Mostrar registro simples

dc.creatorRamdohr Sobrinho, Ellen Cristine
dc.date.accessioned2016-06-02T19:48:25Z
dc.date.available2014-08-29
dc.date.available2016-06-02T19:48:25Z
dc.date.issued2014-06-06
dc.identifier.citationRAMDOHR SOBRINHO, Ellen Cristine. Avaliação da transferência de política do tratamento diretamente observado para tuberculose em Ribeirão Preto/SP: visão dos profissionais de saúde. 2014. 99 f. Dissertação (Mestrado em Ciências da Saúde) - Universidade Federal de São Carlos, São Carlos, 2014.por
dc.identifier.urihttps://repositorio.ufscar.br/handle/ufscar/3275
dc.description.sponsorshipUniversidade Federal de Minas Gerais
dc.formatapplication/pdfpor
dc.languageporpor
dc.publisherUniversidade Federal de São Carlospor
dc.rightsAcesso Abertopor
dc.subjectTuberculosepor
dc.subjectTerapia diretamente observadapor
dc.subjectServiços de saúdepor
dc.subjectEnfermagempor
dc.titleAvaliação da transferência de política do tratamento diretamente observado para tuberculose em Ribeirão Preto/SP: visão dos profissionais de saúdepor
dc.typeDissertaçãopor
dc.contributor.advisor1Figueiredo, Rosely Moralez de
dc.contributor.advisor1Latteshttp://lattes.cnpq.br/2597491235073085por
dc.creator.Latteshttp://lattes.cnpq.br/3572553924234608por
dc.description.resumoA tuberculose é considerada um grande problema de saúde pública no mundo, sendo o Brasil classificado como o 16ª país de maior incidência da doença. Para reverter e priorizar esse quadro foi lançada a estratégia DOTS, na qual se recomenda a implantação do Tratamento Diretamente Observado (TDO) para o controle da doença. Compreender o modo como as políticas públicas, em especial o TDO, estão sendo implementadas e transferidas para a realidade brasileira mostra-se muito importante visto que estas afetam a rotina diária de inúmeros serviços de saúde. Portanto, este estudo tem como objetivo analisar a transferência de política do tratamento diretamente observado no município de Ribeirão Preto/SP. Espera ainda analisar e compreender o processo de transferência dessa política do TDO segundo a vivência dos profissionais de saúde na implementação dessa política em sua rotina, tomando como análise três dimensões que perpassam a transferência de políticas: informação, conhecimento e inovação. Trata-se de um estudo transversal, no qual participaram todos os profissionais de saúde que atuam junto ao TDO no município. Os dados foram coletados através de dois instrumentos. A maioria dos profissionais era do sexo feminino (80,8%), possuindo de 41 a 50 anos (50%), sendo a maioria pertencente à equipe de enfermagem (69,2%) e com média de tempo de serviço de 10,5 anos. Foram encontradas dificuldades principais em relação às discussões sobre o TDO com a população, treinamentos e capacitações, participação dos doentes na elaboração do plano de cuidado individual, autonomia na escolha da modalidade de tratamento, criação de novas estratégias para trabalhar com o TDO e utilização de recursos comunitários. Na comparação das médias obtidas junto com as variáveis sociodemográficas observou-se associação estatística em relação aos fatores idade, função e tempo de serviço. Os resultados deste estudo evidenciaram que existem algumas fragilidades em relação ao TDO no município. Além disso, também concluiu que a Transferência de Política, segundo os profissionais de saúde, ocorreu de forma voluntária no município.por
dc.publisher.countryBRpor
dc.publisher.initialsUFSCarpor
dc.publisher.programPrograma de Pós-graduação em Enfermagempor
dc.subject.cnpqCIENCIAS DA SAUDE::ENFERMAGEMpor


Arquivos deste item

Thumbnail

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(s)

Mostrar registro simples