Show simple item record

dc.creatorMondadore, Ana Paula Carletto
dc.date.accessioned2016-06-02T19:25:24Z
dc.date.available2008-01-07
dc.date.available2016-06-02T19:25:24Z
dc.date.issued2007-09-09
dc.identifier.citationMONDADORE, Ana Paula Carletto. A opção cooperativa: os trabalhadores diante da falta de alternativas de ocupação e renda. 2007. 106 f. Dissertação (Mestrado em Ciências Humanas) - Universidade Federal de São Carlos, São Carlos, 2007.por
dc.identifier.urihttps://repositorio.ufscar.br/handle/ufscar/1462
dc.description.abstractFrom the 90 s decade, the economical, technological and organizational changes that characterized the process of productive restructuralization in Brazil had as a result deep transformations on the job market. In this context the work and production cooperatives resurge, perceived as a possible alternative of occupation for the workers. These cooperatives have caused an ample debate about their effective role and possibilities. On one hand, there are the defenders of the called Solidarity Economy, who see the cooperatives organization not only as an option of unemployment, but a chance, for the workers to perform a change inside the structures of capitalism. On the other hand, the cooperatives are perceived according to their functionality for the capital, being organized to attend the necessities of cost reduction at the companies through the elimination of the social benefits included in the wage relation. We investigated a cooperative that produces clothes, which works outsourced for a big company of the sector, to recover the workers perception about the self-managing work. We noticed that the option for the co-operative work reveals a lot of dimensions, from the economical choice, through the guarantee of job and high salaries to the characteristical autonomy of the self-managing enterprises, but the deep transformation in the relation between capital and work is far from effectively happen in the day-by-day totality of the cooperative work, mainly if we think about the relation between company and cooperative
dc.description.sponsorshipUniversidade Federal de Minas Gerais
dc.formatapplication/pdfpor
dc.languageporpor
dc.publisherUniversidade Federal de São Carlospor
dc.rightsAcesso Abertopor
dc.subjectSociologia do trabalhopor
dc.subjectCooperativa de trabalhopor
dc.subjectCooperativa de produçãopor
dc.subjectAutogestão no trabalhopor
dc.subjectTerceirizaçãopor
dc.subjectWork cooperatives
dc.subjectProduction cooperatives
dc.subjectSelf-management
dc.subjectOutsourcing
dc.titleA opção cooperativa: os trabalhadores diante da falta de alternativas de ocupação e rendapor
dc.typeDissertaçãopor
dc.contributor.advisor1Lima, Jacob Carlos
dc.contributor.advisor1Latteshttp://lattes.cnpq.br/9244132532446607por
dc.creator.Latteshttp://lattes.cnpq.br/6285229833158202por
dc.description.resumoA partir da década de 90, as transformações econômicas, tecnológicas e organizacionais que caracterizaram o processo de reestruturação produtiva no Brasil tiveram como resultado profundas transformações no mercado de trabalho. Nesse contexto ressurgem as cooperativas de trabalho e produção, percebidas como possível alternativa de ocupação para os trabalhadores. Essas cooperativas têm provocado amplo debate acerca de seu papel efetivo e possibilidades. De um lado, estão os defensores da chamada Economia Solidária, que vêem a organização de cooperativas não apenas como uma opção ao desemprego, mas uma chance, para os trabalhadores, de realizarem uma mudança por dentro das estruturas do capitalismo. Numa outra perspectiva, as cooperativas são percebidas em sua funcionalidade para o capital, sendo organizadas para atender às necessidades de redução de custos para as empresas através da eliminação dos benefícios sociais incluídos na relação salarial. Investigamos uma cooperativa de produção de confecções, que trabalha terceirizada para uma grande empresa do setor, a fim de recuperar a percepção dos trabalhadores sobre o trabalho autogestionário. Percebemos que a opção pelo trabalho cooperativo revela várias dimensões que vão desde a escolha econômica, através da garantia de trabalho e altos rendimentos, até a autonomia característica dos empreendimentos autogestionários, mas a transformação profunda na relação capital/trabalho está longe de efetivamente ocorrer na totalidade do dia-adia do trabalho cooperativo, principalmente se pensarmos a relação empresa/cooperativapor
dc.publisher.countryBRpor
dc.publisher.initialsUFSCarpor
dc.publisher.programPrograma de Pós-graduação em Ciências Sociaispor
dc.subject.cnpqCIENCIAS HUMANASpor


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record