Show simple item record

dc.creatorConrado, Ludmila Pereira
dc.date.accessioned2017-01-12T19:25:20Z
dc.date.available2017-01-12T19:25:20Z
dc.date.issued2015-09-04
dc.identifier.urihttps://repositorio.ufscar.br/handle/ufscar/8371
dc.description.abstractIn Brazil, there are about 6,500 individuals of Anodorhynchus hyacinthinus (Hyacinth macaw) in wild, located in three physiognomically distinct regions. The specie is demanding as to breeding habitat, and can be regarded as feeding specialist. Currently, the species is endangered because the reduction of their originally habitat, as consequence of the disorderly process of land occupation. This process, broadly, causes negative effects on landscape, in particular the remaining native forest vegetation. In this context, the study aimed to evaluate the occurrence of Hyacinth macaw in mosaic Carajás landscape, considering the intrinsic characteristics of the landscape structure and biology of this species. We considered three regions of the Carajás mosaic: R1- Itacaiúnas river, R2-FLONA Itacaiúnas and, R3 - Canaã dos Carajás. The sampling of Hyacinth macaw was done through direct observation and calculated the frequency records for R1 (1.26 region/hour), R2 (0.38 reg./hour) and R3 (0.44 reg. /hour), and after, was estimated area of life for each region (R1 = 22187.87 ha; R2= 66397.0ha, R3 = 41841.2ha). We made the land-use/land-cover map to support evaluation of the landscape, through unsupervised classification of satellite images. The final map was reclassified two classes: forest and non-forest. The follow landscape metrics were calculated: distance between fragments (R2 = 499 m; R3 = 364m), midsize (R2 = 148,5ha; R3 = 10,6ha), the size of the largest fragment (R2 = 39.360,8ha; R3 = 888,1ha), and number of fragments (R2 = 337, R3 = 863). From the results, we can said that forested areas with riparian vegetation presence appear to be more propitious to Hyacinth macaw occurrence in the mosaic Carajás, Pará, Brazil, but the preference for open areas is not ruled out. Furthermore, the species occupy different degraded patterns landscape, because there is a large displacement capacity and proximity to the mosaic. Atropism and interaction with other species, such as red macaws may be other factors that affect the distribution of species in the Carajás region.eng
dc.description.sponsorshipNão recebi financiamentopor
dc.language.isoporpor
dc.publisherUniversidade Federal de São Carlospor
dc.rights.uriAcesso abertopor
dc.subjectEcologia das paisagenspor
dc.subjectLandscape ecologyeng
dc.subjectPaisagens fragmentadaspor
dc.subjectFragmented landscapeseng
dc.subjectAvepor
dc.subjectBirdseng
dc.titleRelação da estrutura da paisagem mosaico Carajás, PA com a ocorrência de Anodorlynchus hyacinthinus (arara-azul-grade)por
dc.title.alternativeRelationship between landscape structure mOSaIC Carajás, PA with the occurrence of Anodorhynchus hyacinthinus (Hyacinth macaw)eng
dc.typeDissertaçãopor
dc.contributor.advisor1Valente, Roberta de Oliveira Averna
dc.contributor.advisor1Latteshttp://lattes.cnpq.br/1582627535733911por
dc.creator.Latteshttp://lattes.cnpq.br/4212904334696001por
dc.description.resumoNo Brasil, estima-se um total de 6.500 indivíduos de Anodorhynchus hyacinthinus (araraazul-grande) em vida livre, distribuídos em três regiões fisionomicamente distintas. A espécie é exigente quanto ao seu hábitat reprodutivo, e pode ser considerada especialista quanto à alimentação. Encontra-se, atualmente, ameaçada de extinção em função da redução de seu habitat natural, por consequência do processo desordenado de uso e ocupação do solo. Este processo, por sua vez, acarreta efeitos negativos na paisagem como um todo e, em especial nos remanescentes de vegetação florestal nativa. Nesse contexto, o trabalho teve como objetivo avaliar a ocorrência da arara-azul-grande, na paisagem do mosaico Carajás, considerando as características intrínsecas da estrutura da paisagem e a biologia da espécie. Considerou-se para o estudo, três regiões do mosaico Carajás: R1- rio Itacaiúnas, R2- FLONA Itacaiúnas, R3- Canaã dos Carajás. Para a amostragem da arara-azul-grande foi feita observação direta e calculou-se a frequência de avistamentos para R1 (1,26 reg./hora), R2 (0,38reg./hora) e R3 (0,44 reg./hora), posteriormente foi estimada a área de vida da espécie em cada região (R1= 22.187,87 ha; R2= 66.397,0ha; R3= 41.841,2ha). Para subsidiar a avaliação da paisagem foi feito o mapa de uso e cobertura do solo, através da classificação não supervisionada de imagens orbitais, sendo que as classes resultantes foram reclassificadas em floresta e não floresta. As métricas da paisagem calculadas foram: distância entre fragmentos (R2= 499 m; R3=364m), tamanho médio (R2=148,5ha; R3= 10,6ha), tamanho do maior fragmento (R2= 39.360,8ha; R3=888,1ha) e número de fragmentos (R2= 337; R3=863). A partir dos resultados obtidos pode-se dizer que as áreas florestadas, com presença de mata ciliar, parecem ser um ambiente mais propicio à ocorrência da arara-azul-grande no mosaico Carajás/PA, porém a preferência por áreas abertas não é descartada. Além disso, os indivíduos da espécie ocupam diferentes padrões de paisagem degradada, devido sua ampla capacidade de deslocamento e proximidade com o mosaico. Entre outros fatores que podem afetar sua ocorrência na região de Carajás, pode-se citar a antropização e interação com outras espécies, como a arara-vermelha.por
dc.publisher.initialsUFSCarpor
dc.publisher.programPrograma de Pós-Graduação em Diversidade Biológica e Conservação - PPGDBC-Sopor
dc.subject.cnpqCIENCIAS AGRARIAS::RECURSOS FLORESTAIS E ENGENHARIA FLORESTAL::CONSERVACAO DA NATUREZApor
dc.ufscar.embargoOnlinepor
dc.publisher.addressCâmpus Sorocabapor


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record