Show simple item record

dc.contributor.authorZaniboni, Caroline Riberti
dc.date.accessioned2018-10-10T17:38:00Z
dc.date.available2018-10-10T17:38:00Z
dc.date.issued2017-03-17
dc.identifier.urihttps://repositorio.ufscar.br/handle/ufscar/10571
dc.description.abstractEmpathy for pain is the ability to feel other’s pain and recent studies suggest this capacity between rodents. GABAergic system has receptors in brain structures involved in emotional processes as the insula, which is known to play a role in modulation of pain and empathy. The present study investigated the role of Benzodiazepine-GABAA system and insula’s Benzodiazepine-GABAA receptors on social modulation of pain induced by cohabiting with a mouse submitted to a neuropathic pain model. The role of GABA system was assessed by systemic treatment of midazolam (MDZ) (0.5, 1.0, 2.0 mg/kg), a GABAA agonist (Exp. 1) and the role of GABAA receptors of insula by MDZ microinjections (3 and 30 nmol/0.1 μl) in the structure (Exp. 2). Male Swiss mice (n=8-10/group) (Ethics: CEUA/UFSCar N° 47520904) were housed in pairs and after 14 days were divided into two groups: cagemate nerve constriction (CNC), in which one animal of each pair was subjected to sciatic nerve constriction and cagemate sham (CS), one animal from each pair was subjected to the same surgery but without constriction. On Experiment 1, in the 28th day of cohabiting, the observer cagemate, who lived with a CS or CNC, received injections of saline or midazolam (0.5, 1.0 and 2.0 mg/kg, subcutaneous, s.c) and, 30 minutes after, were submitted to the writhing test for 5 minutes to evaluate nociception. In Experiment 2, the protocol was the same, but in 23th day of cohabiting, each observer cagemate was surgically implanted with guide cannula bilaterally in the insula. In the 28th day, the observer cagemate received intra-insula injections of saline or midazolam (3 or 30nmol/0.1 μl) and after 10 minutes was submitted to writhing test. In both experiments, two-way ANOVA followed by post hoc Duncan test revealed that the number of writhes was higher in CNC animals than the CS animals (P < 0.05). In Experiment 1, the higher dose of midazolam (2.0 mg/kg) decreased the number of writhes induced by living with a pair in neuropathic pain (P < 0.05), but this response was not changed by intra-insula midazolam (P < 0.05, Experiment 2). Results suggest that cohabitation in pairs with chronic pain condition induces hypernociception and benzodiazepine-GABAA system is possibly involved in the social modulation of pain, but not mechanisms located within the insula.eng
dc.language.isoporpor
dc.publisherUniversidade Federal de São Carlospor
dc.rights.uriAcesso abertopor
dc.subjectModulação social da dorpor
dc.subjectCamundongospor
dc.subjectInsulapor
dc.subjectMidazolampor
dc.subjectEmpatiapor
dc.subjectSocial modulation of paineng
dc.subjectMiceeng
dc.subjectBenzodiazepine-GABAA systemeng
dc.titleAvaliação do papel dos receptores GABAA-benzodiazepínicos da ínsula na nocicepção de camundongos que conviveram com coespecífico em condição de dor crônicapor
dc.typeDissertaçãopor
dc.contributor.advisor1Souza, Azair Liane Matos do Canto de
dc.contributor.advisor1Latteshttp://lattes.cnpq.br/2352004564367849por
dc.description.resumoDor é uma experiência subjetiva, multifatorial, emocional e um processo de alto valor adaptativo. Há evidências de que a resposta neural da percepção da dor é similar à resposta neural da observação da dor, o que caracteriza um processo empático. O número de indivíduos acometidos com dores crônicas é considerado alto e com baixa eficácia de tratamento no mundo e o convívio prolongado com pessoas que sofrem de dores crônicas pode promover danos psicológicos e fisiológicos aos cuidadores. Neste sentido, compreender o processo de modulação social da dor se mostra necessário diante da abrangência do tema e de sua característica evolucionista, pois contribui para a evolução da espécie humana e fortalecimento da convivência em sociedade. Sabe-se que empatia é uma resposta emocional básica e produto de diversos circuitos cerebrais. Estudos recentes têm demonstrado esta capacidade em roedores, principalmente frente a uma situação de dor. Estudo do nosso grupo demonstrou que a convivência em pares é capaz de alterar a resposta nociceptiva em camundongos e que provavelmente os mesmos circuitos cerebrais modulatórios da empatia para a dor podem modular a própria dor, sendo a ínsula uma das estruturas cerebrais envolvidas neste processo. Ainda, há evidências de que a ínsula pode modular respostas nociceptivas via receptores GABAA-Benzodiazepínicos, entretanto, as bases neurais deste processo não estão bem estabelecidas. Diante do exposto, o objetivo deste estudo foi investigar o envolvimento da neurotransmissão GABAérgica e o papel dos receptores GABAA-Benzodiazepínicos da ínsula na modulação da resposta nociceptiva em camundongos que conviveram com coespecífico submetido a um modelo de dor crônica. Camundongos machos Suíço-albinos foram alojados em pares e, após 14 dias de convívio, um animal do par foi submetido à cirurgia de constrição do nervo ciático (CNC), indução da dor crônica, ou não (Sham) e conviveram por mais 14 dias. Foram realizados dois experimentos, no primeiro, no 28º dia o animal que conviveu com o par em quadro de dor crônica recebeu salina ou midazolam [0,5, 1,0 e 2,0 mg/kg, subcutâneos (s.c.)], agonista benzodiazepínico, e foram submetidos ao teste de contorções abdominais para avaliação da nocicepção [ácido acético 0,6% intraperitoneal (i.p.)] (Experimento 1). No segundo, no 23º dia o camundongo que conviveu com o animal CNC ou animal Sham foi submetido a uma cirurgia estereotáxica da ínsula, e, no 28º dia, ao mesmo teste de nocicepção após injeção intra-ínsula de salina ou midazolam (3,0 e 30 nmol/0,1 μl) (Experimento 2). Os dados foram submetidos à análise de variância (ANOVA) de dois fatores (convívio x tratamento), seguido pelo teste de comparações múltiplas de Duncan. Os valores de p < 0,05 foram considerados como significativos nos dois experimentos. Nos Experimentos 1 e 2, o convívio com um animal em quadro de dor crônica foi capaz de aumentar o número de contorções no parceiro. No Experimento 1, o midazolam na maior dose (2,0 mg/kg, s.c.) reverteu a hipernocicepção induzida pelo convívio, sugerindo o envolvimento desta neurotransmissão no processo de modulação social da nocicepção em camundongos. Entretanto, no Experimento 2 nenhuma das doses de midazolam intra-ínsula alterou a resposta nociceptiva, o que sugere que os receptores GABAA-Benzodiazepínicos da ínsula não estão modulando o efeito hipernociceptivo induzido pelo convívio com o parceiro em quadro de dor crônica.por
dc.publisher.initialsUFSCarpor
dc.publisher.programPrograma de Pós-Graduação em Psicologia - PPGPsipor
dc.subject.cnpqCIENCIAS HUMANAS::PSICOLOGIApor
dc.description.sponsorshipIdFAPESP: 2015/11908-9por
dc.ufscar.embargoOnlinepor
dc.publisher.addressCâmpus São Carlospor
dc.contributor.authorlatteshttp://lattes.cnpq.br/4350264853966672por


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record