Show simple item record

dc.creatorSousa, Catarina de Oliveira
dc.date.accessioned2016-06-02T20:18:21Z
dc.date.available2013-12-04
dc.date.available2016-06-02T20:18:21Z
dc.date.issued2013-11-27
dc.identifier.citationSOUSA, Catarina de Oliveira. Avaliação cinemática 3D e eletromiográfica durante a elevação do braço em portadores de osteoartrose acromioclavicular isolada e associada à disfunção do manguito rotador. 2013. 88 f. Tese (Doutorado em Ciências Biológicas) - Universidade Federal de São Carlos, São Carlos, 2013.por
dc.identifier.urihttps://repositorio.ufscar.br/handle/ufscar/5166
dc.description.abstractThe acromioclavicular osteoarthritis (ACO) is a source of shoulder pain, that can occur in isolation or be associated with rotator cuff dysfunction (RCD). Individuals with RCD present altered shoulder kinematics and muscle activity. However, there are not studies that have been evaluated shoulder kinematics and muscle activity in ACO conditions. Thus, the prime purpose of this Doctorate project was to evaluate the three-dimensional shoulder motion and muscle activity during the arm elevation in individuals with isolated ACO and ACO associated with rotator cuff disease (ACO+RCD), as compared to controls. The study was divided in two parts: Part 1 - Three-dimensional shoulder kinematics; and Part 2 - Muscle activity. 74 individuals took part in this study (23 isolated ACO, 25 ACO+RCD, and 26 controls). Pain and function were assessed with Disabilities of the Arm, Shoulder and Hand (DASH) questionnaire, threedimensional shoulder kinematics of scapulothoracic, sternoclavicular, and acromioclavicular joints was evaluated with surface electromagnetic sensors, and surface electromyography of upper trapezius (UT), lower trapezius (LT), serratus anterior (SA), and anterior deltoid (AD) data was collected with Bagnoli-8 (DelSys®) system and synchronized via Motion Monitor software. The individuals were evaluated during arm elevation (ascending and descending phases) in sagittal and scapular planes, and pain during motion was assessed with 0-10 scale. Group comparisons were made for the DASH and pain with Kruskay-Wallis tests, and for each muscle during the maximum voluntary isometric contraction (MVIC) with one-way ANOVA. For each kinematic variable and muscle during the motion, separate linear mixed-model 2-way ANOVAs were performed. Both groups with ACO had higher DASH and pain scores. For the scapulothoracic motion, isolated ACO group had increased internal rotation than control, and the ACO+RCD group presented increased upward rotation than others. For sternoclavicular joint, both groups with ACO presented less retraction in the sagittal plane, and the isolated ACO group presented less elevation in scapular plane, and posterior rotation in both planes. For acromioclavicular joint, the isolated ACO group presented increased upward rotation, and both groups with ACO presented increased posterior tilting in sagittal plane. There was not difference between groups for MVIC. ACO+RCD group had more UT activity than the isolated ACO and control, more AD activity than the ACO during ascending phase, and more AD activity than the ACO and controls during descending phase in both planes. Isolated ACO group had less SA activity than control only during ascending phase in sagittal plane. Patients with ACO had altered shoulder kinematics and muscle activity, which may represent compensatory responses as an attempt to reduce pain.eng
dc.description.sponsorshipUniversidade Federal de Minas Gerais
dc.formatapplication/pdfpor
dc.languageporpor
dc.publisherUniversidade Federal de São Carlospor
dc.rightsAcesso Abertopor
dc.subjectFisioterapiapor
dc.subjectBiomecânicapor
dc.subjectCinemáticapor
dc.subjectEletromiografiapor
dc.subjectDor no ombropor
dc.subjectMovimentopor
dc.subjectShoulder paineng
dc.subjectMovementeng
dc.subjectElectromyographyeng
dc.subjectBiomechanicseng
dc.titleAvaliação cinemática 3D e eletromiográfica durante a elevação do braço em portadores de osteoartrose acromioclavicular isolada e associada à disfunção do manguito rotadorpor
dc.typeTesepor
dc.contributor.advisor1Salvini, Tânia de Fátima
dc.contributor.advisor1Latteshttp://genos.cnpq.br:12010/dwlattes/owa/prc_imp_cv_int?f_cod=K4783618J3por
dc.creator.Latteshttp://lattes.cnpq.br/5522647106933904por
dc.description.resumoA osteoartrose na articulação acromioclavicular (OAC) é uma causa de dor no ombro, que pode ocorrer isoladamente ou associda à disfunção do manguito rotador (DMR). Indivíduos com DMR apresentam alterações na cinemática e na atividade muscular do complexo do ombro, no entanto, não foram encontrados estudos que avaliassem a cinemática e a ativação muscular nas condições de OAC. Assim, o objetivo geral desse projeto de Doutorado foi avaliar o movimento tridimensional do complexo do ombro e a ativação muscular envolvida na elevação do braço de indivíduos com OAC isolada e com OAC associada à DMR (OAC+DMR), e comparar com um grupo de saudáveis e assintomáticos (controles). O estudo dividido em duas partes: Parte 1 Cinemática tridimensional do ombro e Parte 2 Atividade muscular. Participaram deste estudo 74 indivíduos (23 com OAC isolada, 25 com OAC+DMR, e 26 controles). A dor e a função foram avaliadas com o questionário Disabilities of the Arm, Shoulder and Hand (DASH), a cinemática tridimensional das articulações escapulotorácica, esternoclavicular e acromioclavicular foi coletada usando sensores eletromagnéticos superficiais, e a eletromiografia superficial dos músculos trapézio superior (TS), trapézio inferior (TI), serrátil anterior (SA) e deltóide anterior (DA) foi coletada com o sistema Bagnoli-8 (DelSys®) e sincronizadas com o software MotionMonitor. Os indivíduos foram avaliados durante a elevação do braço (fases ascendente e descendente) nos planos sagital e escapular, e a dor durante o movimento foi avaliada com a escala numérica de 0-10. Comparações entre grupos foram realizadas para o DASH e para a dor com o teste de Kruskay-Wallis e para cada músculo durante a contração isométrica voluntária máxima (CIVM) foi realizada uma ANOVA one-way. Para cada variável da cinemática e cada músculo durante o movimento, uma ANOVA de modelo misto linear com medidas repetidas foi realizada para cada fase e plano. Grupos com OAC isolada e OAC+DMR apresentaram escores de DASH e dor mais altos que o controle. Para a articulação escapulotorácica, o grupo com OAC isolada apresentou maior rotação interna que o controle, e o grupo com OAC+DMR apresentou maior rotação superior que os demais em ambos os planos. Para a articulação esternoclavicular, ambos os grupos com OAC apresentaram menor retração no plano sagital, e o grupo com OAC isolada apresentou menor elevação no plano escapular, e menor rotação posterior em ambos os planos. Para a articulação acromioclavicular, o grupo com OAC isolada apresentou maior rotação superior em ambos os planos, e ambos os grupos com OAC apresentaram maior inclinação posterior no plano sagital. Não houve diferença entre os grupos para a CIVM. Grupo com ACO+DMR apresentou maior atividade do TS do que grupos com OAC isolada e controles, e maior atividade do DA do que o grupo com OAC isolada durante a fase descendente, e maior atividade do DA do que grupos com OAC isolada e controles durante a fase descendente em ambos os planos de movimento. Grupo com OAC isolada apresentou menor atividade de SA do que o grupo controle apenas durante a fase ascendente no plano sagital. Participantes com OAC apresentaram alterações na cinemática do ombro e na atividade muscular do ombro, as quais podem representar respostas compensatórias na tentativa de reduzir a dor.por
dc.publisher.countryBRpor
dc.publisher.initialsUFSCarpor
dc.publisher.programPrograma de Pós-graduação em Fisioterapiapor
dc.subject.cnpqCIENCIAS DA SAUDE::FISIOTERAPIA E TERAPIA OCUPACIONALpor


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record