Show simple item record

dc.creatorPorto, Lays de Souza
dc.date.accessioned2016-09-27T20:00:07Z
dc.date.available2016-09-27T20:00:07Z
dc.date.issued2015-09-09
dc.identifier.urihttps://repositorio.ufscar.br/handle/ufscar/7539
dc.description.abstractSeveral studies have demonstrated the environment's influence on the ecology and physiology of organisms and that environmental variations can promote behavioral and physiological adaptations of an individual, thus tracing its life's story. Ambient temperature, in particular, is a factor that has large influence on the physiological processes, which can cause changes in breathing patterns and metabolism in some species. Hence, the objective of this study was to evaluate the ventilatory, metabolic and thermal preference responses of two populations of lizards of the Tropidurus torquatus specie, coming from different regions of Brazil: one collected in the Pampa biome and the other one collected in areas of sandbanks in the Mata Atlântica biome. To assess the ventilatory and metabolic responses of both populations, individuals were acclimated at different temperatures (20, 25 and 30°C) and exposed to three experimental temperatures (20, 25 and 30°C). The thermal preference was also obtained after a period of acclimatization of the animals to the above temperatures. Our data on the thermal preference showed no significant difference among the studied populations, which leads us to suggest that the preferred body temperature of these animals is a phylogenetically conserved trait. Regarding ventilation and metabolism data, our studies showed that both the population from the south of Brazil, as the population of the Northeast, showed the same metabolic rate, however, the population of the Pampas showed a greater ventilation, reflecting a hyperventilation of these lizards. Thus, we suggested that the lizards collected in South and Northeast may have different strategies to maintain the same metabolic rates. Finally, we found that the acclimation temperature did not affect the studied variables, except for tidal volume, which was significantly lower in animals acclimated to 20°C, and that oxygen consumption that was significantly less to the experimental temperature of 20ºC.eng
dc.description.sponsorshipCoordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES)por
dc.description.sponsorshipFundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP)por
dc.language.isoporpor
dc.publisherUniversidade Federal de São Carlospor
dc.rights.uriAcesso abertopor
dc.subjectTemperaturapor
dc.subjectMetabolismopor
dc.subjectVentilaçãopor
dc.subjectLagartopor
dc.subjectAmbientepor
dc.subjectTemperatureeng
dc.subjectMetabolismeng
dc.subjectVentilationeng
dc.subjectLizardeng
dc.subjectEnvironmenteng
dc.titleEfeito da temperatura sobre a ventilação, metabolismo e preferência térmica em duas populações de lagarto da espécie Tropidurus torquatuspor
dc.typeDissertaçãopor
dc.contributor.advisor1Batalhão, Luciane Helena Gargaglioni
dc.contributor.advisor1Latteshttp://lattes.cnpq.br/5850453468994497por
dc.creator.Latteshttp://lattes.cnpq.br/8391367994012569por
dc.description.resumoMuitos estudos têm demonstrado a influência do ambiente sobre a ecologia e a fisiologia dos organismos e que variações ambientais podem promover adaptações comportamentais e fisiológicas de um indivíduo, traçando assim sua história de vida. A temperatura ambiente, em particular, é um fator que tem ampla influência nos processos fisiológicos, podendo ocasionar mudanças nos padrões respiratórios e no metabolismo de algumas espécies. Em vista disso, o objetivo do presente estudo foi avaliar as respostas ventilatórias, metabólicas e de preferência térmica, de duas populações da espécie de lagarto Tropidurus torquatus, provenientes de regiões distintas do Brasil, sendo uma coletada no bioma Pampa e outra em áreas de restinga no bioma Mata Atlântica. Para avaliar as respostas ventilatórias e metabólicas de ambas populações, os indivíduos foram aclimatados em diferentes temperaturas (20º, 25º e 30ºC) e expostos também a três temperaturas experimentais (20º, 25º e 30ºC). A preferência térmica também foi obtida após um período de aclimatação dos animais às temperaturas acima citadas. Nossos dados acerca da preferência térmica não mostraram diferenças significativas entre as populações estudadas e nem entre os grupos de aclimatação, o que nos leva a sugerir que a temperatura corporal preferida desses animais é um traço filogeneticamente conservado. Quanto aos dados de ventilação e metabolismo, nossos estudos mostraram que tanto a população proveniente do Sul do Brasil, quanto a população do Nordeste, apresentaram uma mesma taxa metabólica, porém, a população dos Pampas exibiu uma maior ventilação, o que reflete em uma hiperventilação desses lagartos. Desta forma, sugerimos que os lagartos coletados no Sul e no Nordeste possam apresentar diferentes estratégias de para manter as mesmas taxas metabólicas. Por fim, constatamos que as temperaturas de aclimatação não afetaram as variáveis estudadas, com exceção do volume corrente, o qual foi significativamente menor nos animais aclimatados à 20ºC, e que o consumo de oxigênio é significativamente menor à temperatura experimental de 20ºC.por
dc.publisher.initialsUFSCarpor
dc.publisher.programPrograma Interinstitucional de Pós-Graduação em Ciências Fisiológicas - PIPGCFpor
dc.subject.cnpqCIENCIAS BIOLOGICAS::FISIOLOGIA::FISIOLOGIA DE ORGAOS E SISTEMAS::FISIOLOGIA DA RESPIRACAOpor
dc.description.sponsorshipIdFAPESP: 2013/20421-0por
dc.ufscar.embargoOnlinepor
dc.publisher.addressCâmpus São Carlospor


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record