Show simple item record

dc.creatorFranco, Flávia Fina
dc.date.accessioned2016-09-27T19:59:26Z
dc.date.available2016-09-27T19:59:26Z
dc.date.issued2016-03-24
dc.identifier.urihttps://repositorio.ufscar.br/handle/ufscar/7538
dc.description.abstractIn this research we seek to investigate a classroom education of young and adult people, in order to know potentialities and obstacles of the articulation proposal between environmental education and this school modality, having as a reference two key concepts: criticity and knowledge of living experience. Studies suggest that the inclusion of socio-environmental theme in education of young and adult people can contribute as much to overcome the compensatory and reductionist view that has marked this modality and for encourage questions and reflections of these people about their roles in the interpersonal relationships, with the world and in the world, to recognize and assume their potential to act in reality. We adopted as reference a critical, dialogic, liberating environmental education, driving of reflections by questioning socio-environmental issues. We opted for education of young and adult people for being a school modality, as well as their subject, has been historically marginalized, marked by unjust and oppressive relations and because we also believe in the potential of these individuals recognizing their experience and their knowledge, knowledge accumulated during their lives, which Freire called knowledge of living experience. So the questions that guide this research are: the knowledge of living experience that has been considered and developed also in the modality of education for young and adult people can contribute to the practice of environmental education? The criticity which has been developed in the field of environmental education can contribute to the practice of education for young and adult people in the school context? For the construction of this study, we conducted an empirical work. The empirical investigation was conducted in a public school in São Paulo State, in which were involved students of education of young and adult people and teachers of this modality with experience in the field of environmental education. Paulo Freire (2005), with the dialogue theory, and Jürgen Habermas (2012a; 2012b), with the theory of communicative action, were authors who guided us to the choice of the critical communicative methodology, which is based on the construction of knowledge through the establishment of inter-subjective dialogue between subjects and from that construction make it possible act in reality, transformed it. Using this methodology, the dialogue breaks with the interpretative and epistemological gaps usually considered and developed among the people of the investigated context and academic people. We use the communicative observation and interview as data collection instruments. In partnership with the students, the data of the observation were analyzed considering the exclusionary and transformative dimensions, its own methodology, in relation to approach between environmental education and education of young and adult people. The informations obtained through interviews were discussed together with teachers, on the dual categorization of social reality in system and world of life, based on Habermas. With the data already analyzed, we found in the context investigated elements like educational practices and attitudes teachers consistent with the reality of students that enhance the inclusion of environmental issues in a critical perspective on the education of young and adult people. On the other hand, were also identified elements such practices and teaching attitudes associated with a model of youth and adult compensatory people education, which hinders said insert, which is necessary for an education committed a social transformation that leads to relationships socially fairer and more environmentally sustainable relations. Finally, we verified the adequacy of a critical environmental education of young and adult people as a potent space of learning and transformations, a space for them to exercise their critical faculties towards their emancipation and thus recognize as historical subjects participants of social-environmental changes.eng
dc.description.sponsorshipCoordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES)por
dc.language.isoporpor
dc.publisherUniversidade Federal de São Carlospor
dc.rights.uriAcesso abertopor
dc.subjectEducação ambiental críticapor
dc.subjectEducação de pessoas jovens e adultaspor
dc.subjectMetodologia comunicativo-críticapor
dc.subjectSaber de experiência feitopor
dc.subjectEducation of young and adult peopleeng
dc.subjectCritical environmental educationeng
dc.subjectCritical communicative methodologyeng
dc.subjectKnowledge of living experienceeng
dc.titleA educação ambiental crítica e o saber de experiência feito na educação de pessoas jovens e adultas : um diálogo para a transformaçãopor
dc.typeDissertaçãopor
dc.contributor.advisor1Logarezzi, Amadeu José Montagnini
dc.contributor.advisor1Latteshttp://lattes.cnpq.br/6153358744019882por
dc.creator.Latteshttp://lattes.cnpq.br/2730533112423996por
dc.description.resumoNesta pesquisa buscamos investigar uma sala de aula da educação de pessoas jovens e adultas, objetivando conhecer possibilidades da proposta de articulação entre a educação ambiental e essa modalidade de ensino, tendo como referência dois conceitos chaves: criticidade e saber de experiência feito. Estudos sugerem que a inserção da temática socioambiental na educação de pessoas jovens e adultas pode contribuir tanto para a superação da visão compensatória e reducionista que tem marcado essa modalidade quanto para fomentar questionamentos e reflexões dessas pessoas sobre seus papéis nas relações interpessoais, com o mundo e no mundo, para que reconheçam e assumam seus potenciais de intervir na realidade. Adotamos como referência uma educação ambiental crítica, dialógica, libertadora e impulsionadora de reflexões por meio da problematização de questões socioambientais. Optamos pela educação de pessoas jovens e adultas por ser uma modalidade escolar que, assim como seus sujeitos, tem sido historicamente marginalizada e marcada por relações injustas e opressoras e por acreditamos nas potencialidades desses sujeitos, reconhecendo suas experiências e seus saberes acumulados ao longo de suas vidas, que Freire chamou de saberes de experiência feitos. Assim, as questões que guiam essa pesquisa são: o saber de experiência feito que tem sido considerado e desenvolvido também na modalidade da educação de pessoas jovens e adultas pode contribuir para a prática de educação ambiental? A criticidade que tem sido desenvolvida no campo da educação ambiental pode contribuir para a prática da educação de pessoas jovens e adultas no contexto escolar? Para a construção deste trabalho desenvolvemos uma investigação empírica, que foi realizada em uma escola municipal do interior paulista, em que foram envolvidas/os estudantes da educação de pessoas jovens e adultas e educadoras/es dessa modalidade e com experiência no campo da educação ambiental. Paulo Freire (2005), com a teoria da dialogicidade, e Jürgen Habermas (2012a; 2012b), com a teoria da ação comunicativa, foram autores que nos guiaram para a escolha da metodologia comunicativo-crítica, que tem como fundamento a construção de conhecimento a partir do estabelecimento de diálogos intersubjetivos entre os sujeitos e, a partir dessa construção possibilitar que atuem na realidade, transformado-a. Com essa metodologia, o diálogo rompe com os desníveis interpretativo e epistemológico normalmente considerados e praticados entre as pessoas do contexto investigado e as pessoas acadêmicas. Utilizamos a observação comunicativa e a entrevista como instrumentos de coleta de dados. Em parceria com as/os estudantes e seu professor, os dados das observações foram analisados considerando as dimensões obstaculizadora e transformadora, próprias da metodologia, em relação à aproximação entre educação ambiental e educação de pessoas jovens e adultas. Já as informações obtidas por meio das entrevistas foram discutidas em conjunto com uma professora e um professor, diante da categorização dual da realidade social em sistema e mundo da vida, com base em Habermas. Com os dados analisados, encontramos no contexto investigado elementos como práticas educativas e posturas docentes coerentes com a realidade das/os estudantes, que potencializam a inserção da temática ambiental sob uma perspectiva crítica na educação de pessoas jovens e adultas. Por outro lado, foram também identificados elementos como práticas e posturas docentes associadas a um modelo de educação de pessoas jovens e adultas compensatório, o que dificulta a referida inserção, que se faz necessária para uma educação comprometida com uma transformação social que conduza a relações socialmente mais justas e ambientalmente mais sustentáveis. Por fim, verificamos a adequação de uma educação ambiental crítica de pessoas jovens e adultas como um espaço potente de aprendizagens e transformações, um espaço para que possam exercitar a capacidade crítica em direção à sua emancipação e assim se reconhecerem como sujeitos históricos participantes das mudanças socioambientais.por
dc.publisher.initialsUFSCarpor
dc.publisher.programPrograma de Pós-graduação em Ciências Ambientaispor
dc.subject.cnpqCIENCIAS BIOLOGICASpor
dc.ufscar.embargoOnlinepor
dc.publisher.addressCâmpus São Carlospor


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record