Show simple item record

dc.contributor.authorSilva, Karina Rodrigues da
dc.date.accessioned2016-11-17T17:43:54Z
dc.date.available2016-11-17T17:43:54Z
dc.date.issued2015-06-29
dc.identifier.citationSILVA, Karina Rodrigues da. Caracterização da alumina anódica porosa modificada por plasma. 2015. Dissertação (Mestrado em Ciência dos Materiais) – Universidade Federal de São Carlos, Sorocaba, 2015. Disponível em: https://repositorio.ufscar.br/handle/ufscar/8331.*
dc.identifier.urihttps://repositorio.ufscar.br/handle/ufscar/8331
dc.description.abstractIn this study, the wettability of porous anodic alumina (PAA) surfaces modified by plasma was investigated. The porous anodic alumina films were grown on aluminum substrate using a two step anodization procedure in oxalic acid solution under potentiostatic regime. The surfaces of PAA films were modified by plasma treatment or plasma deposition techniques. Prior to surface modification, the impurities were removed by a plasma cleaning procedure. Oxygen was used in plasma treatment in order to produce hydrophilic surfaces. On the other hand, the plasma deposition (in HMDSO or HMDSO + argon mixture) was performed to produce hydrophobic surfaces or less hydrophilic surface. Electropolished aluminum without PAA film were used as reference. The influence of substrate morphology on wettability was analyzed. The morphological characterization was performed by scanning electron microscopy (SEM). The microstructural analysis was carried out using Fourier Transformed Infrared Spectroscopy (FTIR). A goniometer was used to measure the contact angle and evaluate the wettability of electroplished aluminum and PAA films. The results showed that the wettability of the samples was affect by chemical interactions of functional groups on the surface deposited after plasma treatment. The effect of the porous surface morphology on wettability was not significant compared to the plasma treated films with new chemical interactions effects.eng
dc.description.sponsorshipCoordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES)por
dc.language.isoporpor
dc.publisherUniversidade Federal de São Carlospor
dc.rights.uriAcesso abertopor
dc.subjectModificação por plasmapor
dc.subjectMolhabilidadepor
dc.subjectPorous Anodic Alumina (PAA)eng
dc.subjectSurface modificationeng
dc.subjectWettabilityeng
dc.subjectContact angleeng
dc.subjectPlasma treatmenteng
dc.subjectÂngulo de contatopor
dc.subjectPlasmapor
dc.subjectAlumina anódica porosa (AAP)por
dc.subjectÓxido de alumíniopor
dc.subjectMateriais nanoestruturadospor
dc.subjectAluminum oxideeng
dc.subjectMateriais nanoestruturadospor
dc.subjectNanostructured materialseng
dc.titleCaracterização da alumina anódica porosa modificada por plasmapor
dc.title.alternativeCharacterization of alumina porous anodic modified by plasmaeng
dc.typeDissertaçãopor
dc.contributor.advisor1Strixino, Francisco Trivinho
dc.contributor.advisor1Latteshttp://lattes.cnpq.br/9740223649776400por
dc.description.resumoNeste trabalho foram investigadas as propriedades de molhabilidade das superfícies nanoestruturadas da alumina anódica porosa (AAP) modificadas por plasma. Os filmes de AAP foram produzidos sobre substrato de alumínio pelo método de anodização potenciostática em duas etapas em solução de ácido oxálico. Após a fabricação, as amostras foram submetidas a um tratamento a plasma (com oxigênio) ou a deposição a plasma (em HMDSO ou em uma mistura de HMDSO e argônio). Antes das modificações das superfícies, removeram-se as impurezas das amostras através de técnicas de limpeza a plasma. No tratamento a plasma, o gás oxigênio foi utilizado para a obtenção de superfícies hidrofílicas. Por outro lado, para tornar a superfície hidrofóbica ou menos hidrofílica, foram feitas duas séries de deposição a plasma, uma contendo uma mistura de argônio e HMDSO e outra série somente com HMDSO. O tratamento ou deposição a plasma também foram feitas em amostras de alumínio eletropolido, sem a camada de AAP, a fim de verificar a influência morfológica do substrato na molhabilidade. A caracterização morfológica dos filmes de AAP foi feita por microscopia eletrônica de varredura (MEV), onde foi verificada a formação dos poros na superfície. A caracterização microestrutural foi feita por espectroscopia de absorção no infravermelho por transformada de Fourier (FTIR) com o objetivo de verificar as alterações químicas na superfície. A molhabilidade foi analisada utilizando um goniômetro, equipamento que realiza medição direta do ângulo de contato. Os resultados mostram que a molhabilidade da superfície é afetada por interações químicas dos grupos funcionais na superfície dos filmes. Por outro lado, o efeito da morfologia sobre a molhabilidade da superfície não é significativo nas condições estudadas.por
dc.publisher.initialsUFSCarpor
dc.publisher.programPrograma de Pós-Graduação em Ciência dos Materiais - PPGCM-Sopor
dc.subject.cnpqOUTROSpor
dc.ufscar.embargoOnlinepor
dc.publisher.addressCâmpus Sorocabapor
dc.contributor.authorlatteshttp://lattes.cnpq.br/4880226928544532por


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record