Show simple item record

dc.creatorAlmeida, Djair Lázaro de
dc.date.accessioned2017-05-22T20:08:09Z
dc.date.available2017-05-22T20:08:09Z
dc.date.issued2016-10-31
dc.identifier.urihttps://repositorio.ufscar.br/handle/ufscar/8756
dc.description.abstractThis research aims to describe and analyze the process of writing in Portuguese as a second language, undertaken by deaf participants in context of interactional and dialogical workshops, from a collective rewriting work of an adventure story, reflecting on interdiscursive interactions between sign language and written Portuguese. The rewrite was placed in this work as the object of reflection on practices and discursive formations which focused on learning of deaf participants. The discussions on this theme were guided by Bakhtin assumptions from the enunciative-discursive conception of language. This design allows us to understand the subjects in their discursive constitution through social relations in which they participate, incorporating the different social voices. For this purpose the workshops were videotaped as the intention to focus dialogic aspects of the interaction between the subjects. The episodes that make up the corpus of analysis were selected from the workshops developed in the course of the years 2013 and 2014, considering the communicative context. The excerpts of the episodes whose enunciations presented significant in relation to production strategies, review and language reflection collectively were transcribed from sign language (Libras) to Portuguese writing. The data was treated from three axes of analysis: interaction between deaf peers and between educators and listeners; language skills and written evidence. The axes analyzed allowed the establishment of qualitative values of the demanding language working by deaf people in writing workshop activities. Regarding the education of deaf people, this study points to the necessity of having the Portuguese language effectively treated as a second language, where its teaching and learning process is mediated by the sign language. Thus, the spaces that support the education for this portion of the population must be organized so as to ensure the verbal interaction, through Libras, as a written language development condition.eng
dc.description.sponsorshipNão recebi financiamentopor
dc.language.isoporpor
dc.publisherUniversidade Federal de São Carlospor
dc.rights.uriAcesso abertopor
dc.subjectLíngua portuguesa para surdospor
dc.subjectAbordagem bilínguepor
dc.subjectInteraçãopor
dc.subjectPortuguese for deafeng
dc.subjectBilingual approacheng
dc.subjectInteractioneng
dc.titlePortuguês como segunda língua para surdos : a escrita construída em situações de interação mediadas pela Libraspor
dc.typeTesepor
dc.contributor.advisor1Lacerda, Cristina Broglia Feitosa de
dc.contributor.advisor1Latteshttp://lattes.cnpq.br/9468232016416725por
dc.creator.Latteshttp://lattes.cnpq.br/5083153960563585por
dc.description.resumoA presente pesquisa tem o objetivo de descrever e analisar o processo de escrita em Língua Portuguesa, como segunda língua, empreendido por participantes surdos, em contextos interacionais e dialógicos de oficinas, a partir de um trabalho de reescrita coletiva de uma história de aventura, refletindo sobre as interações interdiscursivas entre língua de sinais e o português escrito. A reescrita foi colocada neste trabalho como objeto de reflexão sobre as práticas e as formações discursivas que incidiram sobre a aprendizagem dos participantes surdos. As discussões em torno desta temática foram orientadas por pressupostos bakhtinianos a partir da concepção enunciativo-discursiva de linguagem. Tal concepção permite entender os sujeitos em suas constituições discursivas por meio das relações sociais das quais participam, incorporando as diferentes vozes sociais. Para tanto as oficinas foram videogravadas como o intuito de focalizar aspectos dialógicos da interação entre sujeitos. Os episódios que constituem o corpus de análise foram selecionados entre as oficinas desenvolvidas no transcorrer dos anos de 2013 e de 2014, considerando o contexto comunicativo. Os trechos dos episódios cujas enunciações se apresentaram significantes em relação às estratégias de produção, revisão e reflexão da língua coletivamente foram transcritos da Libras para a Língua Portuguesa escrita. Os dados obtidos foram tratados a partir de três eixos de análise: interação entre pares surdos e entre estes e educadores ouvintes; aspectos linguísticos e indícios de autoria. Os eixos analisados permitiram o estabelecimento de valores qualitativos do trabalho de linguagem demandado pelos sujeitos surdos nas atividades de escrita das oficinas. Em relação à educação de surdos, o presente estudo aponta para a necessidade de a Língua Portuguesa ser efetivamente tratada como segunda língua, e que o processo de ensino e de aprendizagem desta seja mediado pela língua de sinais. Desta forma, os espaços que se propõem à educação desta parcela da população devem ser organizados de maneira a garantir a interação verbal, por meio da Libras, como condição de desenvolvimento da linguagem escrita.por
dc.publisher.initialsUFSCarpor
dc.publisher.programPrograma de Pós-graduação em Educação Especialpor
dc.subject.cnpqCIENCIAS HUMANAS::EDUCACAOpor
dc.ufscar.embargoOnlinepor
dc.publisher.addressCâmpus São Carlospor


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record