Show simple item record

dc.creatorMarins, Simone Cristina Fanhani
dc.date.accessioned2016-06-02T19:44:08Z
dc.date.available2011-03-01
dc.date.available2016-06-02T19:44:08Z
dc.date.issued2011-01-13
dc.identifier.citationMARINS, Simone Cristina Fanhani. Design universal, acessibilidade e tecnologia assistiva : a formação profissional do terapeuta ocupacional na perspectiva da equidade. 2011. 262 f. Tese (Doutorado em Ciências Humanas) - Universidade Federal de São Carlos, São Carlos, 2011.por
dc.identifier.urihttps://repositorio.ufscar.br/handle/ufscar/2875
dc.description.abstractThe occupational therapist activity seeks to promote autonomy and independence for the general population in the different areas of personal and social interaction, participating in the development of social policies. Among the intervention strategies is the use of accessibility resources and technologies to enhance human functionality. The profession strives to guarantee peoples rights regardless of special needs, whether temporary or permanent. Professional legislation entitles the occupational therapist to the use of assistive technology in daily activities and in instrumental daily life activities. This research s objective was to analyze occupational therapist education in order to work with accessibility resources and assistive technology. It considered seventeen Brazilian bachelor courses, nine of which private, four federal, and four state schools, as well as forty junior and senior students. Data collection techniques included documental analysis and surveys. According to the used method, in the first step theoretical and practical subjects from the curriculum were considered. The second step used surveys to assess students perception of their own capability in the areas of accessibility and assistive technology. The results showed an overall average of 71,96 hours dedicated to assistive technology, representing 2,25% of the minimum required time, concentrated in subjects with minimum required times varying between 59 and 89 hours. The documental analysis results showed that these contents are presented in specific required subjects (82,4%) and in non-specific required subjects, where they are part of the curriculum (64,7%). A disparity between this research s findings and the students perception was observed. Students state that 42,5% of the contents were offered in specific subjects and in the subjects referred to as Applied . Some of the main results indicate that there is no identifiable systematization of contents and time spent and that the contents are treated superficially. Furthermore, they show that the students feel more prepared to evaluate than to use technological resources and do not feel ready to create and develop accessibility resources and assistive technology. The results obtained in this research can contribute to improve and better direct the course content in light of the development of accessibility resources and technologies within the parameters of inclusion and in doing so, to better qualify future professionals.eng
dc.description.sponsorshipFinanciadora de Estudos e Projetos
dc.formatapplication/pdfpor
dc.languageporpor
dc.publisherUniversidade Federal de São Carlospor
dc.rightsAcesso Abertopor
dc.subjectFormação profissionalpor
dc.subjectPolítica de capacitaçãopor
dc.subjectTerapia ocupacionalpor
dc.subjectDesign universalpor
dc.subjectAcessibilidadepor
dc.subjectTecnologia assistiva Capacitação profissionalpor
dc.subjectEquidadepor
dc.subjectProfessional qualificationeng
dc.subjectOccupational Therapyeng
dc.subjectUniversal designeng
dc.subjectAccessibilityeng
dc.subjectAssistive technologyeng
dc.subjectEqualityeng
dc.titleDesign universal, acessibilidade e tecnologia assistiva : a formação profissional do terapeuta ocupacional na perspectiva da equidadepor
dc.typeTesepor
dc.contributor.advisor1Emmel, Maria Luisa Guillaumon
dc.contributor.advisor1Latteshttp://genos.cnpq.br:12010/dwlattes/owa/prc_imp_cv_int?f_cod=K4787566Z9por
dc.creator.Latteshttp://lattes.cnpq.br/4888746680132973por
dc.description.resumoA atuação do terapeuta ocupacional busca promover a independência e autonomia para a população em geral nos diferentes espaços de convivência pessoal e social, participando da construção das políticas sociais. Dentre as suas estratégias de intervenção, utiliza-se de recursos de acessibilidade e tecnologias em prol da funcionalidade humana. Trata-se de uma profissão que se propõe a contribuir com os princípios da garantia dos direitos para as pessoas sem ou com deficiências, temporárias ou permanentes, do ponto de vista da igualdade de tratamento. A legislação legitima ao terapeuta ocupacional o uso de Tecnologia Assistiva e o treino das Atividades de Vida Diária e Atividades Instrumentais de Vida Diária. Esta pesquisa teve como objetivo analisar a formação dos graduandos em Terapia Ocupacional para atuar com recursos de acessibilidade e tecnologia assistiva. Para isso foram considerados dezessete cursos de graduação do Brasil, sendo nove instituições particulares, quatro instituições federais e quatro estaduais; e 40 graduandos dos últimos anos de formação em Terapia Ocupacional. O procedimento de coleta de dados envolveu análise documental e questionário. De acordo com o método utilizado, em uma primeira etapa foram consideradas a grade curricular e as ementas das disciplinas teóricas e práticas do currículo pleno, relacionadas às técnicas e recursos terapêuticos ocupacionais. Em uma segunda etapa, por intermédio da utilização de questionário, foi registrada a percepção dos graduandos, em relação a seu aprendizado e capacitação na área de acessibilidade e tecnologia assistiva. Os resultados apontaram para uma média geral de 71,96 horas dedicadas ao ensino da tecnologia assistiva, o que representa um percentual de 2,25% da carga horária mínima obrigatória, concentrados nas disciplinas que apresentam de 59 à 89 horas de carga horária total obrigatória. Os resultados da análise documental registraram que os conteúdos estão sendo tratados em disciplinas obrigatórias específicas (82,4%), seguidos pelas disciplinas obrigatórias não específicas nas quais os temas foram englobados no ementário (64,7%). Verificou-se que há disparidade entre os achados desta análise e a percepção dos alunos, que referem que 42,5 % dos conteúdos foi oferecido em disciplinas específicas e dentro de outras disciplinas (as chamadas de Terapia Ocupacional Aplicada ). Os resultados identificaram ainda uma falta de sistematização destes conteúdos com as respectivas cargas horárias, e a superficialidade na abordagem dos temas. Dentre os quesitos de capacitação, constatou-se que os alunos se sentem mais preparados para avaliar do que para atuar com recursos tecnológicos, e muito pouco preparados para criar e desenvolver recursos de acessibilidade e tecnologia assistiva. As contribuições desta pesquisa poderão ajudar os cursos a melhor direcionar seus conteúdos e práticas em face do desenvolvimento de recursos de acessibilidade e tecnologias, dentro dos parâmetros inclusivos, aprimorando a formação para a participação no mercado de trabalho.por
dc.publisher.countryBRpor
dc.publisher.initialsUFSCarpor
dc.publisher.programPrograma de Pós-graduação em Educação Especialpor
dc.subject.cnpqCIENCIAS HUMANAS::EDUCACAO::TOPICOS ESPECIFICOS DE EDUCACAO::EDUCACAO ESPECIALpor


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record