Show simple item record

dc.creatorMahl, Eliane
dc.date.accessioned2016-06-02T19:46:17Z
dc.date.available2012-04-19
dc.date.available2016-06-02T19:46:17Z
dc.date.issued2012-02-27
dc.identifier.citationMAHL, Eliane. Práticas pedagógicas dos professores de educação física frente a inclusão de alunos com deficiência. 2012. 156 f. Dissertação (Mestrado em Ciências Humanas) - Universidade Federal de São Carlos, São Carlos, 2012.por
dc.identifier.urihttps://repositorio.ufscar.br/handle/ufscar/3093
dc.description.abstractCurrently there are a lot of national and international social-educative politics aiming to assure an efficient application of equal opportunities for people with special needs. The assurance of access and permanence spreads over all segments and subject areas, such as Physical Education and, for being a mandatory part of primary education and comprising the pedagogical proposition, it cannot be indifferent to the inclusive education movement. Considering that pedagogical practices that are planned, organized and targeted indistinctly to all students are of fundamental importance to good quality education, this study aims at investigate the concepts and actions that guide the pedagogical practices related to the inclusion of students with special needs of physical education teachers from the public schools of a city of São Paulo State, comparing these practices with their speech. In this way, it is a qualitative study outlined by the transversal descriptive model since it analyzes or situates a group of people into a variable or concept, providing its description. I n order to achieve the study s goal one used two artifacts: field diaries for registering what was observed on the physical education teachers pedagogical practices, and semi-structured interviews, and it was chosen to apply content analysis. Therefore, the methodological path that was followed allowed one to envision different nuances of the pedagogical practices applied by some teachers, such as: a) lack of commitment to the area, the students education, continued education, the discussion that involves the education system and the difficulties inherent to the teaching duty; b) lack of knowledge about the legal regulation of the inclusion process; c) disenchantment with the profession and, most importantly, disparity and distancing of their pedagogical practices against the inclusion of students with special needs and the inclusion speech. However, there is a light on the horizon: some teachers surprisingly kept pedagogical practices meeting the standards that construct an education system which is, in this case related to Physical Education, more human, more serious, more experienced, more successful and more inclusive. Where, in the light of inclusion and by means of human rights, respect to diversity presupposes tolerance to the peculiarities of each student/person, consolidating in practice the so heated speeches despite of inclusion. In these meanders, one believes studying the inclusion process by observing the physical education teachers pedagogical practices and speeches allowed to comprehend the actual situation of public schools and their inclusion possibilities, where the knowledge needed for inclusive education is set, but the big challenge is the doubts and insecurity the teachers have about that process, besides the possibility (or impossibility?) of using all the developed resources in order to provide quality education and foster inclusive education. In view of the problem shown, one believes it is extremely important that every teacher regardless of subject area improves her knowledge about inclusion of students with special needs even though there are not yet students with such condition in the schools she works. After all, inclusion of students with special needs is not an option anymore but a guaranteed right and yet it is as indispensable as obvious to have consistence between speech and inclusive practice, for it is worthless addressing a speech and not doing what it states.eng
dc.description.sponsorshipFinanciadora de Estudos e Projetos
dc.formatapplication/pdfpor
dc.languageporpor
dc.publisherUniversidade Federal de São Carlospor
dc.rightsAcesso Abertopor
dc.subjectEducação físicapor
dc.subjectPráticas pedagógicaspor
dc.subjectInclusão de deficientespor
dc.subjectDeficiênciapor
dc.subjectEducação especialpor
dc.subjectPhysical Educationeng
dc.subjectPedagogical Practiceseng
dc.subjectInclusioneng
dc.subjectDisabilityeng
dc.titlePráticas pedagógicas dos professores de educação física frente a inclusão de alunos com deficiênciapor
dc.typeDissertaçãopor
dc.contributor.advisor1Denari, Fátima Elisabeth
dc.contributor.advisor1Latteshttp://lattes.cnpq.br/5575213011914394por
dc.creator.Latteshttp://lattes.cnpq.br/1624566458284054por
dc.description.resumoNa atualidade, muitas políticas nacionais e internacionais buscam assegurar a efetiva aplicabilidade da equidade de oportunidades para as pessoas com deficiência no contexto sócio-educacional. A garantia do acesso e permanência se estende a todos os segmentos e áreas do conhecimento, dentre estas a Educação Física que, integrada à proposta pedagógica da escola é componente curricular obrigatório da educação básica, não podendo ficar indiferente em face aos movimentos de educação inclusiva. Partindo da premissa de que práticas pedagógicas planejadas, organizadas e direcionadas a todos os alunos, indistintamente, revestem-se de fundamental importância para a educação de (boa) qualidade, este estudo teve por objetivo investigar as concepções e ações que norteiam as práticas pedagógicas de professores de Educação Física da rede pública de ensino de um município do interior paulista, frente a inclusão de alunos com deficiência, cotejando estas práticas com seu discurso. Deste modo, este estudo caracteriza-se sob o enfoque qualitativo, delineado pelo modelo transversal descritivo, por analisar ou situar um grupo de pessoas em uma variável ou conceito, proporcionando sua descrição. Buscando responder ao objetivo, utilizou-se de dois instrumentos: diários de campo para registros das observações das práticas pedagógicas dos professores de Educação Física e entrevista semiestruturada, sendo que para analisar os dados coletados optou-se pelo emprego de análise de conteúdo. Destarte, o caminho metodológico traçado permitiu vislumbrar diferentes nuances das práticas pedagógicas de alguns dos professores, tais como: a) descompromisso com a área, com a educação dos alunos, com a formação continuada, com as discussões que envolvem o sistema educativo e os percalços inerentes ao desempenho da função de professor; b) desconhecimento do aporte legal que regulamenta o processo de inclusão; c) desencantos pela profissão e, principalmente, disparidade e distanciamento das práticas pedagógicas frente a inclusão de alunos com deficiência e o discurso inclusivo. Todavia, há cores no horizonte: alguns professores, surpreendentemente, conseguiram manter a sua prática pedagógica dentro dos padrões desejados à construção de um sistema educacional e, neste caso, referente à Educação Física, mais humano, mais sério, mais experiente, mais exitoso e mais inclusivo. Onde, sob a luz da inclusão e por meio dos direitos humanos, o respeito à diversidade pressupõe tolerância para com as diferenças e peculiaridades de cada aluno/pessoa, consolidando na prática os discursos tão acalorados a despeito da inclusão. Nestes meandros, acredita-se que estudar o processo de inclusão, a partir das observações das práticas pedagógicas e dos discursos dos professores de Educação Física, possibilitou compreender o momento atual pelo qual passam as escolas públicas e suas possibilidades de inclusão, onde o arsenal de conhecimentos necessários à educação inclusiva esta posto, porém, o grande desafio esbarra nas dúvidas e inseguranças que os professores têm sobre tal processo, além da possibilidade (ou seria impossibilidade?) da utilização de toda a gama de recursos desenvolvidos, visando à provisão de ensino de qualidade, para que se promova a educação inclusiva. Tendo em vista a problemática apresentada, acredita-se ser de extrema importância que todo professor, independentemente da área do conhecimento a qual pertença, procure aprimorar-se em assuntos relacionados a inclusão de alunos com deficiência, mesmo que ainda não tenha essa população inserida nas escolas onde leciona. Afinal, a inclusão de alunos com deficiência não é mais uma opção educacional, é um direito garantido e, ainda, é imprescindível, tanto quanto óbvio, ter coerência entre discurso e prática inclusiva, pois, de nada vale discursar sobre o que não se faz.por
dc.publisher.countryBRpor
dc.publisher.initialsUFSCarpor
dc.publisher.programPrograma de Pós-graduação em Educação Especialpor
dc.subject.cnpqCIENCIAS HUMANAS::EDUCACAO::TOPICOS ESPECIFICOS DE EDUCACAO::EDUCACAO ESPECIALpor


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record