Show simple item record

dc.creatorLopes, Mariana Moraes
dc.date.accessioned2018-05-08T12:39:27Z
dc.date.available2018-05-08T12:39:27Z
dc.date.issued2018-02-23
dc.identifier.urihttps://repositorio.ufscar.br/handle/ufscar/9899
dc.description.abstractSchool Inclusion has grown every year, and with the increased enrolment of students with disabilities in regular schools, the demand for stronger support networks and differential care has grown. In this scenario a new character has gained prominence, and although they have received many different denominations, such as "attendant", "caregiver", "trainee", "auxiliary", "escort" etc.; here they will be called School Inclusion Support Professional (SISP). Still lacking in function and well-defined assignments, with no specific professional profile and unknown working conditions, the figure of these SISP, although relatively recent in schooling policies, has become increasingly frequent and conflicting in school contexts. Considering that this character can be an important support to allow the process of school inclusion of students that require this type of support, but that can also be used as a mechanism of cheapening and simplification of the support system, the present study aimed to describe and analyse the profile and performance of SISP in different municipal contexts. This descriptive study carried out in five municipalities, three in the state of Bahia and two in the state of São Paulo, involved procedures based on individual interviews and focus groups. In total, 35 support professionals participated, ranging from five to seven per city, in addition to five representatives from the Education Department, one from each city. The design of the study involved three stages, namely: I) Elaboration of instruments in the form of interview scripts for focus groups; II) Execution of focal group I - with support professionals of each city; III) Semi-structured interview with a Special Education representative of the municipalities. Data analysis involved the transcription of the interviews and data processing through Atlas-Ti®. The results evidenced the importance of SISP in the school context, but at the same time a precarious and worrisome scenario of how this type of support has been used by school inclusion policies. Hopefully, the present study has contributed to the academic area to reflect on school inclusion support policies, considering the novelty of the theme and the still scarce scientific evidence, as well as the educational system, by pointing out the need to define guidelines that regulate the variety of profiles, attributions, working conditions and courses of action found in the different realities of SISPeng
dc.description.sponsorshipCoordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES)por
dc.language.isoporpor
dc.publisherUniversidade Federal de São Carlospor
dc.rights.uriAcesso abertopor
dc.subjectSistema de apoiopor
dc.subjectEducação especialpor
dc.subjectInclusão escolarpor
dc.subjectProfissionais de apoiopor
dc.subjectSpecial educationeng
dc.subjectSchool inclusioneng
dc.subjectSupport professionalseng
dc.subjectSupport systemeng
dc.titlePerfil e atuação dos profissionais de apoio à inclusão escolarpor
dc.title.alternativeProfile and acting of professionals in support of school inclusioneng
dc.typeDissertaçãopor
dc.contributor.advisor1Mendes, Enicéia Gonçalves
dc.contributor.advisor1Latteshttp://lattes.cnpq.br/3897627554738983por
dc.creator.Latteshttp://lattes.cnpq.br/4772800166360585por
dc.description.resumoO movimento de Inclusão Escolar vem crescendo a cada ano, com o aumento de matrículas de estudantes do público-alvo da Educação Especial nas escolas comuns, emerge a demanda de ampliação de redes de apoio e suportes diferenciados. Nesse cenário, um novo personagem tem ganhado destaque, o qual, embora tenha recebido denominações diversas, tais como “atendente”, “cuidador”, “estagiário”, “auxiliar”, “Acompanhante” etc, aqui será chamado de Profissional de Apoio à Inclusão Escolar (PAIE). Ainda sem função e atribuições bem definidas, sem perfil profissional específico e condições de trabalho desconhecidas, a figura desses PAIE, relativamente, recente nas políticas de escolarização, tem-se tornado cada vez mais frequente e conflituosa nos contextos escolares. Considerando que esse personagem pode constituir um apoio importante para viabilizar o processo de inclusão escolar de estudantes que requerem esse tipo de apoio, mas que pode ser também usado como mecanismo de barateamento e simplificação do sistema de apoio. Nesse sentido, o presente estudo teve como objetivo descrever e analisar o perfil e a atuação dos PAIE em diferentes contextos municipais. O estudo descritivo realizado em cinco municípios, três do estado da Bahia e dois do estado de São Paulo, envolveu procedimentos baseados em entrevistas individuais e grupos focais. Ao todo foram 35 participantes, 30 profissionais de apoio, sendo de cinco a sete por cidade, além de cinco representantes da Secretaria de Educação, um de cada cidade. O delineamento do estudo envolveu três etapas, a saber: I) Elaboração dos instrumentos na forma de roteiros de entrevista para os grupos focais; II) Realização do grupo focal I – com os Profissionais de apoio de cada uma das cidades; III) Entrevista semiestruturada com um representante da Educação Especial dos municípios. A análise dos dados envolve a transcrição das entrevistas e para tratamento dos dados foi utilizado o software Atlas-Ti. Os resultados foram apontados e discutidos a partir de quatro eixos temáticos, sendo eles, o eixo de condições de trabalho, público atendido, funções atribuídas e exercidas e o eixo impactos da atuação dos PAIE. Sendo asism, evidenciaram a importância desse profissional no contexto escolar, mas, ao mesmo tempo, um cenário precário e preocupante da forma como esse tipo de apoio tem sido usado pelas políticas de inclusão escolar. Espera-se que o presente estudo contribua para a reflexão sobre a política de apoio à inclusão escolar no âmbito acadêmico, considerando a novidade do tema e a ainda escassa produção científica, assim como para o sistema educacional, apontando a necessidade de se definir diretrizes que regulamentem a variedade de perfis, atribuições, condições de trabalho e modos de atuação encontrados nas diferentes realidades dos PAIE.por
dc.publisher.initialsUFSCarpor
dc.publisher.programPrograma de Pós-graduação em Educação Especialpor
dc.subject.cnpqCIENCIAS HUMANAS::EDUCACAOpor
dc.ufscar.embargoOnlinepor
dc.publisher.addressCâmpus São Carlospor


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record