Show simple item record

dc.contributor.authorGodoi, Fábio dos Santos
dc.date.accessioned2018-05-15T13:50:58Z
dc.date.available2018-05-15T13:50:58Z
dc.date.issued2018-02-23
dc.identifier.urihttps://repositorio.ufscar.br/handle/ufscar/10015
dc.description.abstractIntroduction – The scientific evaluation by indicators demands a reflection in addition to the quantitative data. Gender in science plays complex roles, gender indicators should include in their analysis the context of social, economic, and political interests that are intrinsic to the science structure. An analysis that shows a more comprehensive scenario should use references that relate the genders within its social structure. Therefore, the research question about this project asks how are the bibliometric and scientometric indicators of gender characterized in the journal Scientometrics? The aim was to conceptualize and describe the bibliometric and scientometric indicators that can express the gender issue in science articles published in the journal Scientometrics. Methodology – Scientific research has been shaped by descriptive bibliometrics, which comprises statistical techniques for extracting and indicators counting. The data source used was the academic journal Scientometrics. The search carried out through the subjects (keywords) without temporal delimitation. Thus, the corpus was composed of 177 articles covering the period from 1981 through the early part of 2017. The indicators used were the quantity and gender of the authors, the amount of references used, as well as the title, country, area, type of study, and keyword. Results – The data analysis was initially evaluated in three time-frames periods such as 1981–2000 (n=15), 2001–2008 (n=23) and 2009–2017 (n =139). The males amounted to 260 authors, on the other hand, the females added up to a total of 113 authors. The type of authorship was mostly co-authorship with 142 articles out of 177 totals. There were only 35 articles characterized as individual authorship. Regarding the cited references, about 22% (n=1712) contained reference related to gender and 78% (n=5992) contained references without gender issue. The countries with more applied research were the United States and Germany. The most frequent field of studies found was Mathematical sciences and Humanities. The majority of data were empirical research and the data sources most used by the articles were the multidisciplinary databases. Web of Science and Scopus stood out from all the rest. Conclusion – Even observing the first decades (1980, 1990 and 2000), coauthors were superior to individual articles. In addition, more than 90% of female authorships were in collaboration. The gender researches were more active in this current century, whereas they were the main issues to be searched. A good part of the main research on gender was due to the participation in women. The clear majority of men who dedicated to the study of gender had this variable incorporated into their research, but it was not the focus on the study.eng
dc.description.sponsorshipCoordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES)por
dc.language.isoporpor
dc.publisherUniversidade Federal de São Carlospor
dc.rights.uriAcesso abertopor
dc.subjectBibliometriapor
dc.subjectEstudo de gêneropor
dc.subjectGênero na ciênciapor
dc.subjectSociologia do conhecimento científicopor
dc.subjectBibliometricseng
dc.subjectGender studieseng
dc.subjectSociology of scientific knowledgeeng
dc.titleIndicadores de gênero no periódico Scientometrics (1981-2017)por
dc.title.alternativeGender indicators in the journal Scientometrics (1981-2017)eng
dc.typeDissertaçãopor
dc.contributor.advisor1Hayashi, Maria Cristina Piumbato Innocentini
dc.contributor.advisor1Latteshttp://lattes.cnpq.br/7263318849588556por
dc.description.resumoIntrodução – A avaliação científica por meio de indicadores demanda uma reflexão além dos dados quantitativos. Os gêneros na ciência ocupam papeis complexos, indicadores de gênero devem abranger em sua análise o contexto dos interesses sociais, econômicos e políticos intrínsecos a estrutura científica. Uma análise que mostre um cenário mais abrangente deve utilizar literaturas que relacione os gêneros dentro de sua estrutura social. Desse modo, a questão de pesquisa deste trabalho se propõe a investigar como se caracterizam e se expressam os indicadores bibliométricos e cientométricos de gênero nos artigos do periódico Scientometrics. O objetivo foi conceituar e descrever os indicadores bibliométricos e cientométricos que podem expressar a questão de gênero na ciência em artigos publicados no periódico Scientometrics. Metodologia – A investigação científica foi moldada pela bibliometria do tipo descritiva, caracterizada por conter técnicas estatísticas para extração e contagem de indicadores. A fonte de dados foi o periódico Scientometrics. A busca foi feita por meio de palavras-chaves sem delimitação de recorte temporal. Assim, o corpus de pesquisa foi constituído por 177 artigos abrangendo o período de 1981 até o início de 2017. Os indicadores utilizados foram a quantidade e o gênero dos autores, a quantidade de referências utilizadas, bem como título, país, área, tipo de estudo e palavra-chave. Resultados – Os dados foram inicialmente analisados em três recortes temporais, a saber: 1981 a 2000 (n=15), 2001 a 2008 (n=23) e 2009 a 2017 (n=139). O gênero masculino totalizou em 260 autores, já o gênero feminino em um total de 113 autoras. O tipo de autoria foi majoritariamente em coautoria com 142 artigos dos 177 totais. Apenas 35 artigos foram de autoria individual. Quanto as referências citadas 22% (n=1712) foram de literatura relacionada a gênero, 78% (n=5992) foram de referências sem relação a questão de gênero. Os países com mais trabalhos aplicados foram Estados Unidos e Alemanha. As grandes áreas mais recorrentes foram Ciências Exatas e da Terra e Ciências Humanas. A maioria dos artigos foram de características empíricas e as fontes dos dados mais utilizadas pelos artigos vieram de bases de dados multidisciplinares em destaque para Web of Science e Scopus. Conclusão – Mesmo observando as primeiras décadas (1980, 1990 e 2000) as coautorias foram superiores aos artigos individuais. Além disso, mais de 90% das autorias femininas foram em colaboração. As pesquisas sobre gênero foram mais ativas neste século corrente, porquanto foram assuntos principais a serem pesquisados. A grande parte da pesquisa principal em gênero foi devido a participação das mulheres. A grande maioria dos homens que dedicaram ao estudo de gênero teve essa variável incorporada a sua pesquisa, mas não foi o objeto central do estudo.por
dc.publisher.initialsUFSCarpor
dc.publisher.programPrograma de Pós-Graduação em Ciência, Tecnologia e Sociedade - PPGCTSpor
dc.subject.cnpqCIENCIAS SOCIAIS APLICADAS::CIENCIA DA INFORMACAO::BIBLIOTECONOMIA::METODOS QUANTITATIVOS. BIBLIOMETRIApor
dc.subject.cnpqCIENCIAS SOCIAIS APLICADAS::CIENCIA DA INFORMACAOpor
dc.subject.cnpqCIENCIAS HUMANAS::SOCIOLOGIA::SOCIOLOGIA DO CONHECIMENTOpor
dc.description.sponsorshipIdCAPES: 1588147por
dc.ufscar.embargoOnlinepor
dc.publisher.addressCâmpus São Carlospor
dc.contributor.authorlatteshttp://lattes.cnpq.br/2249228493676552por


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record