Mostrar registro simples

dc.creatorNeiva, Caroline Fernandes Diniz
dc.date.accessioned2016-06-02T20:45:40Z
dc.date.available2013-07-19
dc.date.available2016-06-02T20:45:40Z
dc.date.issued2013-04-09
dc.identifier.citationNEIVA, Caroline Fernandes Diniz. Atenção à saúde de pessoas vivendo com o diabetes mellitus tipo 2 em uma Unidade de Saúde da Família. 2013. 119 f. Dissertação (Mestrado em Ciências Biológicas e da Saúde) - Universidade Federal de São Carlos, São Carlos, 2013.por
dc.identifier.urihttps://repositorio.ufscar.br/handle/ufscar/6910
dc.description.abstractThis is an epidemiological study, the type or cross sectional. Objectives: To describe the profile of individuals with type 2 DM according to sociodemographic variables, disease history, lifestyle habits, morbidity, access to health services, to identify the types of drug treatment in place to care for the disease; describe adherence to medication in people with type 2 diabetes; describe the profile of care offered at the clinic for patients with type 2 DM. The study population comprised the universe of 102 patients with type 2 DM, enrolled in a USF in São Carlos, SP. Three instruments were used for data collection, one being the instrument to measure treatment adherence - MAT. The first stage of information gathering were the records of patients with type 2 DM and the second included interviews with users suffering from type 2 diabetes. The results showed that the study population was predominantly female (63%), and the age group 71-91 years (28.9%), most (47.8%) had education between 1 to 5 years of study and (54.4%) are retired. The majority (52.3%) found the DM within 5 years, (84.4%) diagnosed in the clinic. Regarding the habit of living 72% do not exercise and exhibit more significant comorbidities as hypertension and dyslipidemia. With regard to health status, 70% of women considered it fair / bad. Most participants (86.7%) use medications to control type 2 diabetes. Regarding the use of medications, most (64.5%) ingests up to four medications daily, and the therapeutic class of antidiabetic Biguanides most used (36.7%) and 21.1% use insulin. Regarding medications for comorbidities 35.5% use only antihypertensives. Regarding the description of adherence to treatment 64.1% had adherence to medication. Found higher frequency of diabetes in medical consultations (85%) compared to the consultation with the nurse (50%), 17.4% of subjects were in multidisciplinary care, and 31.4% were referred to a specialist. There are records of dental care in 16.3% of records. As to laboratory median total cholesterol (mg / dl) in women are higher (near 200), as the value of HDL-C in males there is a higher percentage of individuals (50%) with a median below 45 mg / dl, the average value of LDL-C (mg / dl) is closest to 100 mg / dL in male patients, the median TG (mg / dL) in both sexes showed values above 150 mg / dl, fasting glucose in female median value closer to 100 mg / dl, values Hb1Ac showed poor glycemic control. There are records of diabetic foot evaluation in 24.4% of records. We conclude that there is need for ongoing training of health professionals that are part of the Family Health Teams in order to achieve greater implementation of education programs in diabetes and clinical protocols intensify strategies to improve adherence to drug treatment, and control metabolic health monitoring.eng
dc.formatapplication/pdfpor
dc.languageporpor
dc.publisherUniversidade Federal de São Carlospor
dc.rightsAcesso Abertopor
dc.subjectEnfermagempor
dc.subjectDiabetes mellituspor
dc.subjectTerapêuticapor
dc.subjectNursingeng
dc.subjectTherapyeng
dc.titleAtenção à saúde de pessoas vivendo com o diabetes mellitus tipo 2 em uma Unidade de Saúde da Famíliapor
dc.typeDissertaçãopor
dc.contributor.advisor1Feliciano, Adriana Barbieri
dc.contributor.advisor1Latteshttp://lattes.cnpq.br/9398810638733882por
dc.creator.Latteshttp://lattes.cnpq.br/8300813529343885por
dc.description.resumoTrata-se de um estudo epidemiológico, do tipo seccional ou de corte transversal. Objetivos: descrever o conjunto de indivíduos portadores de DM tipo 2 segundo variáveis sociodemográficas, história da doença, hábitos de vida, morbidade referida, acesso aos serviços de saúde; identificar os tipos de tratamento medicamentoso instituídos para o cuidado com a doença; descrever a adesão ao tratamento medicamentoso em pessoas com DM tipo 2; descrever o cuidado ofertado na unidade de saúde ao portador de DM tipo 2. A população do estudo compreendeu o universo de 102 portadores de DM tipo 2, cadastrados em uma USF no município de São Carlos, SP. Foram utilizados três instrumentos para a coleta de dados, sendo um deles o instrumento de medida de adesão ao tratamento MAT. A primeira etapa da coleta foram informações nos prontuários dos portadores de DM tipo 2 e a segunda compreendeu entrevistas com usuários portadores de DM tipo 2. Os resultados mostraram que houve predomínio do sexo feminino (63%), e da faixa etária de 71 a 91 anos (28,9%), a maioria (47,8%) apresentou escolaridade entre 1 a 5 anos de estudo, e (54,4%) são aposentados. A maioria (52,3%) descobriu o DM há menos de 5 anos, sendo (84,4%) diagnósticados em unidade de saúde. Quanto ao hábito de vida 72% não praticavam atividade física e apresentaram como comorbidades mais significativas a HAS e dislipidemia. Quanto ao estado de saúde, 70% das mulheres o consideraram regular/ruim. A maioria dos sujeitos (86,7%) utilizavam medicações para controle do DM tipo 2. Quanto ao uso das medicações, a maioria (64,5%) ingeriram até 4 medicamentos diariamente, sendo os antidiabéticos da classe terapêutica Biguanidas mais utilizados (36,7%) e 21,1% utilizavam a insulina. Em relação aos medicamentos para comorbidades 35,5% utilizavam apenas anti-hipertensivos. Em relação à descrição da adesão ao tratamento 64,1% apresentaram adesão ao tratamento medicamentoso. Constatou maior frequência dos diabéticos em consultas médicas (85%) comparado à consulta com o enfermeiro (50%), 17,4% dos sujeitos estiveram em atendimento multiprofissional e 31,4% foram referenciados ao especialista. Há registros de atendimento odontológico em 16,3% dos prontuários. Quanto aos exames laboratoriais a mediana do colesterol total (mg/dl) nas mulheres estão mais elevados (próximos de 200), quanto ao valor do HDL-C no sexo masculino há uma maior porcentagem de indivíduos (50%) com mediana abaixo de 45 mg/dl; o valor médio do LDL-C (mg/dl) encontra-se mais próximo de 100 mg/dl no sexo masculino, a mediana do TG (mg/dl) em ambos os sexos apresentaram valores acima a 150 mg/dl, a glicemia de jejum no sexo feminino apresentou mediana mais próxima de 100 mg/dl, os valores de Hb1AC mostraram mau controle glicêmico. Há registros de avaliação do pé diabético em 24,4% dos prontuários. Conclui-se que há necessidade de capacitação permanente dos profissionais de saúde que integram as Equipes de Saúde da Família, a fim de obterem maior implementação de programas de educação em DM e protocolos clínicos, intensificando as estratégias que melhoram a adesão ao tratamento medicamentoso, e o controle metabólico no acompanhamento à saúde.por
dc.publisher.countryBRpor
dc.publisher.initialsUFSCarpor
dc.publisher.programPrograma de Pós-graduação em Gestão da Clínicapor
dc.subject.cnpqCIENCIAS DA SAUDE::ENFERMAGEMpor


Arquivos deste item

Thumbnail

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(s)

Mostrar registro simples