Show simple item record

dc.creatorBarbosa, Viviane da Silva
dc.date.accessioned2017-08-10T14:24:48Z
dc.date.available2017-08-10T14:24:48Z
dc.date.issued2017-03-28
dc.identifier.urihttps://repositorio.ufscar.br/handle/ufscar/8982
dc.description.abstractSelf-harm is an act with a non-letal outcome in which the individual performs one of the following acts: practice of behaviors intended to injure himself; ingestion of an overdose of what has been prescribed or the known therapeutic dose; ingestion of an illicit or recreational drug in an act that the person considers to be a self-harm; ingestion of substances or non-ingestible objects. Due to the variety of behaviors it was decided to investigate only the acts of cutting, burning, hitting, scratching, piercing the skin with sharp objects and poking at the skin to cause injuries. The general objective was to investigate the phenomenon of self-harm based on the meanings attributed to it by young people who experience or experienced it. The specific objectives were to identify the practice and the reasons for self-harm from the experiences of young people, to evaluate the perception of pain in young people who practice or have practiced self-harm, analyze the meanings that these young people attribute to self-harm, propose interpretative hypotheses on the reports of the young who practice or have practiced self-harm based on content analysis freudian psychoanalytic theory. A qualitative research was carried out with semi-structured interviews with young people between 18 and 28 years old who practice or practiced self-harm. Ten interviews were carried out and through content analysis seven categories were identified: "the context of self-harm", "sensations and feelings", "motives", "goal", "associated aspects", "the meanings of pain" and "described experiences". The analysis of the results was based on Freudian theory. The reported experiences related to self-harm seem to have in common the psychic suffering, the difficulties of dealing with this suffering and the need for unloading. Physical pain is cited as different from other situations and seems to contribute to the reported relief when they pratice self-harm. The speeches refer to several issues as losses, mourning, anguish, masochism, suicide/death and life. One can associate self-harm to the challenges of adolescence and the beginning of adulthood, with melancholic experiences related to the reworking of identity and sexual identity. Furthermore, the self-harm appears in the speeches as a substitute to suicide since it provides temporary relief from psychic pain, seemingly unbearable at times. Thus, self-harm appears to be a symptom which expresses intense psychic suffering. From this, further discussion on the subject is important, which should cover parents, teenagers, professionals in education and health, besides the elaboration of prevention and treatment measures.eng
dc.description.sponsorshipCoordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES)por
dc.description.sponsorshipFundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP)por
dc.language.isoporpor
dc.publisherUniversidade Federal de São Carlospor
dc.rights.uriAcesso abertopor
dc.subjectDorpor
dc.subjectJovenspor
dc.subjectAutolesãopor
dc.subjectComportamentopor
dc.titleA prática de autolesão em jovens : uma dor a ser analisadapor
dc.title.alternativeThe practice of self-harm in young people : a pain to be analyzedeng
dc.typeDissertaçãopor
dc.contributor.advisor1Hortense, Priscilla
dc.contributor.advisor1Latteshttp://lattes.cnpq.br/7153278628783234por
dc.creator.Latteshttp://lattes.cnpq.br/9684748097526674por
dc.description.resumoA autolesão é um ato com resultado não fatal, em que o indivíduo realiza um dos seguintes atos: prática de comportamentos com intenção de causar lesão em si; ingestão de substância em dose excessiva do que foi prescrito ou da dose terapêutica conhecida; ingestão de uma droga ilícita ou recreacional em um ato que a pessoa considera ser uma autoagressão; ingestão de substâncias ou objetos não ingeríveis. Devido à variedade de comportamentos optou-se neste estudo por investigar apenas os atos de cortes, queimaduras, se bater, coçar, furar a pele com objetos pontiagudos e cutucar a pele até causar ferimentos. O objetivo geral é investigar o fenômeno da autolesão a partir dos significados a ele atribuídos pelos jovens que vivenciam ou vivenciaram tal experiência. Os objetivos específicos são identificar a prática e os motivos de autolesão a partir das experiências de jovens, avaliar a percepção da dor em jovens que praticam ou praticaram autolesão, analisar os significados que esses jovens atribuem a autolesão, propor hipóteses interpretativas fundamentadas nos relatos dos jovens que praticam ou praticaram autolesão embasado na análise de conteúdo e na abordagem psicanalítica freudiana. Foi realizada uma pesquisa qualitativa, a partir de entrevistas semiestruturadas, com jovens de idade entre 18 e 28 anos, que praticam ou já praticaram autolesão. Foram realizadas dez entrevistas e após as transcrições elas foram analisadas por meio da análise de conteúdo com o intuito de verificar as categorias e temas presentes nas falas dos participantes, foram identificadas sete categorias, “o contexto da prática de autolesão”, “sensações e sentimentos”, “motivos”, “finalidade”, “aspectos associados”, “os significados e sentidos da dor” e “experiências descritas”. Posteriormente realizou-se uma análise dos resultados embasado na teoria freudiana. As experiências relatadas e associadas a autolesão parecem ter em comum o sofrimento psíquico, as dificuldades de lidar com este sofrimento e a necessidade de descarga. A dor física é citada como diferente de outras situações e parece contribuir para o alívio relatado quando realizam a autolesão. As falas remetem a várias questões como perdas, lutos, angústias, masoquismo, suicídio/morte e a vida. Pode-se associar à autolesão aos desafios da adolescência e entrada na vida adulta, com vivências melancólicas relacionadas a reelaboração da identidade e da identidade sexual. Além disso, a autolesão aparece nas falas como um substituto ao suicídio, já que proporciona alívio temporário da dor psíquica que parece insuportável em alguns momentos. Assim a autolesão parece ser um sintoma que expressa sofrimento psíquico intenso. A partir disso, é importante uma maior discussão sobre o tema, que deve abranger pais, adolescentes, profissionais da educação e da saúde, além da elaboração de medidas de prevenção e tratamento.por
dc.publisher.initialsUFSCarpor
dc.publisher.programPrograma de Pós-graduação em Enfermagempor
dc.subject.cnpqCIENCIAS DA SAUDE::ENFERMAGEMpor
dc.description.sponsorshipIdFAPESP: 2015/13949-4por
dc.ufscar.embargoOnlinepor
dc.publisher.addressCâmpus São Carlospor


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record