Mostrar registro simples

dc.creatorLampoglia, Francis
dc.date.accessioned2016-06-02T19:16:30Z
dc.date.available2012-04-09
dc.date.available2016-06-02T19:16:30Z
dc.date.issued2012-02-29
dc.identifier.citationLAMPOGLIA, Francis. Discursividades da/sobre a ditadura militar em uma hemeroteca digital. 2012. 202 f. Dissertação (Mestrado em Multidisciplinar) - Universidade Federal de São Carlos, São Carlos, 2012.por
dc.identifier.urihttps://repositorio.ufscar.br/handle/ufscar/1079
dc.description.abstractThis work aims to study the discourse functioning of the brazilian military dictatorship in the headlines and the Última Hora's journal reports, using the french discourse analysis theory, specially inscribed around Michel Pêcheux and the studies of Mikhail Bakhtin. The way the subject is positioned in relation to the military dictatorship and how this positioning is reflected in the digital newspaper libraries that stores the papers constitutes the problem of this study , which has as its theoretical pillars of the sociohistorical conditions of production of meanings and discoursive memory underlying all sayings. Therefore, this work will analyze the corpus of headlines and reports from the collection of digitized periodic Última Hora from 1964 to 1969, copies of which are available on the website of the Public Archives of the State of Sao Paulo. To make a counterpoint, also have added to the corpus of newspaper headlines and reports Folha de S. Paulo (1965), Jornal do Brasil (1964), and O Estado de S. Paulo (1973 to 1974), available in their electronic holdings. Analysing the selected clippings, we can assume how memory and archive discoursive, which are inserted in a certain socio-historical context, inscribes itself in this discoursivity and influences the production of meaning. Note that these movements of meanings in clippings includes a way to think about how language is constantly struck by history, how the senses migrate according to the position the subject occupies as the circulation of words in the headlines and reports newspapers dialogues with the senses in the different socio-historical contextseng
dc.description.sponsorshipUniversidade Federal de Minas Gerais
dc.formatapplication/pdfpor
dc.languageporpor
dc.publisherUniversidade Federal de São Carlospor
dc.rightsAcesso Abertopor
dc.subjectAnálise do discursopor
dc.subjectHemerotecapor
dc.subjectDitadura militarpor
dc.subjectDigital newspaper libraryeng
dc.subjectdiscourseeng
dc.subjectmilitary dictatorshipeng
dc.titleDiscursividades da/sobre a ditadura militar em uma hemeroteca digitalpor
dc.typeDissertaçãopor
dc.contributor.advisor1Miotello, Valdemir
dc.contributor.advisor1Latteshttp://lattes.cnpq.br/9131819326282708por
dc.creator.Latteshttp://lattes.cnpq.br/5436181249956917por
dc.description.resumoO presente trabalho estuda o funcionamento do discurso sobre a ditadura militar brasileira, nas manchetes e reportagens do jornal Última Hora, tendo como referencial teórico a Análise do Discurso de matriz francesa, especialmente inscrita em torno de Michel Pêcheux, e os estudos de Mikhail Bakhtin. O modo como o sujeito se posiciona em relação à ditadura militar e como esse posicionamento se reflete nas hemerotecas digitais que abrigam os jornais constitui o problema deste estudo, que possui como pilares teóricos as condições sócio-históricas de produção dos sentidos e a memória discursiva que fundamenta todo dizer. Para tanto, este trabalho terá como corpus de análise as manchetes e reportagens do acervo digitalizado do periódico Última Hora, entre 1964 e 1969, cujos exemplares encontram-se disponibilizados no site do Arquivo Público do Estado de São Paulo. Para realizar um contraponto, também agregamos ao corpus manchetes e reportagens dos jornais Folha de S. Paulo (de 1965), Jornal do Brasil (de 1964) e O Estado de S. Paulo (de 1973 a 1974), disponíveis em seus respectivos acervos eletrônicos. Pela análise dos recortes selecionados, é possível perceber como a memória e o arquivo discursivo, inseridos em dado contexto sóciohistórico, se inscrevem nessa discursividade e influenciam na produção de sentidos. Notamos que esses movimentos de sentidos nos recortes compreendem uma forma de refletir sobre como a linguagem é atingida permanentemente pela historicidade, como os sentidos migram de acordo com a posição que o sujeito ocupa, enfim, como a circulação de dizeres nas manchetes e nas reportagens dos jornais dialoga com os sentidos em diferentes contextos sócio-históricospor
dc.publisher.countryBRpor
dc.publisher.initialsUFSCarpor
dc.publisher.programPrograma de Pós-graduação em Ciência, Tecnologia e Sociedadepor
dc.subject.cnpqLINGUISTICA, LETRAS E ARTES::LINGUISTICApor


Arquivos deste item

Thumbnail

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(s)

Mostrar registro simples