Show simple item record

dc.creatorBrasil, Silvany Ellen Risuenho
dc.date.accessioned2016-06-02T19:46:29Z
dc.date.available2014-09-04
dc.date.available2016-06-02T19:46:29Z
dc.date.issued2014-02-24
dc.identifier.citationBRASIL, Silvany Ellen Risuenho. Habilidades sociais parentais e infantis, problemas de comportamento em pré-escolares: avaliação de pais e professores. 2014. 146 f. Dissertação (Mestrado em Ciências Humanas) - Universidade Federal de São Carlos, São Carlos, 2014.por
dc.identifier.urihttps://repositorio.ufscar.br/handle/ufscar/3171
dc.description.abstractWhereas the primary socialization of children happens within the family, where parents provide arrangements of reinforcement contingencies or offer models of behavior, including expanding and improving social skills classes. Childhood is considered a turning point for learning social skills, which are different classes of social behaviors present in the repertoire of an individual that promote a healthy and productive relationship with other people. Among the social skills, has the set of social skills specifically parental applicable to educational practices of their children, which is called parenting educative social skills (HSE-P). Many Brazilian studies have associated child behavior problems at HSE-P. Thus, this study aimed (a) establish and analyze the relationships between the parenting educative social skills repertoires, social skills of children and the occurrence of behavior problems of children; (b) compare the social skills and behavior problems of children, between the group of children whose parents have higher and lower educational repertoire of social skills and (c) compare the parenting educative social skills repertoire and the social skills repertoire of children between the group of children with more and less behavioral problems. Participated in the study 35 mothers and five fathers, with a mean age of 29 years (ranging from 19 to 66 years) of 40 children. These parents were responsible for 24 boys and 16 girls, aged between two and six years, attending public preschools in four cities in two states. Also responded to questionnaires 37 teachers, three male and 34 female. These teachers had, on average, 35 years of age ranging between 28 and 52 years. All had been teaching in regular class from kindergarten. To achieve the goals, have been applied the instruments Social Skills Rating System (SSRS) - version for parents and version for teachers and the Inventory of Social Educational Skills - IHSE-Del Prette, rather in the institution where the child studied or where participants indicated. Data were analyzed according to the standards of respective instruments. To establish relationships between variables Pearson's correlation test was used. The results indicated that parents had a higher frequency of HSE- P related to set boundaries, correct, control. The evaluation of the parents, the children were within the reference sample average for Social Skills and above average for Hyperactive behavior problems. According to the evaluation of teachers, these children were below average for Social Skills of Self-Control and Social Skills totals, and above average for problems of externalizing and internalizing behaviors. Significant positive correlations between HSE-P and social skills and academic performance of children, and significant and negative correlations between HSE-P and the problems of child behavior were found. As for comparative data, the group of children with parents with better repertoire of HSE-P showed better social skills related to Kindness, Assertiveness, Self / Civility, Passive Self and Self Defense. Children with higher levels of behavioral problems had lower social skills repertoire of Kindness, Self / Civility, Passive Self, Responsibility / Cooperation, Self-Control and Cooperation with peers. Overall, these data indicate that the better the repertoire of HSE-P, better social skills of children and lower the occurrence of behavior problems. So, intervention with parents with the goal of instrumentalize them can become a mechanism of protection effective to act in the primary prevention of child behavior problem, preventing these children are the target audience of Special Education since Childhood Education.eng
dc.description.sponsorshipFinanciadora de Estudos e Projetos
dc.formatapplication/pdfpor
dc.languageporpor
dc.publisherUniversidade Federal de São Carlospor
dc.rightsAcesso Abertopor
dc.subjectEducação infantilpor
dc.subjectHabilidades sociais educativaspor
dc.subjectProblemas de comportamentopor
dc.subjectSpecial educationeng
dc.subjectChildhood educationeng
dc.subjectParental educative social skillseng
dc.subjectBehavior problemeng
dc.titleHabilidades sociais parentais e infantis, problemas de comportamento em pré-escolares: avaliação de pais e professorespor
dc.typeDissertaçãopor
dc.contributor.advisor1Cia, Fabiana
dc.contributor.advisor1Latteshttp://lattes.cnpq.br/5999108571365402por
dc.creator.Latteshttp://lattes.cnpq.br/4941144201961213por
dc.description.resumoConsiderando que a socialização primária da criança acontece no contexto familiar, onde os pais disponibilizam arranjos das contingências de reforço ou oferecem modelos de comportamento, ela tem possibilidades de aumentar seu repertório comportamental, inclusive ampliar e aprimorar classes de habilidades sociais. A infância é considerada um período decisivo para o aprendizado das habilidades sociais, que são diferentes classes de comportamentos sociais presentes no repertório de um indivíduo que favorecem um relacionamento saudável e produtivo com as demais pessoas. Dentre as habilidades sociais, tem-se o conjunto de habilidades sociais especificamente dos pais aplicáveis às práticas educativas de seus filhos, que é denominado habilidades sociais educativas parentais (HSE-P). Muitos estudos brasileiros têm associado problemas de comportamento infantil às HSE-P. Neste sentido, este estudo teve por objetivos (a) estabelecer e analisar relações entre o repertório de habilidades sociais educativas parentais, o repertório de habilidades sociais dos filhos e a ocorrência de problemas de comportamento das crianças; (b) comparar o repertório de habilidades sociais e os problemas de comportamento das crianças, entre o grupo de crianças cujos pais têm maior e menor repertório de habilidades sociais educativas e (c) comparar o repertório de habilidades sociais educativas parentais e o repertório de habilidades sociais das crianças, entre o grupo de crianças com mais e menos problemas de comportamentos. Participaram da pesquisa 35 mães e cinco pais, com média de idade de 29 anos (variando entre 19 e 66 anos) de 40 crianças. Estes pais eram responsáveis por 24 meninos e 16 meninas, com idades entre dois e seis anos, frequentando pré-escolas públicas de quatro cidades de dois estados brasileiros. Também responderam aos questionários 37 professores, sendo três do sexo masculino e 34 do sexo feminino. Estes professores tinham, em média, 35 anos de idade, variando entre 28 e 52 anos. Todos lecionavam em classe comum da Educação Infantil. Para responder aos objetivos, foram aplicados os instrumentos Social Skills Rating System (SSRS) Versão para Pais e Versão para Professores e o Inventário de Habilidades Sociais Educativas IHSE-Del Prette, preferencialmente na própria instituição onde a criança estudava ou no local onde os participantes indicaram. Os dados foram analisados de acordo com as normas dos respectivos instrumentos. Para estabelecer relações entre as variáveis foi utilizado o teste de correlação de Pearson. Os resultados obtidos indicaram que os pais apresentaram maior frequência de HSE-P relacionadas a Estabelecer limites, corrigir, controlar. Segundo a avaliação dos pais, as crianças apresentaram-se dentro da média da amostra referência para as Habilidades Sociais e acima da média para problemas de comportamento de Hiperatividade. Segundo avaliação dos professores, estas crianças se encontravam abaixo da média para Habilidades Sociais de Autocontrole e Habilidades Sociais totais, e acima da média para problemas de comportamentos externalizantes e internalizantes. Foram encontradas correlações significativas e positivas entre as HSE-P e as habilidades sociais e o desempenho acadêmico das crianças, e correlações significativas e negativas entre HSE-P e os problemas de comportamentos das crianças. Quanto aos dados comparativos, as crianças do grupo de pais com melhor repertório de HSE-P apresentaram melhor repertório de habilidades sociais relacionadas à Amabilidade, Asserção, Autocontrole/Civilidade, Autocontrole passivo e Autodefesa. Crianças com maiores índices de problemas de comportamentos apresentaram menor repertório de Habilidades Sociais de Amabilidade, Autocontrole/Civilidade, Autocontrole passivo, Responsabilidade/Cooperação, Autocontrole e Cooperação com pares. De forma geral, estes dados indicam que quanto melhor o repertório de HSE-P, melhor o repertório de habilidades sociais das crianças e menor a ocorrência de problemas de comportamento. Assim, intervenção com pais com o objetivo de instrumentalizá-los pode vir a ser um mecanismo de proteção eficaz para atuar na prevenção primária de problemas de comportamento infantil, evitando que estas crianças sejam públicoalvo da Educação Especial desde a Educação Infantil.por
dc.publisher.countryBRpor
dc.publisher.initialsUFSCarpor
dc.publisher.programPrograma de Pós-graduação em Educação Especialpor
dc.subject.cnpqCIENCIAS HUMANAS::EDUCACAO::TOPICOS ESPECIFICOS DE EDUCACAO::EDUCACAO ESPECIALpor


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record