Show simple item record

dc.creatorFerreira, Fernando Henrique
dc.date.accessioned2016-06-02T19:48:26Z
dc.date.available2014-11-17
dc.date.available2016-06-02T19:48:26Z
dc.date.issued2014-02-24
dc.identifier.citationFERREIRA, Fernando Henrique. Dialogando sobre paternidade e cuidado em saúde: a perspectiva comunicativa crítica. 2014. 138 f. Dissertação (Mestrado em Ciências da Saúde) - Universidade Federal de São Carlos, São Carlos, 2014.por
dc.identifier.urihttps://repositorio.ufscar.br/handle/ufscar/3277
dc.description.abstractThe paternal lifestyle molded into traditional frames and based on the hegemonic model and male traditions is no longer founded on the modernity characterized by the centrality of dialogs in the society and by the profusion of knowledge. Concomitantly, feminist women, pro-feminism men and homosexuals struggles and accomplishments have been emphasizing the discussions and reflections on masculinity and parenthood. Through Critical Communicative Methodology, methodological-theoretical reference in which the reality is perceived as a construction of meanings intersubjectively reached through individuals able to recur to language and action and is based on the egalitarian dialog between the participants of the research and researchers that interact and communicate in order to reach an understanding. The participants are male Community Health Agents who are also parents and the main goal was to identify which elements of their speeches could promote the construction of new parenthood standards related to the health of mother-child binomial during the pregnancy, birth and post-birth periods and which elements set a limit to such construction. Such elements arise from aspects of their personal and professional lives and from the community where they live and work. Two data collection methods were used: communicative report and communicative discussion group. The data analysis was performed along with the participants that are understood as capable to interpret differently from the researcher yet in a different level of understanding. Besides the analysis run on the promoter and limiter elements, it was considered, for the final analysis, the categories system and life s world. The results indicate that professionals, health institutions, all knowledge acquisition regarding health and the existence of laws/directives figure as essential to determine a broader paternal care. Another relevant aspect concerns to the strength of genre socializing process on the determination of men s spot on the familiar day-by-day perpetuating social constructions that attribute its detachment of these moments and feelings of fear and unpreparedness to handle the baby. However, there were reports of paternal experiences that exceeded such traditional determinations highlighted by a broad view of parenthood, of the dialog between family members, of the relationship maintained by the couple and of the existence of favorable support contexts. Thus, we concluded there is a need to develop researches and social and educational spaces that could allow men/fathers to dialog collectively and to create successful strategies for the transformation of the paternal reality on the recent context in order to lead it to their inclusion.eng
dc.description.sponsorshipUniversidade Federal de Sao Carlos
dc.formatapplication/pdfpor
dc.languageporpor
dc.publisherUniversidade Federal de São Carlospor
dc.rightsAcesso Abertopor
dc.subjectPaternidadepor
dc.subjectPaipor
dc.subjectRelacionamento pais-filhospor
dc.subjectSaúdepor
dc.subjectCuidadopor
dc.subjectFathereng
dc.subjectFatherhoodeng
dc.subjectFather-child relationseng
dc.subjectCareeng
dc.subjectHealtheng
dc.titleDialogando sobre paternidade e cuidado em saúde: a perspectiva comunicativa críticapor
dc.typeDissertaçãopor
dc.contributor.advisor1Fabbro, Márcia Regina Cangiani
dc.contributor.advisor1Latteshttp://lattes.cnpq.br/6978014098495031por
dc.creator.Latteshttp://lattes.cnpq.br/5094105256096662por
dc.description.resumoA vivência paterna nos moldes tradicionais e baseada no modelo hegemônico e tradicional de masculino, não se sustenta mais na modernidade, que se caracteriza pela centralidade do diálogo na sociedade e pela profusão de conhecimentos. Concomitantemente, as lutas e ganhos feministas, de homossexuais e homens pró-feministas têm depositado ênfase nas discussões e reflexões sobre a masculinidade e a paternidade. Utilizamos a Metodologia Comunicativa Crítica, referencial teórico-metodológico que percebe a realidade como uma construção de significados alcançados intersubjetivamente por sujeitos capazes de linguagem e ação e se baseia no diálogo igualitário entre participantes da pesquisa e pesquisador, que interagem e se comunicam para chegarem a um entendimento. Os participantes foram Agentes Comunitários de Saúde homens que são pais e o objetivo foi identificar quais elementos presentes nas falas destes participantes promovem a construção de novas paternidades no tocante ao cuidado em saúde do binômio mãe-filho(a) no período da gestação, parto e pós-parto e quais elementos limitam tal construção. Elementos que surgem a partir dos aspectos de suas vidas pessoais e profissionais e dos aspectos da comunidade onde vivem e trabalham. Foram utilizados dois métodos de coleta de dados: o relato comunicativo e o grupo de discussão comunicativo. A análise dos dados foi realizada conjuntamente com os participantes, que são entendidos como portadores da mesma capacidade de interpretação que o pesquisador, porém em nível de entendimento diferente. Além da análise entre elementos promotores e limitadores, para a análise final, foram consideradas as categorias sistema e mundo da vida. Os resultados apontam os profissionais e as instituições de saúde, a aquisição de conhecimentos em saúde e a existência de leis/diretrizes como essenciais para determinar o maior ou menor envolvimento paterno. Outro aspecto relevante diz respeito a força do processo de socialização de gênero na determinação do lugar do homem no cotidiano da família, perpetuando construções sociais que atribuem seu distanciamento destes momentos e sentimentos de medo e despreparo ao manipular o bebê. No entanto, houve relatos de vivências paternas que sobrepujam tais determinações tradicionais, despontadas por uma visão ampla da paternidade, do diálogo na família, da boa relação do casal e a existência de contextos de apoio favoráveis. Concluímos haver necessidade de desenvolver espaços sociais, de pesquisa e educativos que permitam homens/pais dialogarem coletivamente e proporem estratégias de êxito para a transformação da realidade paterna no contexto atual, dando prosseguimento à sua inclusão.por
dc.publisher.countryBRpor
dc.publisher.initialsUFSCarpor
dc.publisher.programPrograma de Pós-graduação em Enfermagempor
dc.subject.cnpqCIENCIAS DA SAUDE::ENFERMAGEMpor


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record