.50, indicating low cooperatively and presence of Root effect. The affinity of Hb-oxygen proved be higher as decreased the temperature. The 2.3 - BPG was little effective in modulate the Hb in both species. The IHP ATP, GTP, and NaCl acted as negative modulators, being more effective in the modulation of Hb of H. unitaeniatus. The 2.3 - BPG was not detected in H. unitaeniatus and the ATP was the primary nucleotide intraeritrocitário for the two species being approximately 2 times higher than the GTP. In L. paradoxa was detected small amount IP2, but not in H. unitaeniatus. Our results show marked differences between the blood cells of L. paradoxa and H. unitaeniatus and the ability of adaptation of Hbs to environmental conditions to which they living.eng
dc.formatapplication/pdfpor
dc.languageporpor
dc.publisherUniversidade Federal de São Carlospor
dc.rightsAcesso Abertopor
dc.subjectFisiologiapor
dc.subjectEritrócitospor
dc.subjectLeucócitospor
dc.subjectEfeito Bohrpor
dc.subjectEfeito Rootpor
dc.subjectTrombócitospor
dc.titleEstudos hematológicos e caracterização estrutural e funcional das hemoglobinas do peixe pulmonado Lepidosiren paradoxa (Dipnoi, Fitzinger, 1837) e do peixe de respiração aérea facultativa Hoplerythrinus unitaeniatus (Characiformes, Spix, 1829)por
dc.typeTesepor
dc.contributor.advisor1Fernandes, Marisa Narciso
dc.contributor.advisor1Latteshttp://genos.cnpq.br:12010/dwlattes/owa/prc_imp_cv_int?f_cod=K4783604Y6por
dc.description.resumoA composição celular do sangue, em sua expressão quantitativa e qualitativa, bem como as propriedades funcionais das hemoglobinas apresenta aspectos característicos de adaptação ao ambiente aquático, auxiliando a compreensão da adaptabilidade dos peixes ao ambiente. O presente estudo teve como objetivo a análise do sangue periférico e a caracterização estrutural e funcional (in vitro) das hemoglobinas do peixe pulmonado Lepidosiren paradoxa e do peixe de respiração aérea facultativa Hoplerythrinus unitaeniatus coletados nos arredores de Cuiabá, MT. Para tanto foram determinadas as variáveis hematológicas, as concentrações plasmática de íons, glicose, proteínas e osmolalidade, a análise biométrica e morfológica das células sanguíneas, o padrão eletroforético das hemoglobinas, o efeito Root, a quantificação e o efeito dos moduladores alostéricos (IHP, ATP, GTP, 2,3 - BPG e NaCl) na modulação da afinidade das hemoglobinas ao oxigênio e a afinidade das hemoglobinas em experimentos de equilíbrio de oxigenação em sangue e stripped à 4oC, 21oC e 40oC. As células sanguíneas de L. paradoxa são excepcionalmente grandes e pouco numerosas comparadas as de H. unitaeniatus. Os valores de hematócrito e pH sanguíneo foram similares nas duas espécies. O número de eritrócitos foi mais baixo em L. paradoxa (52 103 ± 17 L-1) do que em H. unitaeniatus (2386 103 ± 370 L-1). Os índices hematimétricos, volume corpuscular médio e hemoglobina corpuscular média foram maiores em L. paradoxa enquanto que a concentração de hemoglobina corpuscular média e a concentração de hemoglobina foram maiores em H. unitaeniatus. Dentre os leucócitos, em L. paradoxa os linfócitos (65,00 ± 4,00 %) foram os mais freqüentes, seguidos dos eosinófilos (19,00 ± 3,00 %), neutrófilos (12,00 ± 2,00 %), monócitos (2,00 ± 0,60 %) e basófilos (1,40 ± 0,40 %). Em H. unitaeniatus os linfócitos também foram os mais freqüentes (85,14 ± 3,21 %) seguidos dos neutrófilos (12,00 ± 3,00 %) e monócitos (2,90 ± 1,23 %). Em L. paradoxa os níveis plasmáticos de Na+, Mg+2, glicose e proteínas totais foram significativamente menores aos observados em H. unitaeniatus. Não houve diferenças significativas nos valores de K+, Ca+2, Cl- e osmolaridade plasmática entre as duas espécies. O padrão eletroforético em gel de amido para L. paradoxa, mostrou a presença de dois componentes, um maior lento, e outro menor rápido, em H. unitaeniatus foram identificados 6 componentes anódicos com diferentes concentrações, sendo 3 componentes lentos e 3 componentes rápidos. Nas espécies estudadas as hemoglobinas stripped nas três temperaturas e na presença dos moduladores, mostraram efeito Bohr normal. Em L. paradoxa os valores de Hill foram próximos de 2,00 indicando cooperatividade e ausência de efeito Root; em H. unitaeniatus os valores de Hill próximos de 1,50, indicaram baixa cooperatividade e presença de efeito Root. A afinidade das hemoglobinas ao oxigênio mostrou-se maior à medida que se diminuiu a temperatura. O 2,3 - BPG foi pouco efetivo na modulação das hemoglobinas de ambas as espécies, já os moduladores IHP, GTP, ATP e NaCl atuaram como moduladores negativos, sendo a modulação mais efetiva em H. unitaeniatus. Não detectamos 2,3 - BPG e o ATP foi o principal nucleotídeo intra-eritrocitário para as duas espécies sendo aproximadamente 2 vezes superior ao GTP. Em L. paradoxa foi detectado pequena quantidade IP2, em H. unitaeniatus não detectamos a presença de inositóis. Os resultados mostram diferenças marcantes entre as células de L. paradoxa e H. unitaeniatus e a capacidade de adaptação molecular das hemoglobinas destas espécies às condições fisiológicas e ambientais a que estão sujeitas.por
dc.publisher.countryBRpor
dc.publisher.initialsUFSCarpor
dc.publisher.programPrograma de Pós-graduação em Ciências Fisiológicaspor
dc.subject.cnpqCIENCIAS BIOLOGICAS::FISIOLOGIApor


Arquivos deste item

Thumbnail

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(s)

Mostrar registro simples