Show simple item record

dc.creatorSantos, Ariene Angelini dos
dc.date.accessioned2016-06-02T19:48:15Z
dc.date.available2010-01-19
dc.date.available2016-06-02T19:48:15Z
dc.date.issued2009-12-15
dc.identifier.citationSANTOS, Ariene Angelini dos. Idosos com alterações cognitivas : um estudo sobre a funcionalidade familiar em contexto de pobreza. 2009. 185 f. Dissertação (Mestrado em Ciências da Saúde) - Universidade Federal de São Carlos, São Carlos, 2009.por
dc.identifier.urihttps://repositorio.ufscar.br/handle/ufscar/3210
dc.description.abstractElderly Brazilians with cognitive impairments normally get cares of their family members. Nowadays, family has been suffering changes on its structure and on its functioning that can compromise this cares, especially in poverty contexts. This worksheet had the main goal of analyze the family functioning of the elderly Brazilians with cognitive impairments that are from the Family health units from the city of São Carlos - SP and that lives in impoverished neighborhoods. Based on the presupposed quantity inquiry methods, were realized individual interviews and at home with elderly and their family members. All ethical guidelines for research were followed. They have been put on the "Critério Brasil" , the Genogram , the Mini Mental State Exam, the Family APGAR, Katz Index and Pfeffer Functional activities questionnaire. Statistics methods were used for the data analysis. The results indicate that elderly that lives in poverty context are mainly, female (77%), from 71 and 75 years old (33%), married (60%), without education (51%), are independent (96%) for basic daily life activities and dependent (58%) for instrumental daily life activities. If we take a look at the poor elderly family functioning, we can see that 62% of the women and 95% of the men rated their family functioning as good , 21% of the women and 5% of the men reported moderate family dysfunction and only women (17%) reported high levels of dysfunction. There was influence of gender and there wasn´t from age at the Family APGAR results. These data may help in implantation of the cares line for elderly with cognitive impairments at the city on the field Family Health Strategie, especially by the fact that the elderly brazilians care is most of the times made by famales family members.eng
dc.description.sponsorshipUniversidade Federal de Minas Gerais
dc.formatapplication/pdfpor
dc.languageporpor
dc.publisherUniversidade Federal de São Carlospor
dc.rightsAcesso Abertopor
dc.subjectEnfermagempor
dc.subjectIdosospor
dc.subjectDemênciapor
dc.subjectRelações familiarespor
dc.subjectPrograma Saúde da Famíliapor
dc.titleIdosos com alterações cognitivas : um estudo sobre a funcionalidade familiar em contexto de pobrezapor
dc.typeDissertaçãopor
dc.contributor.advisor1Pavarini, Sofia Cristina Iost
dc.contributor.advisor1Latteshttp://lattes.cnpq.br/1983620301963081
dc.creator.Latteshttp://lattes.cnpq.br/1334146454214813por
dc.description.resumoIdosos com alterações cognitivas geralmente recebem cuidados de seus familiares. Atualmente, a família vem sofrendo mudanças na sua estrutura e no seu funcionamento que podem comprometer esse cuidado, especialmente em contextos de pobreza. Este trabalho teve por objetivo analisar a funcionalidade familiar de idosos com alterações cognitivas, cadastrados em Unidades de Saúde da Família do município de São Carlos-SP e que moram em contextos de pobreza. Baseado nos pressupostos da pesquisa quantitativa foram realizadas entrevistas individuais e domiciliárias com os idosos e seus familiares. Todos os cuidados éticos foram observados. Foram aplicados o Critério Brasil, o Genograma, o Mini - Exame do Estado Mental, o APGAR de Família, o Índice de Katz e o Questionário de Atividades Funcionais de Pfeffer. Métodos estatísticos foram empregados para a análise dos dados. Os resultados mostram que os idosos que vivem em contexto de pobreza são, predominantemente, do sexo feminino (77%), da faixa etária de 71 a 75 anos (33%), casados (60%), analfabetos (51%), moram em lares multigeracionais, são independentes (96%) para as atividades básicas de vida diária e dependentes (58%) para as atividades instrumentais de vida diária. Em relação à funcionalidade familiar dos idosos pobres entrevistados, verificou-se que 62% das mulheres e 95% dos homens apresentam boa funcionalidade familiar, 21% das mulheres e 5% dos homens moderada disfunção familiar e apenas as mulheres apresentam elevada disfunção familiar, perfazendo 17%. Houve influência do gênero e não houve influência da idade nos resultados do APGAR de Família. Esses dados poderão auxiliar na implantação de uma linha de cuidado a idosos com alterações cognitivas no município no âmbito da Estratégia de Saúde da Família, especialmente pelo fato de que o cuidado destinado a idosos no Brasil é realizado na maioria das vezes por familiares do sexo feminino.por
dc.publisher.countryBRpor
dc.publisher.initialsUFSCarpor
dc.publisher.programPrograma de Pós-graduação em Enfermagempor
dc.subject.cnpqCIENCIAS DA SAUDE::ENFERMAGEMpor


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record