Show simple item record

dc.creatorMendes, Tássia Nogueira Eid
dc.date.accessioned2016-06-02T20:13:15Z
dc.date.available2014-07-14
dc.date.available2016-06-02T20:13:15Z
dc.date.issued2014-04-10
dc.identifier.citationMENDES, Tássia Nogueira Eid. Lévi-Strauss e a tríade da estrutura: a linguagem, o simbólico e o inconsciente. 2014. 120 f. Dissertação (Mestrado em Ciências Humanas) - Universidade Federal de São Carlos, São Carlos, 2014.por
dc.identifier.urihttps://repositorio.ufscar.br/handle/ufscar/4882
dc.description.abstractThis research had as a goal a better definition of the notion of unconscious in the work of Claude Lévi-Strauss. In the early texts, such as The Symbolic Efficacy (1949), this concept is introduced as a set of structural laws, named Symbolic function. Nevertheless, throughout the path of the levi-straussian work, this terminology fades bit-by-bit, making room for concepts like the symbolic thought. In its turn, this concept imprints the determination of symbolism, characteristic that defines mankind, and thus, the unconscious defines humanity itself. Placed between nature and culture, the unconscious therefore is paradoxically plural and universal, allowing the apprehension of an integrated reality. The pair unconscious/ conscious characterizes the different levels of the phenomenon that Lévi-Strauss analyses in his anthropology, granting two types of investigation: inductive and deductive. The proposal of an unconscious facet of the social phenomenon made possible the prescription of two discontinued methods. The exam of the empirical and transcendental realities is orchestrated in a way of establishing, at the same time, an irreducibly statement between nature and culture and a refusal to old-fashioned dualisms. In this work, throughout the developments of the notion unconscious in the work of Lévi-Strauss, we hope to demonstrate that this concept is symbolic, and that such an analysis implies the investigation of the passage between nature and culture. Therefore, we hope to set the implications of this notion to the definition of mankind in the work of Lévi- Strauss.eng
dc.description.sponsorshipUniversidade Federal de Sao Carlos
dc.formatapplication/pdfpor
dc.languageporpor
dc.publisherUniversidade Federal de São Carlospor
dc.rightsAcesso Abertopor
dc.subjectFilosofiapor
dc.subjectSimbólicopor
dc.subjectNaturezapor
dc.subjectCulturapor
dc.subjectInconscientepor
dc.subjectLévi-Strauss, Claude, 1908-2009por
dc.subjectPensamento míticopor
dc.subjectGarrafa de Kleinpor
dc.subjectStructuralismeng
dc.subjectSymboliceng
dc.subjectUnconsciouseng
dc.subjectMythic thoughteng
dc.subjectKlein bottleeng
dc.titleLévi-Strauss e a tríade da estrutura: a linguagem, o simbólico e o inconscientepor
dc.typeDissertaçãopor
dc.contributor.advisor1Pinto, Débora Cristina Morato
dc.contributor.advisor1Latteshttp://lattes.cnpq.br/1311151012002541por
dc.creator.Latteshttp://lattes.cnpq.br/4996572578026059por
dc.description.resumoEsse trabalho teve como objetivo melhor definir a noção de inconsciente na obra de Lévi-Strauss. Em textos iniciais, como a A eficácia simbólica (1949), esse conceito é apresentado como um conjunto de leis estruturais, nomeado função simbólica. Não obstante, ao longo do percurso da obra levistraussiana, pouco a pouco, o termo função simbólica se desvanece, dando lugar a conceitos como: pensamento simbólico. Este, por sua vez, marca a determinação do simbolismo na obra do antropólogo, noção, esta, que define o estatuto de humanidade. Desse modo, o inconsciente passa a caracterizar não só o pensamento simbólico, mas a própria definição da humanidade (LÉVI-STRAUSS, 2012). Situado entre natureza e cultura tal qual o homem e, portanto, paradoxalmente plural e universal, o inconsciente levistraussiano permite a apreensão de uma realidade integrada. O par consciente/inconsciente, ao qualificar os diferentes níveis dos fenômenos aos quais se dedica Lévi-Strauss, operacionaliza o uso tanto da indução quanto da dedução na investigação a que se propôs. A postulação de uma faceta inconsciente dos fenômenos sociais foi o que permitiu uma abordagem completa da realidade, prescrevendo métodos aparentemente descontínuos.. Desse modo, a abordagem do empírico e do transcendental é orquestrada de maneira a prescrever uma irredutibilidade entre as ordens natureza e cultura, ao mesmo tempo, uma recusa à antigos dualismos (sensível/inteligível, corpo/espírito, natureza/cultura). Neste texto, esperamos, através da marcha demonstrativa da função simbólica ao longo dos desenvolvimentos da obra do antropólogo, ter contribuído para uma compreensão do inconsciente, na antropologia estrutural, como simbólico. Ordem que subjaz a pluralidade cultural, assim como confere o universal almejado pela cientificidade esquadrinhada por Lévi-Strauss. A análise do conceito de função simbólica implica, inelutavelmente, o exame da passagem entre natureza e cultura, bem como o lugar que cabe a humanidade mediante estas duas esferas.por
dc.publisher.countryBRpor
dc.publisher.initialsUFSCarpor
dc.publisher.programPrograma de Pós-graduação em Filosofia e Metodologia das Ciênciaspor
dc.subject.cnpqCIENCIAS HUMANAS::FILOSOFIApor


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record