Show simple item record

dc.creatorStori, Fernanda Terra
dc.date.accessioned2016-06-02T19:29:43Z
dc.date.available2012-04-04
dc.date.available2016-06-02T19:29:43Z
dc.date.issued2010-10-29
dc.identifier.citationSTORI, Fernanda Terra. Adaptatividade e resiliência no sistema socioecológico da comunidade caiçara da Ilha Diana, município de Santos-SP. 2010. 241 f. Tese (Doutorado em Ciências Biológicas) - Universidade Federal de São Carlos, São Carlos, 2010.por
dc.identifier.urihttps://repositorio.ufscar.br/handle/ufscar/1749
dc.description.abstractIn this study we present the case of Ilha Diana caiçara community (Santos, Brazil), which is passing through significant transformations as the artisanal fishing activity declines and the industrial-port complex expands through this territory. We discuss which elements configure adaptability and resilience to the social-ecological system that evolves the Ilha Diana caiçara community in order to build resilience. The aims were the qualitative identification of caiçara cultural aspects, of social mechanisms and management traditional practices of the fishing resources and their transformations (1), as well as the analysis of the social-technological net logique d action composed by the emergent controversy of the environmental licensing of a modern port terminal (2). Proceeding the first analysis, we adopted an ethnoecological approach interviewing 20 Ilha Diana inhabitants (9% of the resident population), with ages varying from 18 to 90 years, respecting the equity between genders. Proceeding the second analysis, ten social stakeholders evolved at the controversy of port expansion were interviewed. Particular aspects of caiçara culture were identified at Ilha Diana territory, as its social organization linked to fishery and the self-recognition of this culture. We identified seven fishing management practices based on the local ecological knowledge, four social mechanisms connected to those practices, three innovation technological practices and the extinction of a traditional practice of selective fishery. The intergenerational loss of ecological knowledge and its linked social mechanisms can decrease resilience in this social-ecological system. However, the social mechanisms here identified may be a counterbalance to the negative aspects of crisis, promoting the re-organization of the system. We also noticed that the commercial and industrial logique d action , dominant worldviews within the ambit of the studied territory exert a negative influence for the maintenance of fishing practices and caiçara social mechanisms of Ilha Diana. The civic, domestic and opinion logics are only the counterpoint to the dominant views, as social-environmental conditions to licensing process of significant environmental impact undertakings. Thus we could not observe a real translation process of the analyzed licensing merely a process of negotiating conditions resulting in suspicions and conflicts which demonstrated that the concerning net is not wide, strengthened, attentive and clear. Then, we conclude that the promotion of resilience within the ambit of the studied social-ecological system will depend on the adaptive ability of the community, starting with sustainable socioeconomic practices, as, for instance, those based on their cultural upgrading. We think that it will also depend on debates with wide popular participation about the Santos estuarine portuary development projects, on a clear way, in terms of strengthening the concerning nets and elevate the vigilance upon them.eng
dc.description.sponsorshipUniversidade Federal de Sao Carlos
dc.formatapplication/pdfpor
dc.languageporpor
dc.publisherUniversidade Federal de São Carlospor
dc.rightsAcesso Abertopor
dc.subjectEcologia humanapor
dc.subjectBrasil - caiçaras - culturapor
dc.subjectZona costeirapor
dc.subjectExpansão portuáriapor
dc.subjectSociologia da traduçãopor
dc.subjectResiliência socioecológicapor
dc.subjectPesca artesanalpor
dc.subjectLógicas de açãopor
dc.subjectArtisanal fishingeng
dc.subjectCaiçara cultureeng
dc.subjectSocial-ecological resilienceeng
dc.subjectSociology of translationeng
dc.subject Logiques D Action , Port expansioneng
dc.subjectCoastal Zoneeng
dc.titleAdaptatividade e resiliência no sistema socioecológico da comunidade caiçara da Ilha Diana, município de Santos-SPpor
dc.typeTesepor
dc.contributor.advisor1Nordi, Nivaldo
dc.contributor.advisor1Latteshttp://genos.cnpq.br:12010/dwlattes/owa/prc_imp_cv_int?f_cod=K4792470U2por
dc.description.resumoApresentamos neste estudo o caso da comunidade caiçara da Ilha Diana, a qual passa por transformações devido ao declínio da pesca artesanal e à expansão do complexo industrialportuário no estuário de Santos - SP. Discutimos quais elementos configuram adaptatividade e resiliência no sistema socioecológico que envolve a comunidade da Ilha Diana para que a sustentabilidade seja construída. Para tal, foram objetivos: (1) a identificação qualitativa dos aspectos da cultura caiçara, dos mecanismos sociais e práticas tradicionais de manejo dos recursos pesqueiros e suas transformações; (2) a analise das lógicas de ação da rede sociotécnica formada pela emergência da controvérsia do licenciamento ambiental de um moderno terminal portuário. Para a primeira análise, nos valemos de uma abordagem etnoecológica entrevistando 20 residentes da Ilha Diana (9% da população total), com idades variando de 18 a 90 anos, respeitando-se a equidade entre gêneros. Para a segunda análise, foram entrevistados dez atores sociais envolvidos na controvérsia da expansão portuária. Foram identificados aspectos próprios da cultura caiçara no território da Ilha Diana, como sua organização social interligada à pesca e o auto-reconhecimento de sua cultura. Identificamos sete práticas de manejo pesqueiro baseadas no conhecimento ecológico local, quatro mecanismos sociais atrelados às tais práticas, três processo de inovação tecnológica e a extinção de uma prática de pesca tradicional seletiva. A perda intergeracional de conhecimento ecológico e dos mecanismos sociais atrelados pode ocasionar na redução de resiliência. Todavia, os mecanismos sociais identificados poderão contrabalançar aspectos negativos do processo de mudança e crise, promovendo a reorganização do sistema. Também identificamos que as lógicas de ação comerciais e industriais, visões de mundo dominantes no território estudado, interferem negativamente na manutenção das práticas pesqueiras e mecanismos sociais caiçaras da Ilha Diana. As lógicas cívica, doméstica e de opinião apenas exercem o contraponto às visões dominantes, na forma de condicionantes socioambientais aos processos de licenciamento de empreendimentos com significativo impacto ambiental. Desta forma, não foi observado um real processo de tradução do licenciamento analisado, apenas um processo de negociação de condicionantes, que resultou em desconfianças, conflitos, demonstrando que a rede em questão não é ampla, fortalecida, vigilante e transparente. Conclui-se que a promoção de resiliência no sistema socioecológico estudado dependerá da capacidade adaptativa da comunidade, a partir de práticas socioeconômicas sustentáveis, como aquelas baseadas na valorização de sua cultura. Dependerá também de que os projetos de expansão portuária no estuário de Santos sejam debatidos com ampla participação popular, de forma transparente, com vistas a fortalecer as redes e elevar sua vigilância.por
dc.publisher.countryBRpor
dc.publisher.initialsUFSCarpor
dc.publisher.programPrograma de Pós-graduação em Ecologia e Recursos Naturaispor
dc.subject.cnpqCIENCIAS BIOLOGICAS::ECOLOGIApor


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record