Show simple item record

dc.creatorAlves, Natália Oliveira
dc.date.accessioned2016-06-02T20:21:36Z
dc.date.available2014-11-19
dc.date.available2016-06-02T20:21:36Z
dc.date.issued2014-09-05
dc.identifier.citationALVES, Natália Oliveira. Estudos estruturais e ensaios biológicos de proteínas codificadas por genes de micro-exon (MEG) de Schistosoma mansoni. 2014. 71 f. Dissertação (Mestrado em Ciências Biológicas) - Universidade Federal de São Carlos, São Carlos, 2014.por
dc.identifier.urihttps://repositorio.ufscar.br/handle/ufscar/5550
dc.description.abstractSchistosoma mansoni is the causative agent of Schistosomiasis, reaching 249 million people in 78 countries. It is believed that this infection is successful due to modulation of the host immune system through proteins secreted by the parasite. Recently a class of proteins derived from micro-exon genes (MEGs) was observed in proteomic analyses of schistosomula and egg secretions of S. mansoni, and also associated with glands of several stages of the parasite life. Furthermore, they found that none of these proteins showed similarity to proteins of organisms from other genres. In this context, aim of this work was the structural study, the search for protein partners and biological assays seeking possible roles for the proteins encoded by genes of micro-exons of S. mansoni: MEG-5, MEG-8.2 e MEG-12. For structural characterization studies we used MEG-5 protein expressed by heterologous system (the expression of MEG-8.2 protein was not obtained) and initially performed tests Circular Dichroism (CD). This essay revealed the predominance of one disordered structure due to the presence of a negative peak in the ranges of 180-200mm and the presence of lower intensity peaks in the range 220- 240mm, indicating that part of the protein may present structure. Such structure was observed in the secondary structure predictions performed in SOPMA and Jpred3 programs, wherein the presence of a predicted alpha-helix in the C-terminal region. To confirm this fact, we performed an analysis of the maximum emission of tryptophan fluorescence by the technique of intrinsic fluorescence, because the protein has a single tryptophan present in the probable alpha-helical region. We note that the maximum fluorescence emission is at 330mm, indicating that it is in more hydrophobic environment. After the structural characterization of MEG-5 protein we seek partners through the assay two-hybrid system performing a scan on leukocyte cDNA libraries, yielding two possible partners. The CHMP1B protein was the one that drew the most attention in for being part of the formation of vesicular body and be related to the processes of antigen presentation. The synthetic peptide MEG-12 has a peculiar characteristic of an amphipathic helix predicted by Jpred3 program, and hemolytic character. This action was best observed by scanning electron microscopy (SEM), to be verifies in a clear disruption of the membrane to the breakup. The peptide is secreted into the esophagus may region associated with the digestion of erythrocytes made by the parasite. Therefore, these two proteins are shown to be important in the host-parasite relationship and possible targets for drugs or creation of more efficient vaccines.eng
dc.description.sponsorshipUniversidade Federal de Minas Gerais
dc.formatapplication/pdfpor
dc.languageporpor
dc.publisherUniversidade Federal de São Carlospor
dc.rightsAcesso Abertopor
dc.subjectBiologia molecularpor
dc.subjectSchistosoma mansonipor
dc.subjectProteínaspor
dc.subjectMicro-exonpor
dc.subjectProteineng
dc.subjectMicro-exoneng
dc.titleEstudos estruturais e ensaios biológicos de proteínas codificadas por genes de micro-exon (MEG) de Schistosoma mansonipor
dc.typeDissertaçãopor
dc.contributor.advisor1Marco, Ricardo de
dc.contributor.advisor1Latteshttp://lattes.cnpq.br/0229339143607870por
dc.creator.Latteshttp://lattes.cnpq.br/5397307262243397por
dc.description.resumoO Schistosoma mansoni é o agente causador da esquistossomose mansônica, atingindo 249 milhões de pessoas em 78 países. Acredita-se que tal infecção é bem-sucedida devido a modulação do sistema imune do hospedeiro por meio de proteínas secretadas pelo parasita. Recentemente uma classe de proteínas derivadas de genes de micro-exon (MEGs) foi observada em análises proteômicas de secreções de esquistossômulo e ovo, e também associadas com glândulas de vários estágios de vida do parasita. Além disso, verificou que nenhuma destas proteínas apresentavam similaridade com proteínas de organismos de outros gêneros. Neste contexto, objetivo deste trabalho foi o estudo estrutural, a busca por parceiros protéicos e ensaios biológicos buscando possíveis funções para as proteínas codificadas por genes de micro-exons de S. mansoni: MEG-5, MEG-8.2 e MEG-12. Para os estudos de caracterização estrutural utilizamos a proteína MEG-5 expressa pelo sistema heterólogo (não obtivemos a expressão suficiente da proteína MEG-8.2) e inicialmente realizamos os ensaios de Dicroísmo Circular (CD). Este ensaio nos revelou a predominância de uma estrutura desordenada, devido a presença de um pico negativo nos intervalos de 180-200nm e a presença de picos de menor intensidade na faixa entre 220-240nm, indicando que parte da proteína pode apresentar estruturação. Tal estruturação foi observada nas predições de estrutura secundária realizadas nos programas SOPMA e Jpred3, em que, previram a presença de uma alfa-hélice na região C-terminal. Para a confirmação deste fato, realizamos uma análise do máximo de emissão de fluorescência no triptofano pela técnica de fluorescência intrínseca, pois a proteína possui um único triptofano presente na região da provável alfa-hélice. Constatamos que o máximo de emissão de fluorescência está em 330nm, indicando que este se encontra em ambiente mais hidrofóbico. Após a caracterização estrutural da MEG-5 buscamos parceiros protéicos por meio do ensaio de dublo hibrido realizando uma varredura em bibliotecas de cDNA de leucócitos, obtendo dois possíveis parceiros. A proteína CHMP1B foi a que mais nos chamou atenção, por fazer parte da formação do corpo vesicular e estar relacionada aos processos de apresentação de antígenos. O peptídeo codificado por MEG-12 apresenta uma característica peculiar de uma hélice anfipática, predita pelo programa Jpred3, e um caráter hemolítico. Sua ação em eritrócitos foi caracterizada por microscopia eletrônica de varredura (MEV), que verificou mudanças morfológicas das células, sugerindo a perturbação na membrana até o rompimento. O peptídeo é secretado na região do esôfago podendo está relacionado com a digestão de eritrócitos realizada pelo parasita. Por tanto, esta duas proteínas demonstram ser importantes na relação parasitohospedeiro e possíveis alvos para criação de medicamentos ou vacinas mais eficientes.por
dc.publisher.countryBRpor
dc.publisher.initialsUFSCarpor
dc.publisher.programPrograma de Pós-graduação em Genética Evolutiva e Biologia Molecularpor
dc.subject.cnpqCIENCIAS BIOLOGICAS::GENETICApor


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record