Show simple item record

dc.contributor.authorRibeiro, Bruna Angélica Casonato
dc.date.accessioned2020-05-23T15:50:54Z
dc.date.available2020-05-23T15:50:54Z
dc.date.issued2020-05-21
dc.identifier.urihttps://repositorio.ufscar.br/handle/ufscar/12814
dc.description.abstractIn view of the current scenario of public health in Brazil, there is an increase in health costs, largely due to the increase in life expectancy and the advancement of technology, contrasting with often insufficient and limited resources. Given this reality, accurately estimating costs is paramount in the search for efficiency and transparency. The identification and allocation of costs to their respective cost centers are of great relevance to managers, who can view the organization's ability to meet the demand presented. This study aimed to map and classify the costs of the Health School Unit (USE) of the Federal University of São Carlos (UFSCar) to the productive, administrative and intermediate cost centers, as directed by the Ministry of Health. The study can be classified as to the objective as exploratory in the form of a case study. As for the approach, qualitative research was carried out, with data collection, application of interviews, document analysis. The research involved surveying costs at the Unit from January 2018 to December 2019, segregating direct and indirect costs, determining cost centers, allocating costs to administrative, productive and intermediate cost centers, followed by direct allocation of costs to the final productive cost centers. Finally, an analysis of the information obtained was performed. It was found that the cost with the highest representation in percentage terms in the Unit was that of personnel, representing 80% in 2018 and 79% in 2019 of the Unit's total costs, followed by costs with third party services and legal entities with 16% in 2018 and 18% in 2019. Costs with consumables, on the other hand, have little representation in percentage terms, being 1.15 % in 2018 and 0.86% in 2019. Depreciation costs correspond to 2% of the Unit's total costs in 2018 and 3% of costs in 2019. The cost per procedure is higher for months with less number of visits and less with the highest number of services, since the organization has mostly fixed costs. The productive cost center had the highest cost in the years 2018 and 2019, being 58% and 56%, respectively, followed by the intermediate cost center with 23% in 2018 and 21% in 2019. Finally, the cost center administrative represented 18% in 2018 and 21% in 2019. As for the final productive cost centers, the one with the highest cost was Physiotherapy and the one with the lowest cost was Family Medicine in 2018 and General Medicine in 2019. The data presented demonstrate important subsidies for decision making, offering clear managerial information regarding the allocation of costs in the Unit, also allowing greater transparency of expenses.eng
dc.description.sponsorshipNão recebi financiamentopor
dc.language.isoporpor
dc.publisherUniversidade Federal de São Carlospor
dc.rightsAttribution-NonCommercial-NoDerivs 3.0 Brazil*
dc.rights.urihttp://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/3.0/br/*
dc.subjectContabilidade públicapor
dc.subjectContabilidade de custospor
dc.subjectCustos na saúdepor
dc.subjectCentros de custopor
dc.subjectUnidade Saúde Escolapor
dc.subjectPublic accountingeng
dc.subjectCost accountingeng
dc.subjectHealth costseng
dc.subjectCost centerseng
dc.subjectSchool Health Uniteng
dc.titleCustos nas organizações públicas de saúde: uma proposta de alocação aos centros de custo na Unidade Saúde Escola da Universidade Federal de São Carlospor
dc.title.alternativeCosts in public health organizations: an allocation proposal for cost centers in the School Health Unit of the Federal University of São Carloseng
dc.typeDissertaçãopor
dc.contributor.advisor1Albuquerque, Andrei Aparecido de
dc.contributor.advisor1Latteshttp://lattes.cnpq.br/9667573506903226por
dc.description.resumoFrente ao atual cenário da saúde pública no Brasil observa-se um crescimento dos custos com saúde, consequência em sua grande parte, do aumento da expectativa de vida e do avanço da tecnologia, contrastando com recursos muitas vezes insuficientes e limitados. Diante dessa realidade, estimar com precisão os custos é primordial na busca por eficiência e transparência. A identificação e alocação dos custos aos seus respectivos centros de custo são de grande relevância aos gestores, que podem visualizar a capacidade de atendimento da organização diante da demanda apresentada. Este estudo teve como objetivo mapear e classificar os custos da Unidade Saúde Escola (USE) da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar) aos centros de custo produtivo, administrativo e intermediário, conforme orientação do Ministério da Saúde. O estudo pode ser classificado quanto ao objetivo como exploratório na forma de estudo de caso. Quanto a abordagem foi realizada pesquisa qualitativa, com coleta de dados, aplicação de entrevistas, análise documental. A pesquisa envolveu o levantamento dos custos na Unidade no período de janeiro de 2018 a dezembro de 2019, segregação dos custos diretos e indiretos, determinação dos centros de custo, alocação dos custos aos centros de custo administrativo, produtivo e intermediário, seguido da alocação direta dos custos aos centros de custo produtivos finais. Por fim, foi realizada análise das informações obtidas. Verificou-se que o custo com maior representatividade em termos percentuais na Unidade foi o de pessoal, representando 80% em 2018 e 79% em 2019 dos custos totais da Unidade, seguido dos custos com serviços de terceiros e de pessoa jurídica com 16% em 2018 e 18% em 2019. Já os custos com material de consumo possuem pouca representatividade em termos percentuais, sendo de 1,15% em 2018 e de 0,86% em 2019. Os custos com depreciação correspondem a 2% dos custos totais da Unidade em 2018 e 3% dos custos em 2019. O custo por procedimento é maior para meses com menor número de atendimentos e menor com maior número de atendimentos, visto que a organização possui em sua maioria custos fixos. O centro de custo produtivo obteve o maior custo nos anos de 2018 e de 2019, sendo de 58% e 56%, respectivamente, seguido do centro de custo intermediário com 23% em 2018 e 21% em 2019. Por fim o centro de custo administrativo representou 18% em 2018 e 21% em 2019. Quanto aos centros de custo produtivos finais, o com o maior custo foi o de Fisioterapia e de menor custo o de Medicina da Família em 2018 e de Medicina Clínica Geral em 2019. Os dados apresentados demonstram ser importantes subsídios para a tomada de decisão, oferecendo informações gerenciais claras quanto a alocação dos custos na Unidade, possibilitando também uma maior transparência dos gastos.por
dc.publisher.initialsUFSCarpor
dc.publisher.programPrograma de Pós-Graduação em Gestão de Organizações e Sistemas Públicos - PPGGOSPpor
dc.subject.cnpqCIENCIAS SOCIAIS APLICADAS::ADMINISTRACAO::ADMINISTRACAO PUBLICA::CONTABILIDADE E FINANCAS PUBLICASpor
dc.subject.cnpqCIENCIAS SOCIAIS APLICADAS::ADMINISTRACAO::ADMINISTRACAO PUBLICA::ORGANIZACOES PUBLICASpor
dc.subject.cnpqCIENCIAS SOCIAIS APLICADAS::ADMINISTRACAO::ADMINISTRACAO PUBLICApor
dc.publisher.addressCâmpus São Carlospor
dc.contributor.authorlatteshttp://lattes.cnpq.br/6643009478731523por


Files in this item

Thumbnail
Thumbnail
Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record

Attribution-NonCommercial-NoDerivs 3.0 Brazil
Except where otherwise noted, this item's license is described as Attribution-NonCommercial-NoDerivs 3.0 Brazil