Show simple item record

dc.creatorLibanori, Guilherme Andolfatto
dc.date.accessioned2016-06-02T19:35:59Z
dc.date.available2015-03-31
dc.date.available2016-06-02T19:35:59Z
dc.date.issued2015-02-10
dc.identifier.citationLIBANORI, Guilherme Andolfatto. Melhores políticas para melhores vidas: um estudo crítico das concepções que embasam o Programme For International Student Assessment (PISA) no período 1997-2012. 2015. 161 f. Tese (Doutorado em Ciências Humanas) - Universidade Federal de São Carlos, São Carlos, 2015.por
dc.identifier.urihttps://repositorio.ufscar.br/handle/ufscar/2360
dc.description.abstractThis work has as its object of study the Programme For International Student Assessment (PISA), an international assessment system, created in 1997 by the Organization for Economic Co-operation and Development (OECD) and reaches fifteen students who are in final phase of compulsory schooling. The objective of this study is to analyze the PISA through its justification of creation, objectives and concepts that underlie the official documents of the OECD. In particular, through the analysis of conceptions of quality, equity and accountability in official documents of PISA, we seek to understand to what extent these conceptions are articulated with the economic development goals of OECD, as well as understand the participation of the Organization in educational policies, identify practices that the discourse of OECD seeks to engender in education management and how these conceptions allow to legitimate new forms of assessment which gradually reorganize and impose a new form to the educational process schooled. The theoretical-methodological approach is based on bibliographic and documentary research. The analysis will take place by means of the categories of discursive and social practices, by Paul Veyne, modernization and rationalization, by Max Weber, and the conceptions of social justice and equity, by John Rawls. Our analyzes showed that PISA is a producer and promoter of discursive practices, which aims to spread the instrumental rationality in education, standardize knowledge and skills required by the economic sphere, as well as homogenize and optimize the educational policies worldwide. Thus, PISA is more than an evaluation system, it is a global governance agent that, which through indications and discursive persuasion, kind of soft power actions made by the OECD and legitimized by the participating countries, seeks to disseminate best economic practices in order to homogenize the international productive sphere. Therefore, PISA is projected as an education regulation tool for economic and political purposes.eng
dc.description.sponsorshipUniversidade Federal de Minas Gerais
dc.formatapplication/pdfpor
dc.languageporpor
dc.publisherUniversidade Federal de São Carlospor
dc.rightsAcesso Abertopor
dc.subjectAvaliação educacionalpor
dc.subjectPISApor
dc.subjectOrganização de Cooperação e Desenvolvimento Econômicopor
dc.subjectEquidade e educaçãopor
dc.subjectQualidade na educaçãopor
dc.subjectResponsabilidade educacionalpor
dc.subjectOECDeng
dc.subjectEvaluationeng
dc.subjectEquityeng
dc.subjectQuality of educationeng
dc.subjectAccountabilityeng
dc.titleMelhores políticas para melhores vidas: um estudo crítico das concepções que embasam o Programme For International Student Assessment (PISA) no período 1997-2012por
dc.typeTesepor
dc.contributor.advisor1Riscal, Sandra Aparecida
dc.contributor.advisor1Latteshttp://genos.cnpq.br:12010/dwlattes/owa/prc_imp_cv_int?f_cod=K4786623U2por
dc.creator.Latteshttp://lattes.cnpq.br/5775749515785652por
dc.description.resumoEste trabalho tem como objeto de estudo o Programme For International Student Assessment (PISA), sistema de avaliação internacional, criado em 1997 pela Organization for Economic Co-operation and Development (OECD) e que atinge estudantes de quinze anos, que estão em fase final de formação escolar obrigatória. O objetivo deste estudo é analisar o PISA por meio de sua justificativa de criação, objetivos e de concepções que o embasam em documentos oficiais da OECD. Em particular, por meio da análise das concepções de qualidade (quality), equidade (equity) e responsabilidade (accountability) nos documentos oficiais sobre o PISA, busca-se compreender em que medida essas concepções se articulam com os objetivos de desenvolvimento econômico da OECD, bem como compreender a participação desta Organização nas políticas educacionais, identificar práticas que o discurso da OECD busca engendrar na gestão educacional e de que forma estas concepções permitem legitimar as novas formas de avaliação que gradualmente vêm reorganizando e impondo uma nova forma ao processo educativo escolarizado. O procedimento teóricometodológico é baseado em pesquisa bibliográfica e documental e sua análise dar-se-á por meio das categorias de práticas discursivas e sociais, de Paul Veyne, modernização e racionalização, de Max Weber, e das concepções de justiça social e equidade, de John Rawls. Nossas análises apontaram que o PISA constitui-se em um produtor e indutor de práticas discursivas, cujo objetivo é propagar a racionalidade instrumental na educação, padronizar conhecimentos e habilidades ensejados pela esfera econômica, bem como homogeneizar e otimizar as políticas educacionais em âmbito mundial. Assim, o PISA é mais do que um sistema de avaliação, sendo um agente de governança global que, por meio de indicações e persuasão discursivas, ações do tipo soft power feitas pela OECD e legitimadas pelos países participantes, busca difundir boas práticas econômicas a fim de homogeneizar a esfera produtiva internacional. Portanto, o PISA projeta-se como instrumento de regulação da educação com fins econômicos e políticos.por
dc.publisher.countryBRpor
dc.publisher.initialsUFSCarpor
dc.publisher.programPrograma de Pós-Graduação em Educação - PPGEpor
dc.subject.cnpqCIENCIAS HUMANAS::EDUCACAOpor


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record