Show simple item record

dc.creatorRebellato, Carolina
dc.date.accessioned2016-06-02T20:44:10Z
dc.date.available2012-04-25
dc.date.available2016-06-02T20:44:10Z
dc.date.issued2012-02-27
dc.identifier.urihttps://repositorio.ufscar.br/handle/ufscar/6860
dc.description.sponsorshipFinanciadora de Estudos e Projetos
dc.formatapplication/pdfpor
dc.languageporpor
dc.publisherUniversidade Federal de São Carlospor
dc.rightsAcesso Abertopor
dc.subjectTerapia ocupacionalpor
dc.subjectPapel socialpor
dc.subjectIdosospor
dc.subjectQualidade de vidapor
dc.subjectPapéis Ocupacionaispor
dc.subjectEnvelhecimento socialpor
dc.subjectEnvelhecimento ativopor
dc.subjectModelo de Ocupação Humanapor
dc.titleRelações entre papéis ocupacionais e qualidade de vida em idosos independentes, residentes na comunidade : um estudo seccionalpor
dc.typeDissertaçãopor
dc.contributor.advisor1Oishi, Jorge
dc.contributor.advisor1Latteshttp://lattes.cnpq.br/1417328590472858por
dc.creator.Latteshttp://lattes.cnpq.br/7941967815396278por
dc.description.resumoA Gerontologia aponta a preocupação em compreender o envelhecimento, e suas conseqüências, visando propor políticas específicas para idosos. Considerando as diretrizes da política de envelhecimento ativo, associadas ao escopo teórico e prático da Terapia Ocupacional é de fundamental importância conhecer os papéis ocupacionais ao longo da vida, a fim de promover saúde e bem-estar. O objetivo deste estudo foi verificar a existência de relação entre os papéis ocupacionais e a qualidade de vida em idosos residentes na comunidade. Para isso foi realizado estudo exploratório, descritivo, correlacional, seccional, com abordagem quantitativa. Foram envolvidos no estudo indivíduos, residentes na comunidade, com idades entre 70 e 84 anos. Os critérios de exclusão consistiram em apresentar limitações que impossibilitassem a comunicação, apresentar comprometimento cognitivo, pelo Mini Exame do Estado Mental MEEM, e dependência nas atividades básicas da vida diária, pela Escala de Katz. Para a coleta de dados foram utilizados os seguintes instrumentos padronizados: Escala de Depressão Geriátrica com 15 itens - EDG 15; Lista de Identificação de Papéis Ocupacionais; Quality of Life Instrument Bref - WHOQOL-BREF e Quality of Life Group-old - WHOQOL-OLD, além da ficha de identificação e roteiro de entrevista sobre os papéis ocupacionais. A população foi composta por 67 idosos, associados da União dos Aposentados de Araras, dos quais 33 eram homens (49,3%) e 34 mulheres (50,7%), com média de idade de 74,6 ± 3,7 anos. Os dados foram inicialmente submetidos à análise estatística descritiva. Para a análise dos papéis ocupacionais foi realizada a comparação entre as variáveis categóricas, através do Teste do Qui-quadrado e do Teste Exato de Fisher. Os dados ordinais emparelhados foram analisados pelos testes estatísticos nãoparamétricos de Wilcoxon e Friedman. Para as análises comparativas da qualidade de vida foram utilizados o Teste T e a Análise de Variância (ANOVA) One-Way com post-hoc de Duncan. O estudo de correlação foi realizado através do coeficiente de correlação de postos de Spearman. Os resultados demonstraram a presença de correlação de algumas variáveis dos papéis ocupacionais com a qualidade de vida, porém, com magnitudes modestas. O Padrão de desempenho Contínuo 2, referente ao desempenho contínuo de papéis nos tempos passado, presente e futuro, e o grau de importância Muita Importância se sobressaíram na correlação positiva, enquanto que, o grau de importância Alguma importância se destacou na correlação negativa. Os papéis ocupacionais sofreram alterações ficando evidenciada a perda de papéis entre passado e presente e entre passado e futuro, entretanto, constatou-se o interesse em ampliar papéis no futuro. Os papéis mais desempenhados no passado foram de trabalhador, membro de família e passatempo/amador. Os papéis desempenhados no presente e futuro foram, principalmente, os de passatempo/amador e serviço doméstico. Os idosos valorizam muito todos os papéis ocupacionais, exceto o de participante em Organizações. Foram obtidos escores elevados de qualidade de vida, com destaque para a avaliação Global, domínios Psicológico e Funcionamento dos sentidos. De modo geral, os papéis ocupacionais e a qualidade de vida estiveram associados com as variáveis demográficas e socioeconômicas, ao contrário da sintomatologia depressiva. Houve baixa prevalência de sintomatologia depressiva e não foi verificada associação desse transtorno com o desempenho dos papéis ocupacionais nos tempos passado, presente e futuro, contudo, foi constatado forte relação com a qualidade de vida. A principal limitação do estudo envolveu a composição específica da amostra. O estudo permitiu vislumbrar a diversidade e complexidade da participação dos idosos na sociedade, contribuindo para o conhecimento de sua carreira ocupacional e impacto na qualidade de vida. Outros estudos são sugeridos para o aprofundamento teórico e empírico, visando o acompanhamento de tendências e trajetórias do envelhecimento.por
dc.publisher.countryBRpor
dc.publisher.initialsUFSCarpor
dc.publisher.programPrograma de Pós-graduação em Terapia Ocupacionalpor
dc.subject.cnpqCIENCIAS DA SAUDE::FISIOTERAPIA E TERAPIA OCUPACIONALpor


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record