Mostrar registro simples

Subtipos de receptores colinérgicos centrais envolvidos na salivação, ingestão de água e resposta pressora induzidas pela pilocarpina injetada perifericamente

dc.creatorBorella, Thais Leoni
dc.date.accessioned2016-06-02T19:22:48Z
dc.date.available2008-05-05
dc.date.available2016-06-02T19:22:48Z
dc.date.issued2008-04-08
dc.identifier.citationBORELLA, Thais Leoni. Subtipos de receptores colinérgicos centrais envolvidos na salivação, ingestão de água e resposta pressora induzidas pela pilocarpina injetada perifericamente. 2008. 69 f. Dissertação (Mestrado em Ciências Biológicas) - Universidade Federal de São Carlos, São Carlos, 2008.por
dc.identifier.urihttps://repositorio.ufscar.br/handle/ufscar/1291
dc.description.abstractThe study of sialagog drugs has a relevant clinical interest for its use in patients with reduced salivatory secretion. Cholinergic agonists are a type of sialagog drug and pilocarpine is the most important cholinergic agonist drug. It is known that pilocarpine-direct action in salivatory glands muscarinic cholinergic receptors stimulate salivatory secretion. However, recent studies from our laboratory have shown that salivation induced by periferic pilocarpine seems to be dependent from central muscarinic activation. The pilocarpine-intense salivation is the well known main effect of this drug but side effects as cardiovasculars alterations and dipsogenesis are observed. Periferic injection of muscarinic agonists usually decreases periferic resistence and arterial pressure but pilocarpine-intraperitoneal (ip) injection induces an inesperate long-term pressor response associated with enhancement in mesenteric vascular resistence and salivatory glands vasodilatation, without changes in esqueletic musculature vascular resistence or heart rate. The ip pilocarpine-pressor response is atributed to an central action of this sialagog drug. The aim of the present study was to investigate central muscarinic cholinergic receptors subtype involved in salivation, water intake and pressor response induced by ip or intravenous (iv) pilocarpine injection. In addiction, the central activation induced by ip injection of pilocarpine and muscarinic receptors subtype antagonist were investigated by Fos-immunoreactivity (Fos-ir). Adult male Holtzman rats (250-300 g) with stainless steel cannulas implanted in the lateral ventricle (LV) were used. Intracerebroventricular (icv) injection of pirenzepine (M1 subtype muscarinic receptor), methoctramine (M2/M4 subtype muscarinic receptor), 4-DAMP (M1/M3 subtype muscarinic receptor) or tropicamide (M4 subtype muscarinic receptor) was performed to investigate its effect on salivation, water intake and pressor response-induced pilocarpine ip injection (4 µmol/kg of body weight (bw)). The salivation was determined in ketamine- (100 mg/kg bw) anesthetized rats using previous weighted cotton balls into oral cavity for 7 minutes. Arterial pressure and heart rate were recorded in non-anesthetized rats submitted to previous femoral artery cannulation. Fos-ir was investigated after ip injection of only pilocarpine or pilocarpine combined with pre-treatment of 4-DAMP, M1/M3 subtype muscarinic antagonist which was more efficient to block salivatory, dipsogenic and cardiovascular responses induced by ip pilocarpine. Salivatory response due to ip pilocarpine varied between 476 ± 54 to 718 ± 61 mg/7 min and was reduced by icv injection of 25, 50, 100 and 250 nmol 4-DAMP, respectively: 425.13 ± 89.73, 376.76 ± 28.01, 261.00 ± 38.28, 230.85 ± 68.61 mg/7 min. Icv injection of 0.1 and 1.0 nmol pirenzepine (0.77 ± 0.30 and 1.05 ± 0.54 ml/60 min, respectively), 50 nmol methoctramine (0.89 ± 0.30 ml/60 min) or 5 and 10 nmol 4- DAMP (1.43 ± 0.57 and 2.19 ± 0.66 ml/60 min, respectively) reduced dipsogenic effect-induced ip pilocarpine, which ranged between 3.20 ± 0.70 to 5.90 ± 1.30 ml/60 min. The pressor response-induced by ip pilocarpine varied between 40 ± 5 to 53 ± 4 mmHg and was decreased by icv injection of 100 nmol pirenzepine (9.00 ± 7.00 mmHg) or 25 and 50 nmol 4-DAMP (14.00 ± 7.00 and 3.00 ± 6.00 mmHg, respectively). Pilocarpine increased Fos-ir only in the supra-optic nuclei (SON), but not in other encephalic areas such as septal or medial lateral areas, paraventricular nuclei, subfornical nuclei, organnum vasculosum of lamina terminalis, median pre-optic nuclei had not alter its activation. The enhancement on Fos-ir in the SON induced by pilocarpine (12.8 ± 2.4 positive cell nuclei/10-2 mm2) was reduced by pre-treatment with 25 nmol 4-DAMP (3.26 ± 1.62 positive cell nuclei/10-2 mm2). Taken all together, M3 subtype central muscarinic receptor plays a role in salivation, M1 and M2 subtype central are involved in dipsogenic and M1 subtype central is involved in pressor response induced by pilocarpine. The role of central muscarinic receptor M3 subtype on dipsogenic and pressor response is not clear due to the fact 4-DAMP is not a specific antagonist, that binds M1 and M3 subtype muscarinic receptors. In addiction, these results suggest that responses evoked by periferic injection of 4 µmol/kg bw of pilocarpine could occur due to its activation through SON.eng
dc.description.sponsorshipUniversidade Federal de Minas Gerais
dc.formatapplication/pdfpor
dc.languageporpor
dc.publisherUniversidade Federal de São Carlospor
dc.rightsAcesso Abertopor
dc.subjectPilocarpinapor
dc.subjectSalivaçãopor
dc.subjectIngestão de águapor
dc.subjectPressão arterial regulaçãopor
dc.titleSubtipos de receptores colinérgicos centrais envolvidos na salivação, ingestão de água e resposta pressora induzidas pela pilocarpina injetada perifericamentepor
dc.titleSubtipos de receptores colinérgicos centrais envolvidos na salivação, ingestão de água e resposta pressora induzidas pela pilocarpina injetada perifericamentepor
dc.typeDissertaçãopor
dc.contributor.advisor1Menani, José Vanderlei
dc.contributor.advisor1Latteshttp://genos.cnpq.br:12010/dwlattes/owa/prc_imp_cv_int?f_cod=K4780462A5por
dc.creator.Latteshttp://lattes.cnpq.br/9799044075192147por
dc.description.resumoO estudo de substâncias sialagogas tem interesse clínico pela utilidade que elas têm em pacientes com reduzida secreção salivar. Entre essas substâncias destacam-se os agonistas colinérgicos e entre esses, um dos mais importantes é a pilocarpina. Embora uma ação direta da pilocarpina em receptores colinérgicos muscarínicos das glândulas salivares estimulando a secreção salivar seja um mecanismo bastante aceitável e que parece adequado, estudos mais recentes de nosso laboratório têm demonstrado que grande parte da salivação induzida pela injeção mesmo periférica de pilocarpina parece depender da ativação de receptores muscarínicos cerebrais. Embora um dos efeitos mais conhecidos da pilocarpina seja a intensa salivação, injetada perifericamente em doses baixas ela também produz efeitos cardiovasculares e induz ingestão de água. Apesar dos agonistas muscarínicos injetados perifericamente usualmente reduzirem a resistência periférica e a pressão arterial, a injeção intraperitoneal (ip) de pilocarpina induz uma inesperada resposta pressora de longa duração, que está associada a um aumento da resistência vascular mesentérica, vasodilatação nas glândulas salivares, mas sem mudanças na resistência vascular da musculatura esquelética ou na freqüência cardíaca. Essa resposta pressora da pilocarpina injetada ip também é atribuída a uma ação central. A proposta do presente estudo foi investigar os subtipos de receptores colinérgicos muscarínicos centrais envolvidos na salivação, ingestão de água e nas respostas pressoras induzidas pela injeção ip ou intravenosa (iv) de pilocarpina em ratos. Adicionalmente, as áreas cerebrais ativadas pela pilocarpina injetada ip, assim como os subtipos de receptores muscarínicos centrais envolvidos na ativação das áreas cerebrais foram investigados utilizando-se a expressão da proteína c-fos. Para tal estudo foram utilizados ratos Holtzman (250 - 350 gramas) com cânulas de aço inoxidável implantadas no ventrículo lateral (VL) nos quais foram investigados os efeitos da injeção prévia no VL de pirenzepina (antagonista muscarínico M1), metoctramina (antagonista muscarínico M2 e M4), 4-DAMP (antagonista muscarínico M1 e M3) e tropicamide (antagonista muscarínico M4) sobre a salivação, ingestão de água e respostas pressoras induzidas pela injeção ip ou iv de pilocarpina (4 µmol/kg de peso corporal). A salivação foi determinada em ratos anestesiados com ketamina (100 mg/kg de peso corporal) utilizando-se bolas de algodão previamente pesadas colocadas na cavidade oral durante 7 minutos. A pressão arterial e freqüência cardíaca foram registradas em ratos não anestesiados submetidos a canulação prévia da artéria femoral. A expressão de c-fos nas áreas centrais foi investigada após a injeção ip de pilocarpina sozinha ou combinada com o pré-tratamento com o antagonista 4-DAMP que se mostrou mais eficiente em bloquear os efeitos da pilocarpina na salivação, ingestão de água e respostas cardiovasculares. A salivação induzida pela pilocarpina ip variou de 476 ± 54 a 718 ± 61 mg/7 min e foi reduzida apenas pelo prétratamento icv com 4-DAMP (25, 50, 100 e 250 nmol) com variações de 425,13 ± 89,73; 376,76 ± 28,01; 261,00 ± 38,28 e 230,85 ± 68,61 mg/7 min, respectivamente. A resposta dipsogênica induzida pela injeção ip pilocarpina que variou de 3,2 ± 0,74 a 5,93 ± 1,34 ml/60 min foi reduzida pela injeção icv de 0,1 e 1,0 nmol de pirenzepina (0,77 ± 0,30 and 1,05 ± 0,54 ml/60 min, respectivamente), 50 nmol de metoctramina (0,89 ± 0,30 ml/60 min) ou 5 e 10 nmol de 4-DAMP (1,43 ± 0,57 e 2,19 ± 0,66 ml/60 min, respectivamente). A resposta pressora induzida pela pilocarpina iv teve uma variação de 40 ± 5 a 53 ± 4 mmHg e foi reduzida pelo pré-tratamento de 100 nmol de pirenzepina (9,00±7,00 mmHg) ou 25 e 50 nmol de 4-DAMP (14,00 ± 7,00 e 3,00 ± 6,00 mmHg, respectivamente) injetados no VL. Após a injeção ip de pilocarpina ocorreu aumento da expressão da proteína fos no núcleo supra-óptico, mas não em outras áreas prosencefálicas como área septal lateral (ASL), área septal medial (ASM), núcleo paraventricular (PVN), núcleo subfornicial (SFO), órgão vasculoso da lamina terminal (OVLT), núcleo pré-óptico mediano (MnPO). O aumento da expressão de c-fos no núcleo supra-óptico produzida pela injeção ip de pilocarpina foi de 12,8 ± 2,4 células cfos positivas/10-2 mm2 e este aumento foi reduzido pelo prévio tratamento com 25 nmol de 4-DAMP (3,26 ± 1,62 células c-fos positivas/10-2 mm2). Os resultados sugerem que ocorre o envolvimento de receptores muscarínicos centrais M3 na salivação induzida pela pilocarpina. Os receptores muscarínicos centrais M1 e M2 estariam envolvidos na ingestão de água e os receptores centrais M1 estariam envolvidos na resposta pressora. O envolvimento dos recepores muscarinicos M3 nas respostas dipsogênica e pressora não é claro devido ao 4-DAMP ser um antagonista para receptores M1 e M3. Sugere-se também que as respostas apresentadas pela injeção de pilocarpina periférica (4 µmol/kg de peso corporal) seriam decorrência da ativação do núcleo supra-óptico (SON).por
dc.publisher.countryBRpor
dc.publisher.initialsUFSCarpor
dc.publisher.programPrograma de Pós-graduação em Ciências Fisiológicaspor
dc.subject.cnpqCIENCIAS BIOLOGICAS::FISIOLOGIApor


Arquivos deste item

Thumbnail

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(s)

Mostrar registro simples