Show simple item record

dc.creatorMariano, Wagner dos Santos
dc.date.accessioned2016-06-02T19:22:46Z
dc.date.available2007-10-19
dc.date.available2016-06-02T19:22:46Z
dc.date.issued2006-03-10
dc.identifier.citationMARIANO, Wagner dos Santos. Respostas fisiológicas e bioquímicas do jeju Hoplerythrinus unitaeniatus (Characiformes, Erythrinidae) a exposição aérea.. 2006. 88 f. Dissertação (Mestrado em Ciências Biológicas) - Universidade Federal de São Carlos, São Carlos, 2006.por
dc.identifier.urihttps://repositorio.ufscar.br/handle/ufscar/1277
dc.description.abstractThe physiological and biochemical responses to air exposure were analyzed in jeju, Hoplerythrinus unitaeniatus at 1(T1), 6 (T6) and 12 (T12) hours of exposure and 1 (TR1) e 6 (TR6) hours after returning to water environment. Plasma cortisol and glucose were significantly higher than those of control group (T0) after 1 and 6 hours and 1, 6 and 12 hours of air exposure, respectively. Acid-base and ionic unbalances during air exposure were evidenced by plasma pH and Na+ and K+ concentration following pH recovery as fish returned to water environment. Ammonia accumulation was found in all experimental groups increasing continuously during air exposure (from 102.20 nmol/mL in T0 to 339.53 nmol/mL in T12). During the recovery period in water there was a reduction in plasma ammonia concentration but it was significantly higher than the controls. Plasma lactate showed a slightly increase during air exposure and was significantly higher than the controls only 1 hour after recovery in water (from 4115.42 nmol/mL in T0 to 6423.84 nmol/mL in TR1) while piruvate increased after 6 hour in water (from 171.87 nmol/mL in T0 para 243.96 nmol/mL in TR6). Hematocrit, red blood cells, hemoglobin concentration and mean corpuscular hemoglobin concentration increased significantly during air exposure. On the first hour of air exposure the lipid hydroperoxide (HP) increased. There was a reduction of catalase (CAT) and superoxide dismutase (SOD) activity and an increase of glutathione peroxidase (GPX) during air exposure. Air exposure can be characterized as an stressor agent to H. unitaeniatus and imply in physiological adjustments to keep the O2 transfer from air to tissue and homeostasis as well as energy mobilization.eng
dc.description.sponsorshipFinanciadora de Estudos e Projetos
dc.formatapplication/pdfpor
dc.languageporpor
dc.publisherUniversidade Federal de São Carlospor
dc.rightsAcesso Abertopor
dc.subjectFisiologia comparadapor
dc.subjectEstressepor
dc.subjectHoplerythrinus unitaeniatuspor
dc.subjectMetabolismo oxidativopor
dc.subjectPeixepor
dc.titleRespostas fisiológicas e bioquímicas do jeju Hoplerythrinus unitaeniatus (Characiformes, Erythrinidae) a exposição aéreapor
dc.typeDissertaçãopor
dc.contributor.advisor1Fernandes, Marisa Narciso
dc.contributor.advisor1Latteshttp://genos.cnpq.br:12010/dwlattes/owa/prc_imp_cv_int?f_cod=K4783604Y6por
dc.description.resumoAs respostas fisiológicas e bioquímicas de jeju, Hoplerythrinus unitaeniatus a exposição ao ar foram analisadas após 1(T1), 6 (T6) e 12 (T12) horas de exposição ao ar e 1 (TR1) e 6 (TR6) horas após o retorno ao ambiente aquático. As concentrações plasmáticas de cortisol e glicose foram significativamente maiores que as do grupo controle (T0) em 1 e 6 horas e 1, 6 e 12 horas em exposição ao ar, respectivamente. Desequilíbrio iônico e ácido-base durante exposição aérea foram evidenciados pela redução do Na+ e K+ plasmático e pH com subseqüente restauração do equilíbrio ácidobase quando o animal retornou ao meio aquático. Acúmulo de amônia foi observado em todos os grupos experimentais, aumentando progressivamente durante a exposição ao ar de 102,20 nmol/mL em T0 para 339,53 nmol/mL em T12. Durante recuperação em meio aquático, a amônia mostrou tendência a diminuir mas ainda foi significativamente maior do que a do grupo controle. A concentração de lactato mostrou tendência a aumento durante a exposição aérea, mais foi significativamente maior apenas após 1h de recuperação em meio aquático (de 4115,42 nmol/mL em T0 para 6423, 84 nmol/mL no grupo TR1) enquanto que o piruvato aumentou após 6 horas de recuperação (de 171,87 nmol/mL no T0 para 243,96 nmol/mL no TR6) no meio aquático. O hematócrito, número de eritrócitos, concentração de hemoglobina e concentração de hemoglobina corpuscular média aumentaram significativamente nos animais expostos ao ar atmosférico. Durante a primeira hora de exposição ao ar houve aumento de hidroperóxidos de lipídeos (HP). Durante a exposição aérea ocorreu diminuição da atividade da catalase (CAT) e da superóxido dismutase (SOD) e aumento da atividade glutationa peroxidase (GPX). A exposição ao ar atmosférico pode ser caracterizada como um agente estressor para H. unitaeniatus e implica em ajustes fisiológicos para manter a transferência do O2 atmosférico para os tecidos e a homeostase e mobilização de energia.por
dc.publisher.countryBRpor
dc.publisher.initialsUFSCarpor
dc.publisher.programPrograma de Pós-graduação em Ciências Fisiológicaspor
dc.subject.cnpqCIENCIAS BIOLOGICAS::FISIOLOGIA::FISIOLOGIA COMPARADApor


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record