Show simple item record

dc.creatorBarbarini, Marcia de Lucca
dc.date.accessioned2016-06-02T20:25:14Z
dc.date.available2012-06-05
dc.date.available2016-06-02T20:25:14Z
dc.date.issued2011-08-22
dc.identifier.citationBARBARINI, Marcia de Lucca. Gênero, autoria e estilo em textos de 6º ano do ensino fundamental. 2011. 114 f. Dissertação (Mestrado em Ciências Humanas) - Universidade Federal de São Carlos, São Carlos, 2011.por
dc.identifier.urihttps://repositorio.ufscar.br/handle/ufscar/5742
dc.description.abstractCompare the values predicted by three equations referenced in the literature with the values obtained by our sample of healthy volunteers in the six minute walk test (6MWT), and establish a new reference equation for 6MWT for the Brazilian population. 89 volunteers were evaluated (43 women) 37.8 ± 15.9 years old by spirometry, assessment of physical activity level by the International Physical Activity Questionnaire (IPAQ) and performed two 6MWT with rest intervals of 30 minutes between tests. For comparison the greatest distance achieved during the 6MWT (WD-6MWT) to the equations provided we used the Friedman test with post hoc Dunn and the correlation of variables with the WD-6MWT Spearman's test and the predictive model was performed multiple linear regression analysis by stepwise method. European equation significantly overestimated (p <0.001) WD-6MWT, Brazilian and American underestimated showed no significant difference. The WD-6MWT correlated significantly with gender (r = 0.46), age (r =- 0.59), height (r = 0.57) and length of the lower limb (LL-C) (r = 0.59). The reference equation was developed WD-6MWT=401.185 - (2.402 x age years) + (43.247 x gender 1 = male, female = 0) + (1.757 x height cm). Therefore, in view of the results obtained, it was possible to predict a new reference equation for Brazilian individuals, which explained 60% of the total variability in 6MWT, and will certainly contribute to improve the interpretation of the exercise capacity of patients with functional disability.eng
dc.formatapplication/pdfpor
dc.languageporpor
dc.publisherUniversidade Federal de São Carlospor
dc.rightsAcesso Abertopor
dc.subjectLinguísticapor
dc.subjectAutoriapor
dc.subjectEstilopor
dc.subjectGêneropor
dc.titleGênero, autoria e estilo em textos de 6º ano do ensino fundamentalpor
dc.typeDissertaçãopor
dc.contributor.advisor1Martins, Maria Sílvia Cintra
dc.contributor.advisor1Latteshttp://lattes.cnpq.br/9241992645160356por
dc.creator.Latteshttp://lattes.cnpq.br/4266142081482343por
dc.description.resumoComparar os valores previstos por três equações já referenciadas na literatura com os valores obtidos pelos voluntários saudáveis da nossa amostra no teste de caminhada de seis minutos (TC6), além de estabelecer uma nova equação de referência para TC6 para a população brasileira. Foram avaliados 89 voluntários (43 mulheres) 37,8±15,9 anos por meio da espirometria, da avaliação do nível de atividade física pelo questionário internacional de atividade física (IPAQ) e realizados dois TC6 com intervalo de descanso de 30 minutos entre os testes. Para a comparação da maior distância obtida no TC6 (DP-TC6) com as equações previstas foi utilizado o teste de Friedman com post hoc de Dunn e para a correlação das variáveis com a DP-TC6 foi utilizado o teste de Spearman e para o modelo preditivo foi realizada a análise de regressão linear múltipla pelo método stepwise. A equação européia superestimou significativamente (p<0,001) a DP-TC6, a brasileira subestimou e a americana não apresentou diferença significativa. A DP-TC6 correlacionou-se significativamente com gênero (r=0,46), idade (r=-0,59), estatura (r=0,57) e comprimento de membro inferior (C-MI) (r = 0,59). A equação de referência desenvolvida foi DP-TC6 = 401,185 (2,402 x idadeanos) + (43,247 x gênero masculino = 1; feminino = 0) + (1,757 x estatura centímetros). Portanto, diante dos resultados alcançados, foi possível predizer uma nova equação de referência para indivíduos brasileiros que explicou 60% da variabilidade total no TC6, e certamente contribuirá para melhorar a interpretação da capacidade de exercício de pacientes que apresentam incapacidade funcional.por
dc.publisher.countryBRpor
dc.publisher.initialsUFSCarpor
dc.publisher.programPrograma de Pós-graduação em Linguísticapor
dc.subject.cnpqLINGUISTICA, LETRAS E ARTESpor


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record